Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Experiência religiosa


experiência religiosa, também amplamente conhecida como experiência mística, é uma experiência subjetiva em que um indivíduo diz ter tido um encontro ou uma união com uma entidade divina, ou ter tido contato com uma realidade transcendental.

Diagrama de uma experiência religiosa


Muitas tradições religiosas e místicas vêem a experiência religiosa como um encontro direto com Deus, deuses ou contato com outras realidades [1] e a visão científica normalmente afirma que a experiência religiosa é um experiência normal do cérebro humano que evoluiu em algum momento durante o curso da evolução do cérebro.[2]
A experiência religiosa, com suas características comuns, tem diferentes nomes em diferentes culturas, como:


Ponto de vista religioso sobre a experiência religiosa


cristianismo místico


Cristianismo místico e a vertente mística do cristianismo.
cristianismo místico ensina verdades espirituais inacessíveis por meio do intelecto apenas. Essas verdades são aprendidas por varias técnicas de meditação e oração, como a oração contemplativaoração da uniãolectio divinaoração de quietude e a oração de Jesus.
Bíblia possui diversas passagens que se relacionam com o misticismo e seu objetivo máximo: o encontro com Deus e consequentemente consigo mesmo.
No Evangelho de São Mateus, Jesus Cristo nos chama a ser perfeito como Deus é perfeito (Cap. 5, versículo 48). Ele chama toda a humanidade a entrar na senda da evolução e assim encontrar o Pai Celeste. Tanto no Novo Testamento (Evangelhos, cartas paulinas e Apocalipse) quanto no Antigo Testamento (sobretudo nos cinco primeiros livros, que formam a Torahjudaica) se encontram comandos, ensinamentos e chaves de imenso valor para a ascensão mística. Cabe a cada pessoa que deseja seguir esse caminho estudar a Bíblia e encontrar nela as chaves e os passos para o encontro com Deus.


Cabala

Cabala é um sistema religioso-filosófico que investiga a natureza divina. É a vertente mística do judaísmo. Segundo a cabala, Yehidah é o mais alto nível da alma, pelo qual o homem pode atingir a união máxima com Deus. A Cabala ensina varias técnicas de contemplação e meditação para o ser humano alcançar a união com Deus.


Sufismo

O sufismo, também conhecido por tasawwuf, é a corrente mística e contemplativa do islão. Muçulmanos acreditam que eles estão no caminho para Deus, e também acreditam que eles vão ficar perto de Deus no paraíso depois da morte. Sufistas também acreditam que é possível ficar perto de Deus, e ter a experiência de ficar perto Dele ainda em vida. Os praticantes do sufismo, conhecidos como sufis ou sufistas, procuram uma relação directa com Deus através de cânticos, música e danças. É uma filosofia de autoconhecimento e contato com o divino através de práticas meditativas, retiros espirituais, danças, poesia e música. Os sufis acreditam que Deus é amoroso e o contato com ele pode ser alcançado pelos homens através de uma união mística.


Características comuns em experiências religiosas


A gravura de Flammarion é usada pelos gnósticos para ilustrar a experiência religiosa, que consegue driblar as limitações do materialismo.
  • Inefabilidade - a experiência não pode ser adequadamente ser colocada em palavras;
  • Noético : o indivíduo sente que ele aprendeu alguma coisa de valor da experiência;
  • União : sentimento de união com tudo no universo;
  • Inexistência do espaço e tempo : a experiência causa a sensação de que não existe mais tempo e espaço;
  • Sagrado : a experiência cria a sensação de que tudo é sagrado e divino;
  • União : sentimento de união, encontro com Deus ou alguma força maior que o indivíduo. [4]
  • Outra Realidade : sentimento de que uma nova realidade ou a realidade definitiva foi revelada a ele.
    • Realidade Divina
    • Consciência do absoluto
  • Sensações Positivas : a experiência é bem prazerosa e causa sentimento profundamente positivo;
  • Efemeridade : a experiência é temporária; o indivíduo rapidamente volta ao estado normal da mente;
  • Passiva : a experiência acontece para o indivíiduo quase sem o seu controle. Apesar de haver técnicas, como a meditação, que podem gerar experiências religiosas, as experiências religiosas não são coisas que podem ser interrompidas quando se bem entender;


Causas de experiências religiosas

Os processos e técnicas de se ter uma experiência religiosa têm diferentes nomes dependendo da religião ou filosofia, como por exemplo:
  • faqr (sufismo)
  • dhyana ou bhakti (hinduísmo)
  • wu-wei (taoismo)
  • fana (sufismo/árabe e persa)
  • makhafah/mahabbah/ma'rifah (sufismo/Egito)
  • nobre caminho óctuplo(budismo)


Causas passivas


Causas Ativas


Meditação

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Banho de Ervas

Você chega em casa após um dia de trabalho estafante. Se não se cuidar bem, o cansaço, somado à poluição, pode lhe trazer sérias conseqüências. Reserve-se o direito de relaxar e de cuidar de si mesma. Dê-se de presente banhos relaxantes, revigorantes, grandes auxiliares nos cuidados da sua beleza. Banhos de erva são um grande aliado, mas que sejam de pelo menos uma hora, para que você aproveite ao máximo seus efeitos benéficos. As ervas são encontradas em farmácias ou em casas de produtos naturais. Faça uma infusão com 3 colheres (sopa) da erva escolhida em 2 copos de água. Coe e acrescente a infusão à água do banho. CAMOMILA - Os resultados desse banho você nota imediatamente, pois ele dá profunda sensação de repouso e faz uma limpeza completa em sua pele. Para aproveitá-lo ainda mais, umedeça dois chumaços de algodão na água do banho e coloque-os sobre os olhos; eles ficarão claros e brilhantes. HORTELÃ - Perfeita para tonificar os músculos e renovar as energias. Além disso, a hortelã contribui para amaciar a pele e tem um excelente efeito desodorizante. ORÉGANO - Você conhece mais como tempero, mas ele também é ótimo para banhos. Indicado para aliviar dores musculares e reumáticas. ALFAZEMA - O banho de alfazema tem uma grande vantagem, pois você já sai dele suavemente perfumada. Para hidratar o corpo, pingue na água do banho 5 ou 6 gotas de óleo de amêndoa doce. SÁLVIA - Erva de efeito antiinflamatório , que ajuda a combater cravos e espinhas. O banho de sálvia é recomendado especialmente para quem tem pele oleosa. FLOR DE LARANJEIRA - O banho com esta erva dá uma gostosa sensação de frescor e descanso. A flor de laranjeira é também adstringente e fecha os poros excessivamente dilatados. MELISSA - Também conhecida como erva-cidreira, proporciona um banho repousante e perfumado. Tomado antes de dormir, garante um sono tranqüilo.

Perfil da Bruxa

É difícil reconhecer uma bruxa somente pelo físico. Algumas pessoas fazem questão de mostrar que são “bruxas”: aquelas que se vestem constantemente de preto, utilizam uma corrente com pentáculo ou algum pingente de pedra, outras tem cabelos compridos repartidos ao meio e unhas compridas, às vezes pintadas de preto. Mas nem sempre elas são o que dizem ser, muitas vezes até porque não sabem como ser. Ser bruxa não é utilizar um feitiço quando as nossas possibilidades para resolver um problema estão esgotadas. Não é também conhecendo os nomes das ervas e decorando as jogadas de tarô que nos tornamos bruxas. Ser bruxa não é ainda manipular o mundo através de poderes sobre-humanos. A autêntica bruxa mora no interior da pessoa. E aquela mulher que aparenta ser o que é de verdade, estando satisfeita com o que é e não se preocupando com a opinião alheia em demasiado. A bruxa sempre traz em qualquer ambiente, um clima de força e alto astral. Elas estão por todas as partes, destacando-se pela sua sensibilidade, beleza indescritível e energia contagiante. Para a maioria das bruxas, o senso de humor é indispensável. É sempre importante estar de bem com a vida, semeando força e alegria. No instante em que nos tornamos bruxas, nos tornamos muito mais sensíveis, pois começamos a prestar atenção nas coisas que até então passaram despercebidas. Quando uma bruxa entra numa floresta, por exemplo, sente toda a intensidade das vibrações das árvores e plantas, se emociona com o delicado desabrochar das flores, se deleita com o barulho das águas, se encanta com o canto e o movimento de qualquer pássaro ou animal. A bruxa assume sempre o seu papel como mensageira e guardiã da Grande Mãe. Ela não se gaba com uma criatura que possui poderes sobrenaturais, capaz de conseguir tudo num estalar de dedos. A bruxa possui a consciência de que é alguém como qualquer outro, assumindo a sua condição com simplicidade e naturalidade.

O GRANDE RITO

O Grande Rito é um rito sexual (da religião Wicca) onde, através da Alta Sacerdotisa e do Alto Sacerdote, a união sagrada (o Grande Rito da criação universal) entre o Deus e a Deusa é representada. União que faz parte da mitologia criacionista da religião Wicca, pois apenas dois complementares (energia feminina e masculina) podem se unir e criar, dessa união, o Todo (o Universo). Trata-se do hieros gamos - núpcias sagradas - a união entre as divindades, masculina e feminina, que gera a Vida e Tudo O Que Há. Tradicionalmente, o Grande Rito é realizado em um dos sabás da roda do ano conhecido como Beltane, o sabá do meio da primavera. Entretanto, em algumas tradições, o Grande Rito é realizado em todos os esbás e sabás. Faz-se importante ressaltar que, muitas das vezes, trata-se apenas de um rito simbólico; embora a prática real seja comum entre os casais na religião Wicca. Assim, desmistificando algumas crendices populares, em rituais públicos e/ou em covens o Grande Rito não passa de uma simples representação onde a Alta Sacerdotisa (representando A Deusa) segura o cálice sagrado contendo vinho ou outra bebida ritualística e o Alto Sacerdote (representando O Deus) penetra cálice sagrado com o athame.

Prece para os elementais

Use esta prece sempre que se sentir de mau humor ou quando precisar encontrar equilíbrio nas suas circunstancias pessoais. Vem a mim, Ar, na tua frescura e pureza Concede ao meu raciocínio agudeza. Aumenta a minha criatividade, Torna positiva toda a minha actividade. Vem a mim, Água, fluida e em liberdade. Traz-me compaixão, amor e bondade. Dá-me brandura e compreensão E ajuda-me a enfrentar os problemas sem tensão. Vem a mim, Fogo, tão quente e brilhante Ilumina o meu caminho pela vida, doravante. Ajuda-me a viver e a amar com energia nova E a defender a verdade quando me puserem à prova. Vem a mim, Terra, tão fértil e rica Peço te a serenidade e a minha alegria multiplica Empresta-me a tua ética e a tua estabilidade Para que eu possa ajudar os outros com vontade. Akasha, junta-te a estes quatro, eu te peço Equilibra em mim os seus aspectos Como no começo renova a minha vida, pois tu tens o poder De me transformares no que eu devia ser. Elementos de tudo que tem e de tudo o que terá vida Fiai vossos feitiços com a harmonia devida Tecendo com os fios da minha vida o bem-estar E unindo-a com uma costura de bênção sem parar.

A LEI WICCANA

A Lei Wiccana respeita,Perfeito amor, confiança perfeita. Viva e deixa viver, Dá o justo para assim receber. Três vezes o círculo traça E assim o mal afasta. E para firmar bem o encanto Entoa em verso ou em canto. Olhos brandos, toque leve, Fala pouco, muito ouve. Pelo horário a crescente se levanta E a Runa da Bruxa canta. Pelo anti-horário a minguante vigia E entoa a Runa Sombria. Quando está nova a lua da Mãe, Beija duas vezes Suas mãos. Quando a lua ao topo chegar, Teu coração se deixará levar. Para o poderoso vento norte, Tranca as portas e boa sorte. Do sul o vento benfazejo, Do amor te traz um beijo. Quando vem do oeste o vento, Vêm os espíritos sem alento. E quando do leste ele soprar, Novidades para comemorar. Nove madeiras no caldeirão, Queima com pressa e lentidão. Mas a árvore anciã, venera, Se queimares, o mal te espera. Quando a Roda começa a girar É hora do fogo de Beltane queimar. Em Yule, acende tua tora, O Deus de chifres reina agora. A flor, a erva, a fruta boa, É a Deusa que te abençoa. Para onde a água correr, Joga uma pedra para tudo ver. Se precisas de algo com razão, À cobiça alheia não dá atenção. E a companhia do tolo, melhor evitar, Ou arriscas a ele te igualar. Encontra feliz e feliz despede, Um bom momento não se mede. Da Lei Tríplice lembre também, Três vezes o mal, três vezes o bem. Quando quer que o mal desponte, Usa a estrela azul na fronte. Cultiva no amor a sinceridade, Para receber igual verdade. Ou um resumo, se assim preferes estar: faz o que tu queres,Sem nenhum mal causar.

OSTARA ou SPRING - Equinócio de Primavera

(21 de Março) H. Norte / (21 de Setembro) H. Sul Pela primeira vez no ano o dia e a noite se fazem iguais. É portanto, uma data de equilíbrio e reflexão. Os dias escuros se vão, e a TERRA está pronta para ser plantada. É quando os Deus e Deusa se apaixonam, e deixam de ser mãe e filho. Nessa data, a semente da vida é semeada no ventre da Deusa, A Donzela revigorada e cheia de alegria. O Deus é devidamente armado para sair em sua viagem no mundo das trevas e reconquistá-lo, para que posteriormente a luz volte a reinar. Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da Fertilidade, cujo símbolo é o coelho. Foi desse antigo festival que teve origem a Páscoa. Os membros do Coven usam grinaldas, e o Altar deve ser enfeitados com flores da época. É um costume muito antigo colocar ovos pintados no Altar. Eles simbolizam a fecundidade e a renovação. Os ovos podem ser pintados crus e depois enterrados, ou cozidos e comidos enquanto mentalizamos nossos desejos. Nesse caso, não utilize tintas tóxicas, pois podem provocar problemas se ingeridas. Use anilinas para bolo, ou cozinhe os ovos com cascas de cebola na água, o que dará uma bela cor dourada. Antes de comê-los, os membros do Coven devem girar de mãos dadas em volta do Altar para energizar os pedidos. Os ovos devem ser decorados com símbolos mágicos, ou de acordo com a sua criatividade. Os pedidos devem ser voltados à "fertilidade" em todas as áreas. COMEMORANDO O OSTARA Deve-se colocar flores no altar, ao redor do círculo e enfiadas no chão. O caldeirão pode ser cheio com ÁGUA mineral e flores, e botões e brotos também podem adornar as vestes. uma pequena planta envasada deve ser colocada no altar. Prepare o altar, acenda as VELAS e o INCENSO , e abra o círculo, invoque a Deusa e o Deus. De pé diante do altar, observe a planta e diga: "Ó Grande deusa, Liberta da prisão gelada do inverno. Agora é a hora do verdejar, quando a fragrância das flores se espalha com a brisa. Este é o início. A vida se renova por sua magia, Deusa da Terra. O deus se distende e se ergue, ansioso em sua juventude, e pleno com sua promessa do verão." Toque a planta. Concentre-se a sua energia e através dela com toda natureza. Viaje por suas folhas e ramos em sua visualização do centro de sua consciência para fora de seu braço e dedos e penetrando dentro da própria planta. Explore sua natureza interior; sinta os milagroso processos da vida ativos em seu interior. Após algum tempo, ainda tocando a planta, diga: "Caminho pela TERRA em amizade, não como dominador. Deusa Mãe e Deus Pai, depositem em mim Através desta planta um AMOR por todas as coisas vivas; Ensinem-me a reverenciar a TERRA e todos os seus tesouros. Que eu jamais me esqueça." Medite acerca das mudanças de estações. Sinta o crescer das energias na TERRA a seu redor. Trabalhos de magia, se necessários, podem seguir. Celebre um banquete simples. O círculo está desfeito. ERVAS TÍPICAS DO EQUINÓCIO DE PRIMAVERA - OSTARA Cinco- folhas, Narciso, Madressilva, Íris, JASMIM , ROSA , Morango e Violeta. COMIDAS TÍPICAS DO EQUINÓCIO DE PRIMAVERA – OSTARA Sementes como o Girassol, abóbora e GERGELIM , assim como Castanhas de Pinheiro. Brotos, verduras folhosas e verdes. Pratos com flores, como nastúrcios recheados ou bolinhos de CRAVO .

A Lua e os Planetas

Sempre que quiser fazer um pedido, verifique em que fase da Lua você vai realizar os rituais e magias. Lembre-se que a Lua exerce grande influência na vida sobre a terra. Minguante: ideal para meditação e Magia contemplativa. Época propícia para ritualizar. os términos, expulsar energias negativas e encerrar etapas. Para se livrar de algo que não lhe faz bem. Nova: perfeita para rituais em que o pedido preza um começo, como um emprego novo, um novo (a) namorado (a) ou uma mudança em sua vida. Tempo de reflexão, conhecida como Lilith, a Lua Negra. Crescente: para dar continuidade aos seus projetos. Ideal para Magias de prosperidade e crescimento espiritual. Cheia: quando você deseja que algo se confirme. Prefeita para qualquer atividade mágica, sobretudo para Magias de Amor, Paixão e Poder. ATENÇÃO: os pedidos para a Lua Cheia só funcionam nos 3 primeiros dias da fase pois, depois disso, ela já começa a minguar.

Magia dos dias da Semana

Cada dia da semana concentra em si uma energia específica que, quando invocada corretamente, proporciona resultados muito especiais. Cada DIA é orientado por um PLANETA e dedicado a uma DIVINDADE que influenciam magicamente os sete dias da semana. Segunda-feira: regido pela Lua e representado pela Deusa Selene, é um dia extremamente propício para Magias e Rituais que invoquem paz, fertilidade, harmonia, Magia e meditação. Terça-feira: regido e dedicado ao Deus Marte. Favorável a Magias que invoquem paixão, proteção e coragem. Quarta-feira: regido e dedicado ao Deus Mercúrio. Indicado para atividades mentais, iniciar viagens, para adivinhações e estudos herméticos. Quinta-feira: regido por Júpiter e dedicado ao Deus com mesmo nome, também conhecido como o Deus dos Deuses. É o dia ideal para rituais de prosperidade, crescimento e expansão. Sexta-feira: regido por Vênus e dedicado à Deusa do Amor: Vênus (Afrodite). Ideal para Magias de amor e paixão, marcar encontros especiais e reconciliações. Sábado: regido por Saturno e dedicado a esse Deus. indicado para ritualizar os términos, encerrar etapas e Magias de proteção. Domingo: regido pelo Sol e dedicado ao Deus Sol Hélio. Ideal para Magias de força, poder e prosperidade. Indicado para atividades físicas e espirituais.

Magia ou Truque: a busca do elixir do amor

A procura por fórmulas mágicas para o incremento da vida sexual pode ser observada ao longo de toda a história da humanidade, principalmente nos livros eróticos do oriente - manuais chineses, hindus e árabes. Na mitologia grega, Afrodite (Vênus, no latim) filha de Zeus e Dione, encarna como a Deusa do amor e da beleza, intensamente atraente aos olhos dos mortais. De seu nome, nasce o termo afrodisíaco, referente àquele que tem atrativos ou àquele que desperta interesse sexual. O que são afrodisíacos? São agentes químicos ou odores que estimulam o desejo sexual e/ou que elevam a potência (masculina). Mais de mil substâncias contam para esta lista. Também acabam se incluindo neste termo os comportamentos, os objetos de vestuário e adornos que estimulam o apetite sexual e que mantêm ou prolongam a excitação. Quais são os afrodisíacos? Alimentos de origem animal ou vegetal que lembram em seu formato a aparência da genitália externa humana, como a ostra, o pepino, a banana, a rosa. Substâncias que podem ter ou não algumas propriedades euforizantes ou tranqüilizantes, como o guaraná cerebral, a passiflora, o álcool, cannabis, cocaína, perfumes, incensos, entre outros. Agentes químicos que influenciam a fisiologia sexual, geralmente provocando a ereção ou a mantendo, podendo aumentar a intensidade do desejo sexual em determinados indivíduos. É o caso da Yoimbina, do Sildenafil (Viagra) e do Trazodone, substâncias que normalmente requerem prescrição médica e acompanhamento de seu uso. Tais drogas podem determinar efeitos colaterais importantes, como sintomas cardiológicos e priapismo (ereção prolongada que se mantém sem estímulo sexual), entre outros. Desejo e excitação: qual a diferença? É necessário enfatizar a diferença entre estes dois termos. A função sexual humana só foi descrita na década de 60. Dois pesquisadores, Masters e Johnson, possuíam um laboratório experimental nos Estados Unidos, onde estudavam a fisiologia sexual, tendo entrevistado centenas de casais. O chamado Ciclo da Resposta Sexual Humana descreve as três fases que compõem nossa sexualidade, quais sejam: desejo, excitação e orgasmo. O desejo refere-se ao despertar do apetite e do interesse sexual. A excitação refere-se às respostas do corpo a este estímulo, com ereção peniana nos homens e lubrificação vaginal nas mulheres. O orgasmo é a última fase, é o pico de satisfação sexual, quando há contração involuntária da musculatura perineal. Existem drogas que provocam excitação, mas que não influenciam diretamente o desejo sexual (viagra).

O que são feromônios?

Existem também os chamados feromônios, afrodisíacos naturais que quando produzidos e exalados pelos indivíduos no ambiente, provocam alteração de comportamento e da fisiologia em outros indivíduos, geralmente de mesma espécie. É um tipo de comunicação química que, no reino animal, determina a seleção sexual entre as espécies. Nos últimos anos têm-se descoberto remanescentes do órgão receptor de feromônios nos seres humanos. Talvez seja possível, num futuro próximo, determinar a escolha sexual pelo cheiro dos parceiros, aumentando ou diminuindo o desejo entre pares específicos. Polêmica entre ciência e tradição: o que se sabe? O assunto ainda é polêmico. Não há evidências científicas significativas de que tais substâncias possam provocar ou não desejo sexual nos indivíduos, respeitando-se a variabilidade biológica de cada um. Espera-se que nesses próximos anos se descubra mais sobre tais elementos e sobre suas reais propriedades afrodisíacas. Em um clima emocional que se estabelece ao redor dessas substâncias, um morango dado na boca, um incenso num quarto semi-escuro, um amendoim descascado a dois, por si só já pode incrementar o apetite sexual dos parceiros, não necessariamente sendo a substância envolvida a responsável pelo sucesso do casal. Muitas substâncias ditas afrodisíacas são tóxicas, provocando até mesmo a morte de pessoas pelos seus efeitos cardiotóxicos. Deve-se ter cuidado com a utilização de determinados agentes, com a dose e com a sua procedência. O apelo econômico da busca descontrolada do "elixir do amor" infelizmente tem trazido danos até mesmo ecológicos e éticos. Um exemplo são as "fazendas" chinesas de ursos que produzem bílis, substância utilizada para a fabricação de xampus, afrodisíacos e outros produtos milagrosos. Na tradição chinesa a bílis de urso é uma potente medicação para várias doenças. São dez mil animais enjaulados e cateterizados, que vivem por 15 anos com muita dor, praticamente sem movimento e na mesma posição para a extração de bílis. A bílis de urso não foi comprovada cientificamente como uma substância efetivamente afrodisíaca. Um casal que busca um incremento na satisfação sexual tem várias opções afrodisíacas que não só o uso de substâncias.

Deusa

Ela possui 3 aspectos: a donzela, a mãe e a anciã que simbolizam as Luas Crescentes, Cheia e Minguantes. Nós a vemos na Lua, no silêncio e flutuante oceano e no primeiro verdejar da primavera. Ela é a incorporação da fertilidade e do amor. Muitos símbolos são utilizados na wicca para honrá-la, como o caldeirão, a taça, o machado, flores de 5 pétalas, o espelho, colares, conchas do mar, pérola, prata, esmeralda... Alguns animais que a representa como o coelho, o urso, a coruja, o gato, o cão, o morcego, o ganso a vaca, o golfinho e a abelha. A Deusa já foi representada como uma caçadora correndo com seus cães de caça; uma deidade celestial caminhando pelos céus com pó de estrelas saindo de seus pés; a eterna mãe com o peso da criança; a tecelã de nossas vidas e mortes; uma anciã caminhando sob o luar buscando os fracos e esquecendo, assim como muitos outros seres. Mas independentemente de como a vemos, ela é onipresente, imutável, eterna. A Deusa enche-se de amor e dá à luz, uma chuva de espíritos brilhantes, uma chuva que desperta a consciência para o mundo assim como a umidade provocada o verdejar na terra. A chuva que alimenta a vida, assim como as águas rompantes anunciam o nascimento, o extático dando lugar à vida. A Deusa e o Deus estão ambos dentro de nós e manifesta-se em toda a natureza conforme os princípios da natureza, a força suprema foi personificada em dois seres básicos: a Deusa e o Deus. Os complexos panteões deidades surgidos em muitas partes do mundo são aspectos desses dois. No passado, quando a Deusa e o Deus eram tão reais como a Lua e o Sol, os ritos de culto e adoração eram desestruturados numa reunião espontânea e prazerosa com o divino. Posteriormente, os rituais passaram a >seguir o curso do Sol atrás do ano astronômico, assim como o crescer e o minguar da mensal da Lua. O Divino é gêmeo, consiste na Deusa e no Deus. Podemos contatá-los e comunicarmos com eles pois uma parte de nós está neles, assim como eles estão em nós. A religião baseada apenas na energia feminina, entretanto, é tão desequilibrada e desnatural quanto outra totalmente voltada ao masculino. Um equilíbrio perfeito entre ambas é o ideal. A Deusa e o Deus iguais, e complementares. Podemos representar os Deuses usando uma vela vermelha para o Deus e uma verde para a Deusa. Isto confere com a associações naturais da wicca, pois o verde e o vermelho são cores ligadas à vida e a morte. Reconhecemos os aspectos obscuros da Deusa e do Deus do mesmo modo como reconhecemos os claros. Tudo na natureza é composto de opostos, esta polaridade reside também na natureza e em nós mesmo. As forças masculinas e femininas representam a diferença , mas em essência, são a mesma força fluindo em direções opostas, mas não contrarias. A mulher é vista como a força que dá a vida, o poder de manifestação de energia fluindo para transformar-se em matéria. O homem é visto como a força da mente, em um sentindo positivo, não negativo: a força da limitação que é o equilíbrio necessário para a criação descontrolada, o poder da dissolução, do retorno à informidade. A polaridade dos princípios femininos e masculinos não devem ser compreendida como padrão genérico para indivíduo feminino e os seres humanos. Cada um de nós possui ambos os princípios, somos o feminino e o masculino. Ser completo significa estar em contato com as duas forças: criação e desintegração. Crescimento e limitação.

Deus

Vemos o deus no Sol, brilhando sobre nossas cabeças durante o dia nascendo e pondo-se no ciclo infinito que governa nossas vidas. O Deus também gentil com os animais silvestres. Na forma do Deus Cornudo ou Cornifero, Ele é por vezes representadado com chifres em sua cabeça. Os domínios do Deus incluíam as florestas intocadas pelas mãos humanas, os desertos escaldantes, e as altas montanhas. As estrelas, por serem na verdade sóis distantes, são associados a seu domínio. O Deus é a colheita plenamente madura, o vinho inebriante extraído das uvas, o grão dourado que balança num campo, as maças viajantes que pendem de galhos vederjantes nas tarde de outono. Símbolos utilizados para representar ou cultuar o deus, são a espada, o chifre , a lança, a vela ouro, diamante, a foice, a flecha, o bastão, o tridente, facas ou outros. Animais que representam o Deus o touro, o cão, a cobra, o peixe, o gamo, o dragão, o lobo, o javali, a águia, o tubarão e os largatos. O princípios masculino é visto, inicialmente, como uma figura andrógina: a criança, o Deus azul do amor tocando flauta. Sua imagem é conexa à do deus Azul pessoal, o self profundo, que também é andrógino. Jovem bondoso, filho amado, ele jamais é sacrificado. O aspecto verde é o Deus da vegetação o espírito do milho, o grão é colhido e então replantado; a semente que morre a cada colheita eternamente renasce toda primavera. O Deus Galhudo mais "masculino" no sentido convencional das projeções da Deusa, é eterno caçador e também, o animal que é caçado. "Mesmo se nuvens bloqueiam o céu, ainda assim as energia dos Deuses lhe alcança

Halloween

O Halloween é uma celebração anual muito comum em vários países. Mas que celebração é essa? E onde esse evento tão peculiar teve origem? Será um tipo de culto às coisa do mal? Ou será somente a continuidade de um rito pagão antigo? Apesar de ser um acontecimento tradicional em paises como os Estados Unidos, o Reino Unido, dentre outros, o Halloween no Brasil começou a ser comemorado somente a poucos anos e, mesmo hoje ainda está restrito às capitais e grandes cidades. A palavra Halloween tem sua origem na igreja católica e vem da contração feita de maneira errada da expressão "All Hallows Eve" que significa Dia de Todos os Santos, e corresponde ao dia Primeiro de Novembro, que no catolicismo é o dia de reverencia aos Santos mortos. Mas no 5o.Século Antes de Cristo, na Irlanda Céltica, o verão terminava oficialmente no dia 31 de outubro. Esse dia marcava o início do ano céltico e era comemorado com um feriado denominado Samhaim. A história diz que, naquele dia, os espíritos desencarnados de todos aqueles que morreram no decorrer do ano, voltavam na busca de corpos de pessoas vivas nas quais eles habitariam durante o ano que se iniciava. Acreditava-se que essa era a única esperança de vida após a morte (Panati). Os celtas acreditavam que todas as leis de tempo e espaço ficavam suspensas durante este tempo permitindo aos espíritos um inter-relacionamento com os vivos. (Gahagan). Naturalmente, os que estavam vivos não queriam ser possuídos pelos espíritos dos mortos. Então, na noite de 31 de outubro, os habitantes dos vilarejos apagavam os fogos em suas casas, para torná-las frias e indesejáveis. Eles então se vestiam com roupas fantasmagóricas e realizavam desfiles barulhentos pela vizinhança, sendo tão destrutivos quanto possível, de maneira a assustar e amedrontar os espíritos que estavam a procura de corpos para possuí-los (Panati). Durante a era Romana, estes adotaram as práticas célticas como se fossem suas. Porém, na medida em que a crença na possessão foi perdendo terreno, a prática de se vestir como espantalhos, fantasmas e bruxas foi transformada de uma crença religiosa para um cerimonial apenas. O costume do Halloween foi trazido para os Estados Unidos na década de 1840 pelos imigrantes irlandeses que saiam de seu país pela escassez de seu principal alimento, a batata. Nessa época, a tavessura (brincadeira) favorita na Nova Inglaterra (nos Estados Unidos), era escrever sobre as paredes das casas e retirar as trancas dos portões (Panati). O costume do trick-or-treating (travessura-ou-gostosuras : dê-nos coisas gostosas ou faremos travessuras) parece não ter origem nos célticos mas sim em costume europeu do século 9 chamado "Souling". No dia 2 de Novembro, Dia de Todas as Almas ou Dia dos Mortos, os cristãos andavam de Vila em Vila para ganharem as chamadas "Soul Cakes", ou tortas feitas com pedaços quadrados de pão e groselha. Quanto mais tortas recebiam, mais orações eles prometiam em memória dos parentes mortos daqueles que doavam as tortas. Naquela época, acreditava-se que os mortos permaneciam num limbo por um período de tempo após a morte e, através de orações, mesmo de estranhos, aconteceria a passagem do limbo para o céu. A Abóbora-lanterna, (em inglês Jack-o-lantern) tem origem no folclore irlandês. Segundo a estória, um homem chamado Jack, que era um notório beberrão e trapaceiro, fez um trato com o Diabo que estava em cima de uma árvore. Jack então esculpiu a imagem de uma cruz no tronco da árvore, como uma armadilha para prender o Diabo onde estava, ou seja, em cima da árvore. Jack fez então um acordo com o Diabo: se ele nunca o tentasse ou atormentasse, Jack apagaria a cruz e o deixaria descer da árvore. De acordo com o conto, depois que Jack morreu, sua entrada no céu foi negada por causa do seu trato com o Diabo, mas também lhe foi negada a sua entrada no inferno porque ele enganou o Diabo. Então o Diabo deu-lhe uma vela para iluminar o seu caminho através da fria escuridão. Então Jack colocou a vela dentro de um grande nabo, para mantê-la acesa por mais tempo. O nabo foi esculpido para ficar oco e com buracos para dar passagem a claridade emitida pela luz da vela. Originalmente os irlandeses usaram nabos para fazerem suas Lanternas de Jack. Porém, quando os imigrantes chegaram aos Estados Unidos, eles encontraram as abóboras, muito mais adequadas do que os nabos e, até hoje, é o símbolo mais marcante do evento. Então, apesar de alguns cultos e trabalhos satânicos terem adotado o Halloween como seu feriado favorito, o dia não teve origem em nenhuma prática demoníaca como algumas pessoas suspeitam. Ele cresceu a partir dos rituais de celebração do ano novo pelos celtas e de rituais europeus na idade média. Hoje o Halloween é apenas o que cada um faz dele, bem ou mal.