Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

quinta-feira, 12 de abril de 2012

John Dee


JOHN DEE
Inglaterra 1527 - 1608

JOHN DEE-ALGUMAS REFERÊNCIAS
Matemático, filósofo natural, alquimista e astrólogo inglês nascido em Tower Ward, Londres. Foi favorito da rainha Elizabeth I e colaborou na primeira tradução para o inglês da obra de Euclides. Educado numa escola de Chelmsford, em Essex, ingressou no St. John's College, Cambridge, onde estudou grego, latim, filosofia, geometria, aritmética e astronomia. Bacharelou-se e tornou-se mestre, sendo nomeado fellow do St John's College, em 1546.Quando Henry VIII fundou o Trinity College, o maior de Cambridge, ele também foi nomeado e tornou-se um fellow fundador. Fez inúmeras viagens pelo continente, especialmente para Bruxelas onde costumava adquiri instrumentos científicos, mas também obras ocultistas que colecionava em sua enorme biblioteca. Inspirado pelo hermetismo dos estudiosos da Renascença, desenvolveu seus estudos ocultistas, com rigor científico. Impressionou particularmente a Rainha quando publicou Propaedeumata Aphoristica, especialmente dedicado para ela.
O Selo de Aemeth, segundo Dee (esquema de Aleister Crowley, A representação Simbólica do Universo)
Deixou outros textos significativos, como "A mônada hieroglífica", em que ele tenta simbolizar a homogeneidade do Universo e do Criador, e o "De Haptarchia Mystica", que é um sistema de ocultismo prático, escrito em colaboração com Edward Kelly, seu assistente, um tanto trapalhão. Dee acreditava estar em mediação com anjos e outras “criaturas espirituais”, por mediação de Edward Kelly, os ditos “anjos” teriam ensinado a Dee um idioma desconhecido, “enoquiano”, assim como outros conhecimentos esotéricos que freqüentemente revelavam em forma de símbolos, como o “Sigilum Dei Aemeth”, em tudo semelhante a uma mandala. O erudito Elias Asmole transcreveu os diários espirituais de Jonh Dee e os passou a Meric Casaubon, que os editou em sua “Strange Relation”, publicado em 1658.
McGregor Mathers e outros membros da Golden Dawn estudaram este texto e combinaram a “Magia Enoquiana” de Dee, com outros aspectos da magia ocidental. John Dee morreu em Surrey, Londres, não sem antes enfrentar processos por feitiçaria, acusado, principalmente de necromancia.
Dee conjurando um morto
Dee e Kelley participando de uma experiência nigromântica: a reanimação de um cadáver, infundíndo-lhe um espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blessed Be!