Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

terça-feira, 29 de setembro de 2015

:::::Feitiço Para Proteger a Casa::::::



Todo início de mês é ideal para fazer uma faxina nas energias de seu Lar, seu Castelo.
Na primeira segunda feira de cada mês faça este ritual, mesmo que não sinta que haja necessidade, pois reciclar as energias da casa é sempre bom.
Faça uma mistura de água e sal, misturando com o dedo indicador e em movimento desenhando um pentagrama.
Caso você acredite em espíritos e fantasmas, acrescente um dente de alho e alecrim em pó dentro desta água.
Comece consagrando a água com os dedos como disse, e vá para o comodo ao oposto da porta de entrada de sua casa ou apartamento.
Estas faxinas são feitas de trás para frente, terminando na porta principal de entrada…
Polvilhe com seus dedos a água em cada comodo da casa dizendo:

“Todo mal deve sair,
Mas não entrar,
Todo mal deve sair,
E nunca voltar!”

Use uma voz firme, com todo o seu poder por trás dela.
Continuar da esquerda para direita em cada comodo e através da casa, repetindo o procedimento em todas janelas, portas e espelhos…
Nos ralos dos banheiros faça o sinal do pentagrama ao borrifar a água.
Faça o pentagrama para baixo, com a mão esquerda, onde sentir que precisa atrair coisas boas.
É importante realizar um feitiço como este em uma nova casa, antes de mudar-se para ela.

PRINCÍPIOS DE SÓLON



01: Confie mais em um bom caráter do que em promessas.
02: Não fale falsamente.
03: Faça coisas boas.
04: Não seja precipitado em fazer amigos, mas não os abandone uma vez feitos.
05: Aprenda a obedecer antes de comandar.
06: Quando der conselho, não recomende o que é mais agradável e sim o que é mais útil.
07: Faça da razão o seu comandante supremo.
08: Não se associe com pessoas que fazem coisas ruins.
09: Honre os Deuses.
10: Tenha consideração por seus antepassados.

ALTEREGO



O alter ego de uma pessoa, em uma análise estrita, é um ‘outro eu’, uma personalidade alternativa de alguém. Esta expressão provém do latim ‘alter’, que significa outro, ou seja, um eu diferente. Pode-se encontrar este termo tanto na literatura, nas interpretações de obras literárias, quanto na psicologia.
Literariamente é possível definir o alterego como a identidade oculta de um ser fictício ou como um artifício do autor de um livro para se revelar ao leitor na pele de um personagem, de forma discreta e indireta. Em geral ele apresenta muitas das características de seu criador, as quais podem ser descobertas em uma análise mais profunda. Psicologicamente esta expressão refere-se a um eu que jaz na inconsciência. Este conceito está relacionado à face secreta, ao ângulo desconhecido da identidade de uma pessoa, enquanto o ego, em contraposição, é definido como a fração rasa da mente, povoada por idéias, raciocínios, emoções.
Quando as outras pessoas olham para nós, percebem através dos sentidos o que somos, o que nos fraciona, nos divide, pois aí é possível encontrar a personalidade e também aquilo que a pessoa não revela sobre si mesma, ou seja, seu eu oculto, a persona alternativa ou o alterego. Todos devem, portanto, a cada momento, tentar se construir novamente, unir suas várias faces, e edificar um todo. Onde está então o alterego, entre estas várias divisões da psique? Justamente no mais profundo do ser, sendo normalmente a face na qual as outras pessoas realmente confiam. Várias esferas científicas procuram compreender esta instância psíquica. A física, a biologia, a teologia, a filosofia e a psicologia já realizaram alguns avanços neste sentido, levantando sempre a eterna questão abordada pelo Homem ao longo da História – quem somos nós?