Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Sejam bem vindas todas as bruxas alcoviteiras que providenciaram este encontro tão inusitado...

E que sejam ouvidas todas suas profecias, pois brindarei com sussurros e vozes entrecortadas ao despertar da noite, gemidos e gestos que somente os amantes decifram... regado a champanhe, frutas e muita sensualidade.

Quisera tornar-me mais íntima desse doce estranho... conhecer seus segredos, contar os meus... abrir as portas do meu mundo e mostrar as reentrâncias tão secretas jamais exploradas... iluminar meu quarto à luz de velas perfumadas, e enfeitar com flores... despi-lo de suas vestes e trazer à tona o seu instinto dominador que me fascina... E entregar-me totalmente tua, toda nua, liberta das amarras da idiossincrasia da sociedade, porém, com as mãos e corpo atados aos seus caprichos...

Apropriar-me de sua atenção e fazer-me mais mulher... e no mesmo segundo, tornar-me sua escrava faceira, despida de pudores e me deixaria levar por esse ritual de prazer e amor. Um instante necessário, um olhar, que denunciaria as intenções de nossos desejos mais ocultos.

Aflorará uma mulher dormente cá dentro... com a pele em fogo ao toque, a carne ansiosa no aguardo de suas investidas, os sentidos aguçados em busca de saciá-lo, o sexo implorando por ser explorado e degustado... dando tudo de mim, recebendo o que quiser me dar...

E quem sabe EU seja a bruxa travestida de princesa... e por trás de meu olhar tímido, reina aquela que quer te seduzir...

Por trás dos gestos sutis, contemple a cortesã despudorada...

Por trás do vocabulário requintado, ergue-se a meretriz profana...

Mas para você, sou aquela que se entregará em suas mãos... para que me torne sua... pequena, amada, querida, ninfa, mulher, escrava....

Para que delineie as curvas, torne rubra a pele e amacie a carne...

Para que enleve sua alma com carícias plenas, e seja sugado todo seu mel...

Para que me penetre em cada fenda, e sinta a língua percorrendo sua pele, seu sexo...

Para que sinta o doce pompoar como se o engolisse todo para dentro de mim... e os sucos, que vão banhar seu corpo...

Para que eu consiga despertar o Senhor voraz que existe dentro de ti, e venha devorar esta mulher que se entrega plenamente...

Flávia Sexas

terça-feira, 3 de maio de 2011

SETE DICAS PARA PÔR O EGO NO LUGAR DELE...







Wayne W. Dyer
18 de Julho de 2010

Aqui estão sete sugestões para ajudá-lo a transcender idéias arraigadas sobre a própria importância. Todas estas são concebidas para ajudar a impedi-lo de se identificar falsamente com a auto-importância do ego.

1 – Deixe de ficar ofendido. O comportamento dos outros não é motivo para ficar retido. Aquilo que o ofende somente o enfraquece. Se estiver procurando ocasiões para ficar ofendido, você as encontrará a cada oportunidade. Este é o seu ego operando, convencendo-o de que o mundo não deveria ser assim. Mas você pode se tornar um apreciador da vida e se equiparar ao Espírito universal da Criação. Você não pode alcançar o poder da intenção ao ficar ofendido. De qualquer modo, aja para erradicar os horrores do mundo que emanam da identificação massiva do ego, mas fique em paz. Como “Um Curso em Milagres” nos lembra: “A Paz é de Deus, você que é parte de Deus, não está no lar, exceto em sua paz. O Ser é de Deus, você que é parte de Deus não está no lar, exceto em sua paz”. Ficar ofendido cria a mesma energia destrutiva que o ofendeu em primeiro lugar e leva ao ataque, ao contra-ataque e à guerra.

2 – Libere a sua necessidade de vencer. O ego adora nos dividir em vencedores e perdedores. A busca da vitória é um meio infalível de evitar o contato consciente com a intenção. Por quê? Porque em última instância, a vitória é impossível o tempo todo. Alguém lá fora será mais rápido, mais afortunado, mais jovem, mais forte e mais inteligente, e novamente você se sentirá inútil e insignificante. Você não é o seu prêmio ou a sua vitória. Você pode curtir a competição, e se divertir em um mundo onde a vitória é tudo, mas você não tem que estar lá em seus pensamentos. Não há perdedores em um mundo onde todos compartilham a mesma fonte de energia. Tudo o que você pode dizer em um determinado dia é que você realizou em um determinado nível, em comparação aos níveis de outros neste dia. Mas hoje é outro dia, com outros competidores e novas circunstâncias a considerar. Você está ainda na presença infinita em um corpo que está em outro dia, ou em outra década, mais velho. Deixe ir a necessidade de vencer, sem concordar que o oposto de vencer é perder. Este é o medo do ego. Se o seu corpo não está atuando de modo a vencer neste dia, ele simplesmente não se importa quando você não está se identificando exclusivamente com o seu ego. Seja o observador, notando e apreciando tudo isto sem precisar ganhar um troféu. Esteja em paz, e corresponda com a energia da intenção. E, ironicamente, embora você quase não o perceba, mais vitórias se apresentarão em sua vida quando menos as perseguir.

3 – Deixe ir a sua necessidade de estar certo. O ego é a fonte de muitos conflitos e desavenças, porque ele o empurra na direção de tornar outras pessoas erradas. Quando você é hostil, está desconectado do poder da intenção. O Espírito Criativo é bondoso, amoroso e receptivo; e livre da raiva, do ressentimento ou da amargura. Liberar a sua necessidade de estar certo em suas discussões e relacionamentos é como dizer ao ego: eu não sou um escravo para você. Eu quero aceitar a bondade e rejeitar a sua necessidade de estar certo. Realmente, eu oferecerei a esta pessoa uma oportunidade de se sentir melhor, dizendo que ela está certa, e lhe agradecer por me apontar na direção da verdade. Quando você deixa ir a necessidade de estar certo, é capaz de fortalecer a sua conexão com o poder da intenção. Mas tenha em mente que o ego é um combatente determinado. Eu tenho visto pessoas terminarem relacionamentos maravilhosos, apegando-se a sua necessidade de estar certo, interrompendo-se no meio de um argumento e se questionando: “Eu quero estar certo ou ser feliz?” Quando você escolhe o humor feliz, amoroso e espiritualizado, a sua conexão com a intenção é fortalecida. Estes momentos expandem no final das contas, a sua nova conexão com o poder da intenção. A Fonte universal começará a colaborar com você, criando a vida que você pretendia viver.

4 – Deixe ir a sua necessidade de ser superior. A verdadeira nobreza não se refere a ser melhor do que outra pessoa. Trata-se de ser melhor do que você costumava ser. Permaneça focado em seu crescimento, com uma consciência permanente de que ninguém neste planeta é melhor do que outro. Todos nós emanamos da mesma força de vida criativa. Todos nós temos uma missão de compreender a nossa essência pretendida. Tudo o que precisamos para cumprir o nosso destino nos está disponível. Nada disto é possível quando você se vê como superior aos outros. É um velho provérbio, mas, entretanto, verdadeiro: Somos todos iguais aos olhos de Deus. Deixe ir a sua necessidade de se sentir superior, vendo a revelação de Deus em todos. Não avalie os outros com base em sua aparência, em suas conquistas, posses e em outros índices do ego. Quando você projeta sentimentos de superioridade, isto é o que você recebe de volta, levando a ressentimentos, e principalmente, a sentimentos hostis. Estes sentimentos se tornam o veículo que o distancia mais da intenção. Um Curso em Milagres trata desta necessidade de ser especial e superior. A pessoa que se julga especial sempre faz comparações.

5 – Deixe ir a necessidade de ter mais. O mantra do ego é mais. Ele nunca está satisfeito. Não importa quanto você consiga ou adquira, seu ego vai insistir que não há o suficiente. Você se encontrará em um estado perpétuo de esforço para obter, eliminando a possibilidade de nunca chegar. Entretanto, na realidade, você já chegou, e como você optar por usar este momento presente de sua vida, é sua escolha. Ironicamente, quando você deixa de precisar mais, mais do que você deseja parece chegar a sua vida. Desde que você se desligou da necessidade por isto, você achará mais fácil transmiti-lo aos outros, porque você compreende quão pouco você precisa a fim de ficar satisfeito e em paz. A Fonte universal está contente com ela mesma, expandindo-se constantemente e criando nova vida, sem tentar se apegar as suas criações para seus próprios propósitos egoístas. Ela cria e libera. Quando você libera a necessidade do ego de ter mais, você se unifica a esta Fonte. Você cria, atrai para si e libera, nunca exigindo que mais venha ao seu caminho. Como um apreciador de tudo o que se apresenta, você aprende a poderosa lição de S. Francisco de Assis: “É dando que recebemos.” Ao permitir que a abundância flua para e através de você, você se equipara a sua Fonte e garante que esta energia continue a fluir.


6 – Deixe de se identificar com base em suas realizações. Este pode ser um conceito difícil se pensar que vocês são as suas realizações. Deus canta todas as músicas, Deus constrói todos os prédios, Deus é a fonte de todas as suas realizações. Eu posso ouvir o seu ego protestando em voz alta. Entretanto, permaneça atento a esta idéia. Tudo emana da Fonte! Você e esta Fonte são um! Você não é este corpo e as suas realizações. Você é o observador. Observe tudo isto; e seja grato pelas habilidades que acumulou. Mas dê todo o crédito ao poder da intenção, que lhe trouxe à existência e da qual é uma parte materializada. Quanto menos precisar assumir o crédito pelos seus empreendimentos e mais conectado permanecer às sete faces da intenção, mais estará livre para realizar, e mais se apresentará para você. Quando você se liga a estas conquistas e acredita que apenas você que está fazendo todas estas coisas, você deixa a paz e a gratidão de sua Fonte.


7 – Deixe ir a sua reputação. Sua reputação não está localizada em você. Ela reside nas mentes dos outros. Portanto, você não tem nenhum controle sobre tudo isto. Se falar para 30 pessoas, você terá 30 reputações. Conectar-se à intenção significa ouvir o seu coração e se conduzir baseado naquilo que a sua voz interior lhe diz que é o seu propósito aqui. Se estiver muito preocupado em como será percebido por todos, então você se desliga da intenção e permite que as opiniões dos outros o oriente. Este é o seu ego operando. É uma ilusão que se interpõe entre você e o poder da intenção. Não há nada que não possa fazer, a menos que se desconecte da fonte de poder e se torne convencido de que o seu propósito é provar aos outros como você é poderoso e superior, e gaste a sua energia tentando ganhar uma gigantesca reputação entre outros egos. Permanecer no propósito, desligar-se do resultado, e assumir a responsabilidade pelo que faz, reside em você: seu caráter. Deixe que a sua reputação seja debatida por outros. Ela nada tem a ver com você. Ou como o título de um livro diz: “O que você pensa de mim, não é da minha conta.”


Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br Fonte:

http://anjodeluz.ning.com/

Poderá também gostar de:

O EGO E GAIA! - KRYON
CONTROLANDO O EGO - PARTE I
ILUMINANDO O EGO INFERIOR COM O EU SUPERIOR - METATRON
LIBERTANDO-SE DOS APELOS DO EGO - NAVARANA
CONTROLANDO O EGO -(IDENTIFICANDO AS ARMADILHAS) PARTE II - ...

LinkWithin

ALQUIMIA, EQUILÍBRIO E TRANSIÇÃO PLANETÁRIA





ALQUIMIA, EQUILÍBRIO E TRANSIÇÃO PLANETÁRIA
Mensagem do Mestre Saint Germain, canalizada por Flávia Sexas, em 01.05.2011


Amados Filhos, saudações cósmicas do Universo Alquímico!

Hoje vamos falar de um assunto que tenho certo muitos de vocês aguardam. A alquimia e sua aplicação à medicina.

Dentro de novos aspectos que estão a vivenciar na nova realidade que estão começando a desvendar, bem como a medida que muitas consciências despertam para uma nova realidade holográfica da Terra, tudo contribui para a Ascensão do Planeta.

A consequência imediata dessa ascensão vibratória de Gaia e de um número de irmãos em missão no orbe terrestre, propicia um melhor aproveitamento das energias que estão sendo dispensadas na forma de conhecimento, pois adentra a malha densa onde meus filhos estão mergulhados.

Compreender essa profundidade que existe entre as dimensões cósmicas é fundamental para que entendam como a nova holografia os credenciará a receberem as informações que passarão a desfrutar de inúmeros seres de luz que já estão trazendo e abrindo conhecimentos antes tidos como secretos.

O sectarismo que predominou nos séculos e milênios anteriores, correspondeu ao grau máximo de evolução que cada um de meus filhos conseguiu obter, e isso, sabeis que não mais ocorrerá, pois estão adentrando efetivamente à Nova Era de Ouro, com a qual terão o privilégio de conhecerem os antigos mistérios que serão, pouco a pouco, trazidos à luz do dia, para que todos os que estejam efetivamente despertos, possam gozar de maiores possibilidades de ascensão sobre a Terra.

E não é isso, meus filhos, vocês estão aqui para se tornarem Mestres de Si, e isto se concretiza através do contato com os mistérios que ainda estão velados, mas isso é uma questão de tempo, pois quando menos esperarem, a sucessão de fatos que desencadearão as mudanças necessárias para a purificação do Planeta, trará consigo os ventos da mudança, e àqueles que acreditarem tudo saber, correrão para dividirem em tempo, o pouco que ainda lhes resta ocultado.

Contudo, filhos amados, as lições que poderão usufruir em breve não será o suficiente para que atinjam o grau de Mestre Ascenso, não é bem assim, a evolução durante vivência no orbe dependerá muito mais de uma atitude em relação ao próximo e com o meio, e isso sim, será a régua com a qual mediremos os méritos de cada um de vocês.

Sim, meus filhos, a evolução é individual e coletiva.

Explico-lhes. A tarefa individual implica numa revisão de todos os conceitos que conhecem e à aplicação dos mesmos nos lugares onde são chamados a atuarem, e, na esfera coletiva, o desenvolvimento está ligado a atuação do ser individual com o meio, e não digam que necessitarão isolar-se para ascender, isso não estaria em harmonia com as características que prevalecem na Nova Era de Ouro.

Amados filhos, vejamos, se vocês estão a resgatarem conhecimentos milenares, somados aos que vocês recebem dos seres de luz que se comprometeram em auxiliá-los em suas tarefas missionárias, acrescida da experiência pessoal de cada um em se elevar, não teria sentido algum, na atual configuração holográfica da Terra, uma experiência isolada.

A reunião de grupos no intuito de compartilharem conhecimento é sim a única forma de se disseminar o conhecimento e motivar a reflexão no próximo, a medida que todos podem expor seus sentimentos e pontos de vista de maneira ordenada e respeitosa.

A luz do conhecimento reluz tal qual ouro, pois é a grande jóia preciosa de meu Pai.

A alquimia é a ciência que cuida das transformações, e para isso que estamos aqui, pois tenho a tarefa de auxiliá-los nesse momento de mudanças significativas em todos os sentidos da vida sobre a Terra. E isto necessita de que tenham domínio sobre os meios de transformação dos elementos que o Criador disponibilizou para todos vocês.

Vejam só, meus amados filhos, vocês já conhecem a tranformação de muitas substâncias, a exemplo do preparo de uma refeição, por si só, já realizam uma mistura alquímica, pois transformam elementos em outras de cores, aspectos, estados e finalidades distintas, e não é assim, diariamente na rotina de cada um de vocês?

O que ocorre é que muitos ainda não entenderam que a própria alquimia foi disponibilizada há muitos éons pelo Criador, a fim de que os filhos encontrassem nos quatro elementos primordiais, as combinações necessárias para que novas substâncias surgissem para fins de atenderem a uma necessidade de equilíbrio.

E esta é a palavra chave da alquimia: EQUILÍBRIO.

Somente com essa finalidade vocês deverão se socorrer dos meios de transformação dos elementos, pois o poder contido em cada mistura, em cada ensaio, em cada experimento, dependerá única e exclusivamente da intenção em equilibrar algum aspecto, quer seja na relação que estão a vivenciar no meio em que vivem, mas, principalmente, no corpo físico do qual fazem uso para manifestarem a divindade eterna no plano terreno. Compreendem?

Saber para que serve a alquimia é o primeiro passo para entender e compreender a extensão e alcance dessa ciência que será nessa nova fase de transição planetária a grande chave de restabelecimento do equilíbrio cósmico.

O meu papel junto a todos os amados filhos é conceder-lhes os instrumentos necessários a empenharem tarefa de transformação onde tiverem o papel de exercerem a prática do restabelecimento do equilíbrio necessário.

Mas nada disso teria sentido se não houver da parte do Mago Alquímico a imprescindível confiança em sua ação na intenção/atenção do que estará a realizar, pois tudo, como já lhes prepararam, está primeiro na holografia já disponibilizada entre vocês e aos que se sintonizarem receberão orientações precisas sobre simples combinações de soluções aquosas para os mais simples desequilíbrios físicos.

Para tanto, bastará que estejam de coração puro na intenção do restabelecimento do equilíbrio de si e do próximo, pois sem essa condição não há como direcionar a energia necessária que movimentará a concretização da energia condensada no elemento água e sal, por exemplo, para atingir o que lhes incomoda.

Tudo está nos quatro elementos, água + fogo + terra + ar, e as infinitas possibilidades combinatórias e de proporções diversas, resultará em novas substâncias que trarão, nos momentos críticos da transição, o necessário restabelecimento da ordem.

Hoje quero lhes dar um presente, como vocês dizem aqui na Terra, vamos treinar esse princípio de que tudo está em tudo e o todo está na partícula, assim como a partícula faz parte do todo.

Peguem um copo com água e escolham um cristal de sua preferência, após os procedimentos de higiene, com a ação e intenção segurem o cristal e dêem-lhe uma ordem, o elemental que o rege captará vossa energia e começará a reordenar as moléculas que o compõem no sentido de que elas tomem um sentido elétrico que favoreça a concretização mentalizada, e coloquem-no na água, deixem por um tempo que considerarem preciso, pois aí deve prevalecer a ordem que o seu Eu Superior já dispensou ao Cristal. Decorrido o prazo dado por vocês, retirem o cristal, mantenham-no em sua mão esquerda e bebam a água, aos goles, respirando profundamente entre um gole e outro, e ao inspirarem interiorizem a programação que deram ao Cristal, e ao expirarem eliminem mentalmente o desequilíbrio focado.

Esse exercício, conta com o elemento água, terra (cristal), e ar (respiração), alguns vão perguntar e o fogo? Pois bem, o fogo será o resultado da ação desses 3 (tres) elementos que transformarão o que puseram em intenção no cristal. Viram, simples não? Requer muito mais objetividade, e isso poucos de vocês desenvolvem de maneira correta, do que conhecimento propriamente dito.

Portanto, meus amados filhos, peço-lhes que tenham mais contato com vossas centelhas luminosas para que saibam e recebam através da intuição mais de nossas invisíveis orientações, pois todos vocês estão assistidos por seres amorosos que a uma respiração profunda e intencionada aproximam-se para atendê-los e inspirá-los no que lhes é necessário.

Retornaremos para prosseguir no assunto, pois muito temos que falar nesse sentido, porém, mantenham-se abertos e receptivos para que também possam colher esse manancial de energias transformadoras que está a disposição de todo àquele que assim se sintonizar.

Eu Sou Saint Germain e peço-lhes que transformem através da ação na intenção.

Poderá também gostar de:

A VISÃO GLOBAL DA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA
EXERCITANDO A CHAMA VIOLETA DURANTE A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA
O PODER DA ALQUIMIA ESTÁ EM VOCÊS! - SAINT GERMAIN
A NOVA ERA DE OURO, A ERA DA ALQUIMIA - SAINT GERMAIN
PROCURE O SEU EQUILÍBRIO! - KRYON

LinkWithin

O BERÇO DA 7ª RAÇA!



O BERÇO DA 7ª RAÇA!

Filhos das Estrelas, Saudações do Cosmos Universal!

Eu sou Ramathis, aquele que veio do Oriente!


Amados filhos, a hora é chegada de compreenderem as verdades sobre a criação do Planeta no qual habitam.


O Planeta Shan é uma experiência do Criador, que quis reunir em um único espaço físico, o encontro de almas provenientes de inúmeros locais da criação, de planetas diversos, com evoluções diversas, podendo oferecer a cada um que aqui se dispusesse a ancorar vossos antakaranas, pudessem receber numa velocidade infinitamente maior, o benefício da evolução perene que coroa toda experiência de vida de acordo com os propósitos divinos.


Vamos compreender o que lhes quero dizer hoje, vocês estão unidos a seres que se dispuseram, na grande maioria de vocês, a virem experienciar a diversidade na busca da unidade. E esse é o grande segredo que os UNE, pois todos, sem exceção, almejam a evolução cíclica mais intensa que esta oportunidade poderia oferecer a qualquer ser vivente da Criação.



E o Pai, ciente da necessidade de muitos que se encontram atrasados em suas caminhadas cósmicas, e atendendo a um grande clamor de misericórdia do Aspecto Feminino Divino da Criação, os atendeu e assim criou o Planeta Shan.



No entanto, a busca da unidade na diversidade contou ainda com o grande obstáculo que vocês costumam denominar de O VÉU DE ÍSIS. E isto os igualava na medida que proporcionava o esquecimento de quem eram realmente.



Na realidade, amados filhos, este VÉU não é um empecilho, de modo algum, é o grande NIVELADOR entre vocês, pois enquanto estão mergulhados na carne e atrás desse véu, nada os diferencia, a não ser a anatomia possível a ser utilizada sobre esse Planeta Shan.



Vale aqui uma observação de que as Raças que compõem a população do Planeta Shan, hoje estão reunidas em 6 raças com ciclos completos; e, a 7ª Raça que se inicia nesse momento de transição planetária, cujo papel é o de restaurar todo o aprendizado trazido com os arquivos akashicos anteriores e, somado aos arquivos que vocês trouxeram de outros orbes, manifestarão a mais completa potencialidade existente em vossos DNA’s.



Entendam, amados filhos, a 7ª Raça que nasce nesse milênio está parcialmente sob o VÉU DE ÍSIS, pois vocês descobrirão por meios diversos, a sua origem estelar e com essa informação, trarão todo o manancial de conhecimento já produzido por vossas Estrelas Cósmicas, a qual os habilitarão de forma consciente a CONSTRUÍREM A NOVA TERRA.



A 7ª Raça que surgirá a partir do movimento de renovação planetária é a grande CHAVE que os conduzirá com segurança à evolução do PLANETA SHAN.



Já quanto o corpo celeste representado por GAIA, esta terá o seu ciclo findado, e com sua missão cumprida seguirá para outro local a ser designado pelo Criador.


Mas, a estrela ISHTAR que substituirá GAIA, já se encontra acoplada na HOLOGRAFIA CÓSMICA do Planeta, aguardando somente o momento de finalmente DESPERTAR tal qual REBENTO que nasce de um parto natural.



Ora, amados filhos, compreendam que vocês fazem parte desse processo amoroso de revolução das energias que circundam o orbe terrestre, e vocês são a chave da iniciação dos que comporão a Raça que está a se formar sobre a Terra. Mas não se esqueçam que há uma grande responsabilidade em serem os condutores, os que darão tal como MOISÉS aos Hebreus, as primeiras lições...



Mestres, Professores, Monitores, Orientadores, chamem do que quiserem, nada vos tirarão o papel de primogênitos da 7ª Raça. E isto se deve ao fato de que são os primeiros a reconhecerem a origem estelar com propósitos de compartilhamento com os demais irmãos de jornada, contudo, sem o elitismo que caracterizou as Eras Passadas, pois estas privilegiavam e segregavam as informações relacionadas à História pregressa da Humanidade.



Pois o conhecimento, amados filhos, era tido como fonte de Poder, o que não mais se caracterizará na nova ERA e com a NOVA RAÇA. Por que é a vontade do Pai que ora se instaura sobre o Planeta Shan.



Saibam que o conhecimento das fontes estelares, dos universos, das raças que chegaram e chegam até vós, serão compartilhadas amorosamente com os demais, sem, contudo, representar a posse de tais conhecimentos, como algo a ser retido, isso NÃO!

Pois, como também já vos disseram os Pleiadianos, a RETENÇÃO era a prática DOS QUE AINDA VIVIAM NA ESCURIDÃO!



E Agora, amados Filhos, vocês inauguram a ERA DE OURO da Sabedoria e da Luz!

Eu sou Mestre Ramathis e participo diretamente da instauração da Nova Ordem Planetária de Shan, e com ela, instauraremos o início da 7ª Raça!



Todos de coração e mentes abertas recebam essa mensagem de amor, alegria e muito trabalho aos que ficarão para garantir a concretização da vontade do Criador.



Da unificação do oriente com o ocidente, nascerá no berço da 7ª raça a verdadeira AUMBANDHAN, pois prosseguirá com a história da Planeta Shan, e com a sua nova fase pós transformações planetárias.

E esse é o intuito de todos, e no momento adequado compreenderão que a cada um foi contemplado com dons específicos que, ou foram trazidos com vossas almas, quando da descida a esse Planeta, ou ainda foram desenvolvidos através das inúmeras experiências nesse Planeta Shan.

É SÓ UM CADINHO... - PAI JOÃO DE ANGOLA (doutrina dia 27 de Outubro de 2010)



É SÓ UM CADINHO...

Mensagem de Pai João de Angola, canalização de Flávia Sexas, 27.10.2010, às 00:52h(Rio Grande, RS)




Boa Noite!

Meus amados fios do coração, oceis tão bem?

Que alegria vir aqui e ver que oceis tão contente, por que a festa do nosso Senhor Jesuis traz sempre muito amor, paz e alegria pra todos voceis...

Meus fios de fé, sintam em seus corações a verdadeira alegria que é servir ao Pai Maior, quanta satisfação ver os filhos doando seus sentimentos aos irmãos que pedem por prece e oração.

É isso, Deus espera de nóis que todos façamos nossa parte, cada um de nóis tem o dever de levar um pouquinho do nosso calor, da nossa fé, da nossa confiança no Criador para aqueles que se encontram em provação mais dolorosa que a nossa.

Assim, meus queridos fios do coração, oceis vão aprendendo que compartilhar um tiquinho desse amor, dessa energia, não é dar e ficar sem, não!
Ora, ora, quem falou essa bobeira?

Pelo contrário, doar energia nessa terra meus fios queridos, é na realidade acumular tesouros nos céus, e arguem aqui nunca deu um pouco de si para o próximo? Não, inda dá tempo, pois uma palavra, um carinho, um incentivo, um sorriso, pode significar muito para àquele que se encontra em dura prova do caminho...

Mais digo isso para oceis, purque sei que tem muita gente nesse instante, achando que fazer caridade é pegar o troquinho da poupança e fazer logo a abastança...

Não, não é isso não, meu caro irmão!

Fazer caridade é semear no coração do próximo o amor que oceis trazem em seus próprios corações, e assim multiplicar o amor cristão que deve ser compartilhado com todos os irmãos!

Eita mundão bão né?

Viram só como é facinho, oceis pensam que precisa de tanta coisa, e só precisam de um cadinho...

Um cadinho de amor,

Um cadinho de fé,

Um cadinho de esperança,

Um cadinho de carinho,

Um cadinho de alegria,

Um cadinho de perseverança,

Um cadinho de paciência,

Um cadinho de sabedoria,

Um cadinho de bondade...

Ai, ai, ai...

E eu venho aqui nessa ciranda, purque pra mim é uma alegria compartilhar com oceis essas doces lições de sabedoria...

Ah, oceis acham que esse pretinho ta muito esperto?

Que tá se achando?

Não é isso não, carma lá, que não to me valorizando...

Eu to querendo dizer proceis, que é justamente o contrário,

A caridade

É isso

Cada um dá o que tem

E eu, preto velho, Pai João de Angola, só dou o meu melhor,

Logo, só venho aqui pra repartir um poquinho do meu saber...

Que a custo de muitas vidas consegui juntar em meu saquinho, e toda vez que aqui chego...

Quero logo dá um cadinho proceis...

He, He, He...

Mas agora, já é tarde, e tenho que vortar,

Como oceis já sabem, lá também tenho meus compromissos,

Mas contem comigo sempre, pois sou preto desse cazuá, e querendo um papo comigo é só me chamar..

Com amor e carinho,

Pai João de Angola vai saindo de fininho...

E que a Paz de Jesus more em seus coraçõezinhos!

Poderá também gostar de:
LinkWithin

PAI JOÃO DE ANGOLA
PROSEANDO COM O PAI JOÃO
CORAÇÃO DE PRETO VELHO! - PAI JOÃO DE ANGOLA
TUDO NA VIDA É UMA CIRANDA
Mensagem de Pai João de Angola, em 27.10.2010

UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É XAMANISMO?



Na internet
deoxy.org/shaman.htm


O que é xamanismo?



Nos primórdios da humanidade, não havia fronteiras entre ciência, arte e religião. Tudo se fundia em uma única busca: conhecer as forças da natureza e saber usá-las em benefício do homem. Esse era o domínio do xamã, figura tribal que exercia múltiplas funções - de sacerdote e curandeiro, pesquisador do poder de cura das plantas, a músico e poeta, narrador e guardião dos mitos e histórias do seu povo. O termo original saman vem justamente do verbo "conhecer" na língua siberiana manchu-tungus, significando "aquele que conhece" ou, simplesmente, "feiticeiro". Em português (ou melhor, tupi), o exato equivalente seria "pajé". A definição clássica de xamanismo - "técnicas arcaicas de êxtase" - pertence ao filósofo romeno Mircea Eliade (1907-1986), especialista em História das Religiões e um dos vários estudiosos que ficaram impressionados com o modo como as práticas xamânicas se reproduziam identicamente entre nativos de regiões tão distantes quanto Sibéria, Austrália e Amazônia. A principal delas, como destaca Eliade, é entrar em transe - por meio de ritmos repetitivos tocados em tambores ou de substâncias psicoativas encontradas em fungos ou vegetais. Nesse estado alterado de consciência, o xamã seria capaz de realizar o chamado "vôo mágico": desprender-se do próprio corpo para viajar a outros planos do universo, para o além. "Nesses mundos - alguns celestiais, outros subterrâneos -, ele vai resgatar almas perdidas. Isso porque, na crença desses povos, quando alguém está doente é porque sua alma está perdida", diz o antropólogo Robin Wright, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Outro traço comum às diversas tradições xamânicas é trabalhar com "espíritos aliados" - tanto de seus ancestrais, quanto de bichos selvagens e ervas medicinais. São os chamados animais e plantas de poder, que o ajudam a viajar por outras dimensões e a curar males físicos e psicológicos, além de conduzir rituais que propiciem a caça e a fertilidade da natureza.
Não importa sua origem, todo xamã costuma invocar, em seus rituais, os espíritos do mundo animal e vegetal.

Norte-americano
Suas principais práticas são a inipi ("tenda do suor", sauna indígena à base de pedras escaldantes ) e a "busca da visão" - peregrinação em jejum e isolamento. Entre seus "animais de poder" destacam-se o coiote e a águia que, encarnados pelo mago, transmitem ensinamentos à tribo. A "planta de poder" mais comum é o peiote, botão de cacto celebrizado pelos livros do antropólogo transformado em xamã Carlos Castañeda

Sul-americano
As plantas da floresta constituem o principal intrumento de cura e conhecimento dos xamãs amazônicos. Duas delas - o cipó Banisteriopsis caapi e o arbusto Psychotria viridis - se combinam na bebida ayahuasca ("vinho dos espíritos"), considerada a grande professora. O tabaco também é usado para afastar maus espíritos e os animais cultuados são a onça e a jibóia. Enquanto seus colegas da América do Norte usam tambores, seu instrumento é a maraca (chocalho de cabaça)

Aborígene
De acordo com os nativos australianos, a dimensão sobrenatural que governa nosso mundo é o chamado Tempo dos Sonhos. Para obter poder e conhecimento, os xamãs têm de viajar a esse universo paralelo e encontrar a Grande Serpente Arco-Íris, símbolo da fertilidade e da vida. Eles também possuem uma forte ligação com cavernas, acreditam entrar em contato com as forças dos reinos subterrâneos

Esquimó
Os xamãs da região ártica usam máscaras de feições aterrorizantes para representar seu poder - capaz de transportá-los, em espírito, ao fundo do mar e atravessar o gelo até o submundo, onde resgatam a alma dos enfermos. Eles também invocam os espíritos dos animais que desejam caçar (baleias, morsas, caribus e ursos), para negociar a alimentação de sua aldeia

Siberiano
Na região de onde vem a palavra "xamã", o animal cultuado é a rena. Seu couro é utilizado na vestimenta de proteção contra ataques de espíritos malignos e na confecção do tambor, principal instrumento de poder dos magos curandeiros da Sibéria. Eles acreditam que a alma do animal sobrevive no tambor e pode guiá-lo em seus transes - muitas vezes induzidos com a ajuda do cogumelo alucinógeno Amanita muscaria
Muitos historiadores, arqueólogos e antropólogos acreditam que a origem do xamanismo está na Europa do final da Idade da Pedra, entre 30 000 e 20 o00 anos atrás. A evidência principal estaria nas magníficas pinturas rupestres encontradas em cavernas da Espanha e da França. A maioria delas representa animais como cavalos, bisões e cervos, provavelmente com a intenção simbólica e ritualística de propiciar a caça, fazendo um pacto com os espíritos desses bichos. Mas a imagem mais enigmática de todas é a figura acima, pintada na parede da caverna de Trois Frères, no sul da França: uma criatura semi-humana, batizada de Feiticeiro Dançarino, com orelhas de lobo, chifres de veado, rabo de cavalo e patas de urso. Há duas interpretações para ela. Para alguns estudiosos, trata-se do registro mais antigo da união de um xamã com seus animais de poder. Outros acreditam que seja uma entidade sobrenatural: o Grande Espírito da caça e da fertilidade animal. As primeiras esculturas e instrumentos musicais (tambores e flautas feitas de ossos), são da mesma época, reforçando a tese de que os xamãs foram os criadores não só das artes visuais, como da música e da poesia lírica.



Bases do Xamanismo

Algumas bases do xamanismo:

Conexão com a natureza e compreensão de seus ciclos.

Os xamãs baseiam-se na observação constante da natureza e de seus ciclos a fim de compreenderem a si próprios. Amam e reverenciam os espíritos da natureza reconhecendo os aspectos dos mesmos em si. Buscam nas diferentes energias que ela oferece simbologias de suas forças interiores.

Alguns aspectos de grande foco dos xamãs:

Sol – Grande fonte de luz e energia para os habitantes da Mãe Terra. Simboliza a energia Yang, masculina. É o símbolo da vitalidade, representando nossas vontades, desejos, nossa essência. É a magia que nos faz brilhar.

Lua – Representa o movimento e o princípio feminino. Dirige o mundo dos sonhos, da imaginação, dos fluxos, da sensibilidade e das emoções.

Planetas – Cada um dos planetas tem características específicas: Mercúrio: Energia do intelecto, indica a forma e habilidade de comunicação, idéias, maneiras de pensar, inteligência, intelectualidade, juventude.

Vênus - Rege a afetividade, relacionamentos, amor, beleza, habilidades artísticas, senso estético.

Marte - Energia de iniciativa, força, coragem, o lado guerreiro.

Júpiter - Energia de abundancia, prosperidade, expansão, oportunidades, sorte, otimismo, aventuras, conhecimentos filosóficos, viagens e excessos.

Saturno - Energia de disciplina, realidade, estrutura, limitações, paciência, rigidez, cobranças, construção.

Urano - Energia da revolução, liberdade, do inesperado, imprevisível, surpresas, mudanças súbitas.

Netuno - A inspiração, o sonho, a ilusão, a compaixão, o misticismo, a fé, a espiritualidade, a intuição.

Plutão - A transformação, renascimento e renovação. É também o planeta que trabalha com a sexualidade, poder e a mente inconsciente que não controlamos.

Animais, Plantas e Minerais - Cada espécie animal tem uma sabedoria e qualidades específicas que podem ser utilizadas para várias situações. O trabalho com os animais auxilia a despertar tais qualidades e características dentro de nós.

4 Elementos: Água, Terra, Fogo e Ar - Atualmente os xamãs estão trabalhando também com o 5o elemento: éter.

Direções sagradas
Norte (ar), Sul (água), Leste (fogo), Oeste (terra), em cima (pai céu), em baixo (mãe terra/centro da terra) e dentro de si.

Respeito
A palavra "respeito" significa "olhar novamente" , olhar além da primeira impressão e estar disposto a ver o que não está óbvio.
Nós mesmos, precisamos de respeito para limpar nossos egos. Quando nós estamos dispostos a olhar para uma nova luz, sem julgamento, nós adquirimos uma maior confiança e coragem em nossas vidas. Nós aprendemos aceitar nossas limitações e estamos dispostos a ampliar nossos horizontes e limites para viver a vida mais completamente.

Respeito para com os outros no aprendizado é fundamental. Quando nós estamos dispostos a ver as pessoas sob uma nova luz, damos a elas o espaço que precisam para crescer; nós não as limitamos pelas nossas expectativas ou julgamentos .

O respeito com a Mãe Terra vem do aprendizado de que nós não somos donos dela, somos sim filhos dela. Nós precisamos da terra para viver. Para que nós possamos viver em harmonia, nós precisamos proteger a Terra dos efeitos da poluição, da devastação e assim por diante. Respeitar a Terra completamente, exige que respeitemos a tudo e a todos, enxergando tudo como parte integrante de nós, e logo, parte integrante de Deus.

Foco no “aqui e agora”
O xamã está completamente focado no presente, pois as modificações realizadas no presente são capazes de alterar o passado e futuro.

Viver cada momento como sagrado, é reconhecer que todas as coisas são interligadas numa grande Teia Cósmica. O aprendizado é viver completamente agora mesmo: Carpe Diem. O aqui e agora é o ponto no qual o poder do xamã existe; é o único ponto do qual se pode fazer escolhas e mudar seu mundo.

Auto consciência em todos os níveis

Ritmos
Trabalho com músicas e ritmos para levar o indivíduo a um estado elevado de consciência.

Foco no hemisfério direito do cérebro

Respiração consciente
Respirar é uma fonte de vida; sem isto, não sobreviveríamos. Quando nós respiramos conscientemente, nós sentimos o controle desta fonte de nossas próprias vidas, acalmando nossas emoções e nos fortalecendo interiormente. Para respirarmos conscientemente é importante aprender corretamente a respirar. Você deve colocar toda sua consciência em sua respiração e nos efeitos que a respiração consciente causa em seu corpo.

Gratidão
Sentimento pleno de gratidão por todas as coisas. O sentimento de gratidão é que possibilita o fechamento dos ciclos de prosperidade e recebimento, sem este sentimento o ciclo fica interrompido e a energia se perde ao invés de se renovar.


Na livraria - O Xamã, Piers Vitebsky, Evergreen, São Paulo, 2001
O Caminho do Xamã, Michael Harner, Editora Cultrix, São Paulo, 1995
Shamanic Voices, Joan Halifax, Penguin Arkana, Estados Unidos, 1979
The Strong Eye of Shamanism, Robert E. Ryan, Inner Traditions, Estados Unidos, 1999

UM POUCO DE HISTÓRIA - XAMANISMO HAVAIANO HO'OPONOPONO

Os Sete Princípios do Xamanismo Havaiano, seus Atributos e Talentos

IKE: O mundo é o que você pensar que ele é.
Kala: Não existem limites.
Makia: Para onde for a atenção para lá irá a energia.
Manawa: O momento do Poder é agora!
Aloha: Amar é estar feliz com...
Mana: Todo o poder vem do seu interior.
Pono: A verdade é medida por sua efetividade.

(COROLÁRIO – é o que se deduz de uma verdade estabelecida)

1º. Ike - O mundo é o que você pensa que é.
Corolário: Tudo é sonho. Todos os sistemas são arbitrários.
Utilização do poder do pensamento.
Cor branca

2º. Kala - Não há limites.
Corolário: Tudo está interligado.
Tudo é possível.
Separação é apenas uma ilusão útil.
Utilização das ligações energéticas.
Cor vermelha

3º. Makia - A energia segue o fluxo do pensamento.
Corolário: A atenção segue o fluxo energético.
Tudo é energia.
Utilização do fluxo de energia.
Cor laranja

4º. Manawa - Seu momento de poder é agora.
Corolário: Tudo é relativo.
Utilização do momento presente.
Cor amarela

5º. Aloha - Amar é compartilhar.
Corolário: o amor aumenta quando o julgamento diminui.
Tudo está vivo, atento e reativo.
Utilização do poder do amor.
Cor verde

6º. Mana - Todo poder vem de dentro.
Corolário: Tudo tem poder.
O poder vem da permissão (da criação).
Utilização do poder da permissão (da criação).
Cor azul

7º. Pono - A efetividade é a medida da verdade.
Corolário: Existe sempre outra forma de se fazer algo.
Utilização do poder da flexibilidade.
Cor lilás

A cada princípio, corresponde um atributo; representam qualidades especiais a serem desenvolvidas e são percebidos de maneira diferente do que comumente fazemos.

Os Talentos

Os princípios e seus Talentos são:

1º. Ike - Visão; é uma maneira diferente de se perceber as coisas; é a visão metafísica da realidade.

A visão comum das coisas chama-se Ike Papakahi; é a visão do primeiro nível. A visão metafísica chama-se Ike Papalua; é a maneira de se perceber a realidade atuando num segundo nível, de onde se controla o primeiro.

2º. Kala - Esclarecimento; é a maneira que se tem para agir fazendo com que se consiga claramente a união do seu eu com o universo; é a transformação do homem em um ser holístico.

3º. Makia - Focalização; focalizar em sua mente suas intenções, objetivos, metas e propósitos são os modos de se conseguir uma revisão permanente de suas motivações, o que lhe dá maior eficiência em suas ações e uma maior capacidade de frustrações. Isso é possível quando se consegue sentir que na focalização existe uma segunda situação, que só é percebida, quando a percepção se torna inconsciente transformando a linguagem de analítica em intuitiva. Nessa fase não há separação: nós somos o todo.

4º. Manawa - Presença; sendo o presente o nosso tempo, o aqui/agora e o agora/aqui são situações das quais tiramos todo proveito para nosso entendimento e compreensão e quanto mais atentos estivermos, mais presentes nos faremos e mais frutos colheremos de nossas ações.

5º. Aloha - Bênção; em todas nossas intenções, atitudes e ações, se conseguirmos reforçar o bem presente ou potencial, quer pela palavra, imagem ou ação, poderemos sentir a bondade, enxergar a beleza e apreciar a perícia com que se age. Assim, estaremos abençoando. O Xamã age de maneira diferente porque é capaz de abençoar o bem potencial através de desejos de sucesso às pessoas a quem se dirige.

6º. Mana - Permissão; para que qualquer coisa tenha poder, é necessário que lhe atribuamos este poder que queremos transmitir, isto é, autorizamos que tenha este poder. Isto pode ser feito com pessoas e objetos. Só se consegue isto com a energização do que queremos atribuir poder.

Assim como podemos dar poder, também podemos tirar.

O Xamã guerreiro personifica o mal lhe dando poder, aprendendo como conquistá-lo. O Xamã destemido tira o poder do mal o despersonificando e aprendendo sobre ele, conseguindo a harmonia, fazendo assim, que o mal desapareça.

7º. Pono - Tecelão de sonhos; o Xamã tece seus próprios sonhos desenvolvendo suas habilidades e assim, poderá ajudar os outros a tecerem seus sonhos. Ele usa esta habilidade para fazer suas curas que têm um sentido diferente das curas comuns. Por exemplo, um massagista, massageando o corpo de um paciente está usando suas mãos para curar o corpo físico do paciente. O Xamã massagista, massageando, estará usando o corpo físico como ferramenta para tecer um novo sonho e curar o espírito. São duas situações em que as ações são semelhantes, mas as intenções e atitudes são diferentes.

COMPLEMENTANDO:

1º IKE - Como você se sente depende de como você pensa. Sua realidade é criada pelo que você pensa e sente.

2º KALA - Tudo ouve o que você diz e sente o que você sente. Sua realidade é criada pelo que você sente, ouve, diz e pensa!

3º MAKIA - O que você quer é mais importante do que o que você não quer. Reafirme sempre o que quer, dando força e reafirmando todo o tempo a vibração do que quer para você. Quando pensamos no que não queremos damos força e reafirmamos o que não queremos para nós mantendo a vibração próxima, não nos afastando e sim nos aproximando do que não queremos!

4º MANAWA - As coisas não acontecem ontem e elas não acontecem amanhã; elas só podem acontecer agora. Não pense no que já aconteceu, pois não há como refazer, não pense em como seria bom se tivesse, pois se usar seu presente só pensando no que seria, não construirá agora o que quer para você!

5º ALOHA - Quanto mais feliz você é, mais sorte você tem. A felicidade vibra numa freqüência que aproxima mais felicidade e mais sorte para quem a sente!

6º MANA - Sempre há alguma coisa que você pode fazer. Não há problema insolúvel, não há estrada sem saída! Tudo sempre tem uma saída, tudo sempre tem uma solução!

7º PONO - Sempre faça o que funciona. Se você fizer algo que não funcione, faça diferente! É necessário aprender a diferença entre persistência e teimosia!

Sebastião de Melo

O primeiro ocidental que começou a desvendar os segredos da filosofia de vida dos havaianos tenha sido o americano Max Long. O cotidiano ancestral já havia sido destruído por missionários religiosos e pela invasão de valores ocidentais há um bom tempo quando ele chegou ao Havaí, em 1917. Depois de 18 anos mergulhado em seus estudos nas áreas da psicologia e da etimologia, Long, chegou à conclusão de que havia uma filosofia psico-religiosa por traz do dia-a-dia ancestral e do simples ato de surfar.

A língua havaiana não é apenas um idioma, e sim um verdadeiro raciocínio lingüístico. Cada palavra é um "cacho" de significados, indicados pelos contextos em que se encaixam. Não existia um profano dissociado do sagrado, ou vice-versa. Um exemplo: em nossa sociedade, ora buscamos dinheiro, ora buscamos Deus, numa proporção cada vez mais descompensada.

Os havaianos buscavam os dois o tempo inteiro.

"Tudo que eles faziam era com devoção.

Eles viviam na eternidade do agora, como sugeririam Eckhart Tolle, Deepak Chopra, Dalai Lama e os demais gurus de hoje. Na sabedoria havaiana, o aqui e o agora de cada tarefa do cotidiano é o único território onde a fusão entre o profano e o sagrado pode ser efetivamente realizada e perpetuada. Talvez a maior prova disso seja o fato de que na língua havaiana não há termos para o futuro ou o passado.

As atividades do cotidiano (plantar, colher, construir, surfar…), por mais diversas que aparentem ser, são unidas no plano sagrado por "segundas intenções" espirituais que todas as tarefas têm em comum. Elas são a busca de uma energia metafísica que o havaiano chama de "mana". Essa energia, ignorada pelo mundo ocidental, é cultuada pelo mundo oriental na forma de "prana" na Índia, e de "chi" na China. Cada uma dessas três tradições considera essa energia vital, o alimento primordial da alma, que também sustenta o corpo.

A Filosofia

Huna quer dizer: Segredo, não no sentido de manter algo oculto, mas sim de descobrir um sentido mais profundo da nossa existência.

Conhecimento oculto ou realidade secreta é a realidade mais difícil de ser vista. Também significa princípio feminino, mais princípio masculino, o que corresponde´à manifestação da vida.

Leinani Melville diz que Huna é "profundidade". Serge Kahili King define Huna como “o que é oculto ou o que não é obvio; nome dado ao conhecimento dos Kahunas, filosofia de realização, utilizada em qualquer contexto, pessoal,científico, religioso".

Max Freedom Long assegura que "qualquer associado da Huna não deve desistir de sua fé tradicional, pois Huna é uma ferramenta que pode ser usada por todos a qualquer hora em qualquer contexto." E esta definição é a mais correta e a que é mais aceita pelos que praticam o Kahuna!

Conceitos

1. A parte teórica nos diz que o ser humano é formado de três espíritos ou aspectos independentes entre si, mas interligados nas ações, quando um depende do outro para se desenvolverem e de um corpo físico quando reencarnados. Existe uma energia que chamamos de “mana” que é o elemento de coesão entre os três, tendo cada um sua própria mana. O corpo é uma imagem manifestada dessa coesão por meio de uma substância. Essa substância de origem divina permeia todo o universo e em consonância com a mana torna possíveis as manifestações – a qual se denomina “substância aka”. Para que isso ocorra, cada espírito possui um corpo-aka que lhe é peculiar e tem funções determinadas. Sendo a Huna uma teoria de transformações, costumamos denominar cada um desses elementos pelos seus nomes na Língua Havaiana.

Esses conceitos chegaram até nós por intermédio dos estudos de Max Freedom Long, Serge King e outros que buscaram na antiga tradição havaiana os elementos teóricos. Essa conceituação teórica se sintetiza na prática no que se denomina “Prece Ação”.

Como todo sistema é arbitrário e relativo por ser interpretativo, a Huna também o é. Isso nos dá a liberdade de sermos ou não adeptos da Huna, conforme nossa interpretação desses ensinamentos.

2. Na parte prática, temos entre outros elementos, a Prece Ação já citada acima, com a qual obtemos bons resultados. Ela é usada principalmente, para curas e alívio de qualquer tipo de sofrimento. Obtemos resultados eficazes, pelo fato de trazer um enfoque diferente de como se deve fazer uma prece. Isso só se torna possível depois de conhecermos os conceitos da Huna. A leitura atenta e livre dos Evangelhos nos mostra que esses princípios da Huna não foram esquecidos por Jesus.

A parte prática da Huna está concentrada no xamanismo. O xamanismo ensinado pela Huna refere-se ao Xamanismo Havaiano. Tudo começou quando se reuniram grandes mestres Kahuna para sintetizarem os ensinamentos em alguns princípios que pudessem traduzir o pensamento e as atitudes que deveriam ter aqueles que se dedicassem a usar a Huna.

Princípios

O princípio básico da Psicofilosofia Huna é não ferir, isto é, não causar sofrimento a si mesmo, aos outros e à natureza.

Podemos evitar isso não nos omitindo nas situações que exigem de nós atitudes coerentes, que promovam o nosso equilíbrio e do meio em que vivemos. Não devemos nos exceder em ocasiões em que depende de nós um bom senso para que tudo transcorra serenamente. Não podemos permitir que sejamos usados para ações que causem prejuízos por exacerbação das mesmas. Qualquer ação que pratiquemos depende de uma intenção; assim, é a intenção a mãe de todos os problemas e virtudes que acontecem. Concluímos então, que é na intenção que está tudo que praticamos na vida e é nela que devemos focalizar toda nossa atenção para que não caiamos na omissão ou no excesso que nos conduzem ao desequilíbrio físico e mental, quando praticamos ações que provocam sofrimento e danos a nós mesmos e em geral.

Assim sendo, é a intenção o alvo de nosso “orai e vigiai” para que possamos crescer e evoluir na constante busca da felicidade. A Huna tem princípios e ensinamentos que nos ajudam nessa busca de uma maneira mais suave e simples, deixando de ser o sofrimento o paradigma de crescimento e evolução.

“O mistério da vida está além de toda concepção humana. Tudo o que conhecemos é limitado pela terminologia dos conceitos de ser e não ser, plural e singular, verdadeiro e falso. Sempre pensamos em termos de opostos, mas Deus, o Supremo, está além dos pares de opostos, já contém tudo em Si”.


Joseph Campbell

Abraham Fornander, que morava no Havaí no Século XIX, fez extensos estudos da cultura e da lingüística desse povo na tentativa de provar que o berço da civilização Polinésia foi o Oriente Próximo.

Max Freedom Long também estava convencido disso, e alegava ter recebido confirmação para sua hipótese de Stewart, que viveu entre os berberes no norte da África. Atualmente, antropologistas mantêm opinião de que os Polinésios vieram da Índia ou do sudeste da Ásia e Thor Hyerdahl acredita que a origem foi na América do Sul.

Os havaianos, no entanto, reivindicam que seu conhecimento e sua cultura são originários da região do Pacífico e que dali expandiram para o resto do mundo. Assim pensam Leinani Melville, James Churchward e Serge Kahili King.

Existem inúmeras coincidências de nomes e significados em diversos lugares da terra, que fazem os estudiosos pensarem na antiguidade e difusão dos ensinamentos polinésios.

No Antigo Testamento há muito conhecimento Huna oculto nos nomes de pessoas e lugares. Um bom exemplo é a historia do Jardim do Éden que possui uma gama de significados ocultos que descrevem o processo para se manter um elevado estado de prosperidade e alegria e os efeitos que ocorrem quando se permite que pensamentos e atitudes negativas dominem.


O Jardim do Éden é um estado de consciência e não um local que existiu na terra.

Compreender a essência das filosofias ocultas requer uma completa mudança no pensar por parte do estudante e são poucos os que realmente se interessam. A maioria das pessoas é preguiçosa e deseja a lua, mas não quer se esforçar esperando milagres sem conseguir a necessária transformação interior.

A pessoa que idealizou o símbolo da Huna devia conhecer ocultismo e o modo como colocar a essência de um conhecimento secreto em um desenho com algumas frases escritas. A grande dificuldade não é descrever e explicar o conteúdo do símbolo. O difícil é apreender os princípios aí implicados e praticá-los para a melhoria pessoal e da humanidade.

O símbolo Huna tem em sua parte inferior a seguinte inscrição: “IKE AO NEI”, cujo significado é“Antigas Revelações para o Mundo”.

A figura utilizada pelos desenhistas do símbolo foi o círculo. Segundo Jung, “o círculo é uma das grandes imagens primordiais da humanidade e ao nos determos nesse símbolo estamos analisando o próprio eu. As imagens circulares refletem a psique – relação entre essa forma geométrica e a real estruturação de nossas funções espirituais”.

O círculo representa a totalidade. Tudo dentro do círculo é uma coisa só, limitada e circundada – é o aspecto espacial.

O aspecto atemporal refere-se à parte que vai a algum lugar e volta sempre.
A Huna é plena de símbolos em sua mitologia e também na parte psicofilosófica. Os seus primórdios remontam à época dos primeiros habitantes de Mu, no Pacifico. Os primeiros espíritos vieram do Criador e adquiriram a veste corporal humana em Mu também chamado de Ta Rua, Havai’i-ti-Havai’i, Tahiti. Desenvolveram um sistema de vida, uma linguagem bastante aprimorada para conter os ensinamentos e prepararam indivíduos para a propagação dos conhecimentos por ele praticados (os naacals).

O povo de Mu era definido pelos kahuna como predecessores, pessoas pequenas que formaram a primeira civilização do mundo; pessoas silenciosas que se moviam tranqüilamente e trabalhavam sem barulho, pessoas reservadas que preservaram seu conhecimento em silêncio. Referem-se a eles como pessoas lendárias, que viveram no Havai’i há muito tempo.

Após o desaparecimento de Mu em um terrível cataclismo, restaram os mestres do sistema em outros continentes e nas ilhas Polinésias.

Esse conhecimento não se perdeu porque transmitiram oralmente a muitos seguidores toda a mitologia, lendas e conhecimentos sobre a psique humana.

Teria sido essa a forma que as divindades encontraram para transmitir os ensinamentos psicofilosóficos?
Se assim foi, muitos pesquisadores das civilizações da Polinésia estavam certos, pois acreditavam que a maioria dos preceitos existente provinha das lendas e narrativas transmitidas pelos Deuses. As ilhas do Havaí não poderiam fugir à regra, pois os kahuna sabiam muito sobre a mente humana, talvez mais do que possamos imaginar.

Apesar de ser uma tradição oral, de ter ocorrido grandes mudanças de ordem política e religiosa, a história e a mitologia ainda nos proporcionam muitas áreas de estudo.

Como no círculo simbólico a Huna caminhou bastante e voltou aos princípios básicos existentes na tradição secreta, na mitologia e no conhecimento da mente com explicações psicológicas que só foram desenvolvidas no século XX.

As grandes revelações muito antigas deixadas para o mundo foram: a mitologia havaiana, o Tumuripo ou Cântico da Criação (embora faça parte da mitologia deve ser estudado separadamente, devido à importância do conteúdo para esclarecimento na história da humanidade) e a tradição secreta.

Mitologia
Todos os mitos são verdadeiros em diferentes sentidos. Toda mitologia tem a ver com a sabedoria da vida, relacionada com uma cultura específica, numa época específica. Integra o individuo na sociedade e a sociedade no campo da natureza. Une o campo da natureza à natureza individual. É uma força harmonizadora.

A mitologia havaiana se integra perfeitamente dentro desse conceito.

O Criador Supremo era a figura mais importante da mitologia havaiana e seu símbolo era um círculo com um ponto no centro. O panteão da mitologia havaiana possuía doze divindades principais.

No plano celestial mais elevado encontra-se o Supremo, Teave ou Ra que tinha em seu pensamento a essência da futura polaridade (Eri Eri e Uri Uri).

Teave Eri Eri e Uri Uri formam a Trindade Suprema. A seguir Tane e Na’Vahine que são manifestações dos filhos diletos de Teave (Eri Eri e Uri Uri) deram origem à primeira trindade manifestada Teave, Tane e Na’Vahine. As manifestações seguintes são as dos filhos de Tane e Na’Vahine, os príncipes Tanaroa, Tu e Rono. Tanaroa é o regente do Pacífico Sul onde reina sobre as águas; é também o Deus da noite que zela pelas crianças do arco-íris depois que o sol se põe.

Tu, Deus das colheitas e da agricultura e também membro da justiça do tribunal divino. É o guardião dos mistérios da natureza.

Rono é o Deus do sol terrestre e o Tumuripo foi composto em homenagem a ele. Rono é também o Deus da medicina, responsável pelas plantas que irão curar as crianças de Tane quando adoeceram. Responsável pelas crianças do arco-íris no período diurno.

Tane e Na’Vahine tiveram mais três filhas Rata, Tapo e Hina. Formavam a terceira trindade celestial. Rata tornou-se a companheira de Rono e a principal senhora do sol dessa Terra. Tapo tornou-se a esposa de Tanaroa e a deusa do Pacífico Sul. Hina casou-s e com Tu, tornando-se a deusa da agricultura e chefe da justiça do tribunal das leis do céu.

A outra trindade era formada por Vatea, Papa e Miru.

Vatea era o rei de Nu’umearani, o reino dos deuses e deusas da natureza. A deusa Papa, esposa de Vatea e regente feminina do quinto céu. Papa era conhecida por Haumea e às vezes mencionada como Ta Ruahine (senhora da cratera) era a mãe terra, a mãe da natureza dessa Terra.

Miru foi designado como o “Senhor do Mundo dos Espíritos”, onde vivem as almas dos homens após a morte física e tornou-se conhecido como o “Rei do Mundo dos Mortos”.

Na religião popular do Havai havia muitos deuses, deusas, fantasmas, gnomos, duendes e espíritos que mudavam de forma de acordo com suas vontades e que poderiam ser amigos ou inimigos dos homens. No entanto, esse aspecto era apenas uma distorção do verdadeiro conhecimento Huna.

Deus para a população e os missionários era akua. A verdade para a compreensão da psicofilosofia é de queakua significa “idéia pronta, totalmente em ação”.

Uma idéia totalmente ativa que provoca efeitos. A deusa Pele, por exemplo, é um akua.



O Tumuripo (Kumulipo no vernáculo moderno).
Muito da filosofia dos Kahuna, está contida no chamado cântico da Criação – Tumuripo, que está mais próximo de uma bíblia kahuna do que qualquer outra coisa. Originalmente era parte de uma tradição oral transmitida por kahunaS treinados em memorização e foi compilada na forma atual, em 1700 pelo Kahuna Keaulumoku. Todas as traduções que foram feitas, são de um manuscrito que era propriedade do Rei Kalakaua, muito interessado na origem divina dos reis do Havaí, na preservação das tradições havaianas, inclusive nos segredos da Huna e o papel dos kahuna como curandeiros.
Na filosofia kahuna tanto o mundo espiritual quanto o material adquirem forma, como resultado de uma interação entre forças relativas, freqüentemente representada por um macho e uma fêmea. Para cada Deus no panteão havaiano com pouquíssimas exceções, há uma complementação feminina para ajudar na criação. Muitos são nomeados nas primeiras sete seções do Tumuripo, juntamente com versos que falam sobre a formação das plantas e da vida animal na Terra. O oitavo e o nono cântico relatam o nascimento do homem com percepção consciente e sua multiplicação sobre a face da terra. As outras dezesseis seções na versão Kalakaua tratam das principais genealogias, com exceção de uma narrativa sobre um herói cultural Mauí.

Muitos estudiosos não concordam com a forma que foi traduzido. Em uma tradição oral, numa língua como a havaiana, é difícil traduzir fielmente o sentido das coisas ensinadas, pois há muitas sutilezas na pronúncia o que dificulta a transmissão do contexto para a palavra escrita.

Há no Tumuripo uma descrição muito bonita sobre o aparecimento do primeiro Ser. Isso aconteceu depois dos sete primeiros cânticos, chamados de “A Noite da Criação Espiritual”, que é o significado oculto do Tumuripo.

Na aurora do primeiro dia, quando os raios do sol dissiparam a longa noite, o primeiro Ser pousou na terra no Jardim do Sol Brilhante, Rarovaia. Era a deusa Ra’i Ra’i filha de Eri e Uri. Era o antepassado de Mu. Suas crianças foram concebidas imaculadamente porque o pai delas era o Rei que veio do Céu, o Deus Tane.

Através dos versos estruturados para rimar e terem ritmo, o poeta revela uma incrível compreensão dos poderes criadores do Deus e da Deusa. O Tumuripo eleva-se a altitudes de divina magnitude e é de fato a principal obra oriunda do Havaí.

A Tradição Secreta
O primeiro homem que revelou o código Huna para o ocidente foi Max Freedom Long. Professor no Havai durante vários anos, era fascinado pelos poderes dos kahuna. Possuíam técnicas de cura e de controle do meio ambiente que realmente funcionavam, mas não revelavam seus métodos a quem não fosse kahuna. Na busca do conhecimento dos kahuna Max Freedom Long observou três elementos: uma forma de consciência (no’ono’o), uma forma de energia (mana) e uma forma de substância (aka). No entanto, demorou muitos anos para decifrar o código oculto no radical das palavras e isso formava uma outra linguagem.

A idéia fundamental na psicofilosofia Huna é de que criamos nossa experiência pessoal de realidade, por nossas crenças, interpretações, ações e reações, pensamentos e sentimentos. Somos co-criadores com o universo.

A Filosofia kahuna e o xamanismo havaiano podem ser sintetizados em sete princípios que conduzem o homem ao ser trino.

Cada um deles é simbolizado por apenas uma palavra chave da Língua Havaiana.

1. Ike – O mundo é o que penso que ele é.
A experiência pessoal é adquirida através das crenças, expectativas, medo, julgamento, interpretação, desejos, sentimentos, intenções e pensamentos constantes ou persistentes.
2. Kala – Não há limites.
Não há fronteiras para sua individualidade, nem entre você e seu corpo, você e o mundo ou você e Deus. Divisões usadas para esclarecimentos são termos funcionais ou convenientes, pois a separação é apenas uma ilusão útil.
3. Makia – A energia segue o curso do pensamento.
Você adquire aquilo em que se concentrou. Os pensamentos e sentimentos revividos conscientemente ou não formam as imagens que trazem para a sua vida, a mais próxima experiência disponível, equivalente aos mesmos pensamentos ou sentimentos.
4. Manawa – Seu momento de poder é agora.
Você não é limitado por qualquer experiência do passado ou qualquer percepção do futuro, porque o passado é apenas uma lembrança e o futuro uma mera possibilidade.
5. Aloha – Amar é compartilhar com...
Aloha é a palavra havaiana que significa amor e este existe à medida que você é feliz com o objeto do seu amor.
6. Mana – Todo poder vem de dentro.
Não há poder fora de você porque o poder divino trabalha através de você na sua vida. Você é o canal ativo para o poder e é direcionado por suas escolhas e decisões. Ninguém tem poder sobre você e seu destino, a não ser que você dê permissão para isso. Quando esse poder é direcionado para as ações, surge a mana energia vital de onde se origina todas as formas de manifestação.
Todos e tudo têm poder e se você aprende a trabalhar respeitosamente com esses poderes, mais do que tentar impor sua vontade, eles poderão ser muito úteis.
7. Pono - A efetividade é a medida da verdade.
Em Pono os meios determinam o fim e não os fins justificam os meios. A cura é a meta e a eficácia é o critério e não a prova de um sistema particular ou método.
A flexibilidade é um dos atributos de Pono; há várias maneiras de se fazer as coisas.
Mana
Mana é o sopro divino que organizou Po e que permeia todo o universo.
A Mana Poder Divino é apanágio de Teave que em sua bondade transforma-a em mana energia vital, através de seus filhos (forças criadoras e geradoras do universo).
A manifestação de mana energia se dá pela força coesiva que forma toda substância e mantém a estrutura de todo kino, e, como fé, tem o poder de transformar uma energia em outra, fator que propicia as curas e a evolução pela permissão do talento do principio xamânico havaiano Mana.
Aka
Aka é a substância básica do universo físico e dela é formada toda manifestação. A palavra tem vários significados como sombra, espelho, reflexo, luminosidade transparência, semelhança, essência e embrião no momento da concepção.
Age como um espelho para refletir padrões de pensamentos nos níveis físico e psíquico.
Em relação ao pensamento é uma simples sombra. Os kahuna acreditam que essa substância pode ser formada e moldada pelo pensamento consciente e inconsciente(dedutivo) e que age como um continente para mana. Quanto mais mana contém, mais densa se apresenta.
Algumas formas de aka são conhecidas pelos sensitivos como matéria etérica ou astral, como em uma percepção mental quando aparece como transparente luminosidade. São as características refletivas dessa matéria que capacitam o curandeiro kahuna, como tecelão de sonhos, a mudar condições mudando o modo de sonhar.
Segundo a interpretação de embrião no momento da concepção, vemos que ai se deu uma transformação adquirindo esse futuro kino, características próprias com uma substancia aka que lhe é peculiar, formando sua própria luminosidade.
Kino – o corpo físico
De acordo com as raízes quer dizer: Uma forma-pensamento altamente energizada.
Em Huna o corpo físico é um pensamento materializado do Aumakua pessoal, modificado por hábitos e atitudes adquiridos pelo uhane e unihipili.
O corpo físico é kino, mas também o é seu mundo físico. Ou seja, seu mundo pessoal, seu ambiente particular como você o experiência, não é apenas percebido por você – é formado por você, especialmente por seus pensamentos, sentimentos, crenças, expectativas, medos e julgamentos sobre ele. Um dos mais importantes segredos sobre você ensinado na Huna é sua habilidade para formar e reformular sua experiência pessoal no mundo.
Conclui-se que sendo uma forma-pensamento possui unihipili e uhane no ser humano e unihipili em qualquer forma manifestada, tendo sempre o Aumakua como guia.

O ser trino

O ser trino na psicofilosofia Huna é um ser espiritual com três aspectos, representados por Aumakua, Uhane e Unihipili em estado de harmonia. A desunião entre Uhane e Unihipili que estão no corpo pode ocorrer e provoca a interrupção da comunicação harmônica entre eles e a perda da efetividade na vida. A descoberta interior do conhecimento da tradição Huna restabelece pela eficácia das ações a união dos três espíritos, terminando com a ilusória separação criada pela individualização do unihipili e uhane, desde o início da longa jornada, através das vidas sucessivas pela compreensão e apreensão simbólica dos sete princípios. É a volta a Po como imagem e semelhança de Tane.
Nós somos únicos. Cada um de nós experiência a vida de forma diferente e nem dois de nós expressam a mesma combinação de talentos e técnicas, a não ser no estado de um ser trino.

Maria Therezinha Mendes de Melo

BibliografiaCampbell, Joseph – O Poder do MitoChurchward, James – O Continente Perdido de MuMelville, Leinani – Children of the RainbowMelville,Leinani - DictionaryKing, Serge – Kahuna HealingKing, Serge – Urban ShamanLong, Max Freedom – A Ciência Secreta em Ação Long, Max Freedom – Milagres da Ciência SecretaMelo, Sebastião – Artigos diversos sobre HunaPukui e Elbert – Hawaiian Dictionary

FONTE: www.pistasdocaminho.blogspot.com


Ao Meu Mestre de Reiki Usui e Xamã Kahuna (havaiano), Waldir Mansure, minha eterna GRATIDÃO e amor pelas preciosas lições!!!

Flávia Sexas

Poderá também gostar de:
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É XAMANISMO?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É UM XAMÃ?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É APOMETRIA?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE SÃO MANTRAS?
UM POUCO DE HISTÓRIA - BIOGRAFIA DE MARIA PADILHA
LinkWithin

A Historia do Budismo de Nitiren. De Shakyamuni até a atualidade.

Buda Shakyamuni e o Sutra de Lótus.
Shakyamuni, também conhecido como Siddartha Gautama, foi o fundador do Budismo. Ele viveu no IV ou V século BC em um reino pequeno aos pés do Himalaia ao sul do que é hoje o Nepal central.

Ele era um príncipe do clã dos Shakya, e era destinado a suceder seu pai, rei Shuddhodana.

Mas, quando jovem, ele começou a ‘acordar’’ e era profundamente perturbado pelo problema do sofrimento humano. Ele almejava deixar a sua vida confortável no palácio e procurar uma solução para os 4 sofrimentos comuns a todas as pessoas: nascimento neste mundo problemático, doença, velhice e morte

Ele renunciou a sua riqueza, títulos e após anos de esforços, perto da cidade de Gaya, ele experimentou uma iluminação profunda sobre a natureza essencial da vida e todas as coisas; para a causa do sofrimento e como resolver esta questão.

Após isso, ele passou aproximadamente 50 anos viajando pela Índia dividindo a sua descoberta com outros. Ele morreu com 80 anos de idade e seus discípulos continuaram a difundir os seus ensinamentos pela Ásia.

As pessoas tendem a associar o Budismo apenas com os ensinamentos de Shakyamuni, porém está atitude negligencia os desenvolvimentos que ocorreram nos períodos posteriores.

A mensagem principal de Shakyamuni está no seu mais elevado ensinamento, o sutra de Lótus. Afirma que a budicidade que é uma condição de absoluta felicidade e liberdade de medos e ilusões, é inerente em todas as vidas e é eterna. Significa que “o Buda” é nada mais que uma pessoa ordinária que é ciente da budicidade em sua vida. O Buda não é um ser especial ou divino.

O desenvolvimento deste estado de vida possibilita todas as pessoas a superarem os seus problemas e viver uma vida plena e ativa, totalmente engajada com os outros e com a sociedade.

Depois de Shakyamuni.
Shakyamuni ensinou vários Sutras até chegar ao Sutra de Lótus.
Depois que ele morreu, o Budismo tomou diferentes formas ao ser propagado.
As principais formas foram a Thevada ou Hinayana (pequeno veículo) e o Mahayana (grande veículo) que foram levadas para a China através da rota da seda.

Os Sutras eram traduzidos em diferentes idiomas e os ensinamentos eram adotados e assimilados a diferentes culturas na Ásia.

Esta é a origem da grande variedade e diversidade de ensinamentos budistas os quais atualmente existem na Ásia.

Quando estes diversos ensinamentos chegaram na China, as pessoas tinham dúvidas sobre qual deles era o verdadeiro ensinamento do Buda. Grandes pensadores, como T’ien-t’ai e Changan estudaram o Sutra de Lótus e confirmaram o status deste como o maior ensinamento do Buda, devido este afirmar que qualquer pessoa pode revelar o estado de Buda na sua vida diária.

Apesar disso, mais tarde o budismo chegou ao Japão com diferentes escolas e cada uma delas declarando a supremacia do Sutra que seguia.

NItiren Daishonin – vida e espírito.
Nitiren nasceu no Japão em 16 de fevereiro de 1222, em um país devastado por conflitos e calamidades onde as pessoas enfrentavam severas condições de vida.

Ele entrou para o Clero ainda garoto e é dito que enquanto ele estudava no templo de Seicho-ji, ele orou para ser a pessoa mais sábia do Japão, para que ele podesse entender os ensinamentos budistas e guiar os seus pais e todas as outras pessoas a iluminação.

Por 14 anos ele viajou pelos principais templos do Japão onde conduziu pesquisas e se convenceu que a chave para transformação do sofrimento das pessoas e o florescimento da sociedade estava no Sutra de Lótus e especificamente no seu título – Myoho-rengue-kyo.

Em 28 de abril de 1253 ele declarou que a prática correta do budismo nesta era é a repetição da frase Nam-myoho-rengue-kyo, a qual possibilita qualquer pessoa alcançar a iluminação e a felicidade plena, manifestando o estado de Buda e ganhando a força e a sabedoria para enfrentar qualquer adversidade.

Nitiren desafiou as tradicionais escolas budistas que serviam os interesses dos poderosos e encorajou pacificamente as pessoas em dificuldades.
Após isto, uma serie de perseguições começaram, as quais serviram para confirmar que Nitiren estava agindo de acordo com os ensinamentos do Sutra de Lótus, o qual incluía uma advertência das dificuldades em propagar a sua verdade fundamental no futuro.

Em 1260 ele submeteu seu tratado ‘Estabelecendo o ensinamento correto para a paz na terra’ para a pessoa mais poderosa do governo, pedindo ao governo para que tomasse a responsabilidade pelo sofrimento das pessoas e para que usasse a sua filosofia como remédio para a situação.
Nitiren foi exilado 2 vezes pelo governo, sofreu ataques violentos e inúmeros dos seus discípulos foram executados. .Ele se recusou comprometer os seus princípios para se reconciliar com o governo.

Durante o seu segundo exílio na ilha de Sado, ele continuou a escrever cartas de inspiração e encorajamento para os seus seguidores, entre elas encontramos alguns dos seus mais importantes trabalhos.

Em 1274 o governo o libertou, afirmando que ele não tinha feito nada de errado e ele se dirigiu para o Monte Minobu de onde continuou a treinar os seus discípulos e a escrever cartas de encorajamento para aqueles que praticavam os seus ensinamentos.

Ele inscreveu o Dai-Gohonzon em 12 de outubro de 1279 para que todas as pessoas podessem ter um meio de revelar a natureza de Buda inerente. Ele morreu rodeado dos seus discípulos mais próximos no dia 13 de outubro de 1282.

Kosen-rufu, movimento internacional da Soka Gakkai.
O budismo de Nitiren foi passado de geração a geração no Japão por 700 anos até que uma sociedade de pessoas comuns, a qual ficou conhecida como Soka-Gakkai (Sociedade de Criação de Valores) começou a propagar os seus ensinamentos em 1930.

A Soka-Gakkai foi fundada pelos educadores Makiguchi e Josei Toda que encontraram similaridades entre os ensinamentos de Nitiren e a filosofia educacional que defendiam. Eles desafiaram o governo militar durante a segunda guerra mundial e foram aprisionados; o primeiro presidente da sociedade, Makiguchi, morreu na prisão em 18 de novembro de 1944.

Após a guerra, a constituição Japonesa permitiu a liberdade religiosa e Toda reconstruiu a Soka-Gakkai como um movimento para pessoas em todos os aspectos da sociedade, não apenas para educação. Quando ele morreu em 2 de abril de 1958 a organização já tinha crescido mais do que seu objetivo de 750.000 famílias e até tinha membros eleitos para o parlamento.

Daisaku Ikeda se tornou o terceiro presidente da SG em 3 de maio de 1960 quando ele tinha 32 anos. Na sua liderança, a organização cresceu rapidamente e expandiu para outros paises. Em 1975 a SG internacional foi estabelecida e ele se tornou o seu primeiro presidente. Existem hoje 12 milhões de membros em 188 paises e territórios e o presidente Ikeda vem conduzindo diálogos com lideres de diversas áreas – cultura, educação e política ao redor do mundo.

Ele também fundou a Universidade Soka e escolas Soka, associação de músicos, Tokyo Fuji museu de arte e o instituto de filosofia oriental.

A SGI continua seu desenvolvimento como a organização da revolução humana, da reforma interna do ser humano, e do estabelecimento da budicidade como o estado de vida fundamental – baseado nos ensinamentos de Nitiren Daishonin.




Budismo Hoje.

No Sutra de Lótus, o objetivo daqueles que eram para propagar os seus ensinamentos no mundo esta encapsulado na frase Kosen-rufu – significa ensinar e propagar a lei budista. Este também é o objetivo da SGI, ensinar a lei universal do Nam-myoho-rengue-kyo pelo mundo.

Abaixo seguem algumas palavras extraídas de artigos escritos pelo presidente Ikeda, onde ele explica o significado do Kosen-rufu:

Para tornar não apenas nós mesmos felizes mas, possibilitar que outras pessoas também se tornem felizes. Trazer harmonia para a nossa comunidade local, e ajudar que a nossa nação floresça e traga paz para todo o mundo. A vida daqueles que meditam o Nam-myoho-rengue-kyo e trabalha para atingir estes objetivos, pulsa com fé que é dedicada a realizar o kosen-rufu. (NL 4584)

"O Kossen-rufu é um empreendimento audaz e longo o qual é conduzido na sociedade, no mundo real. Kosen-rufu é uma batalha pela paz e justiça a qual nós devemos lutar incessantemente contra a negatividade e as forcas destrutivas que se encontram no mundo. Portanto, temos de mostrar a prova, em todos os campos de atividades, do princípio 'o que importa no budismo é a vitória ou a derrota'. Não temos escolha a não ser conquistar a vitória em todo esforço que empreendermos. É por isso que a felicidade individual, a prosperidade da sociedade e o amplo desenvolvimento do Kossen-rufu podem ser construídos somente sobre a base do triunfo.
NL 5226 e A Grande Correnteza para a Paz, vol. II, pág. 316.

Aqueles que tiverem uma grande filosofia, um grande ideal e uma grande religião são sem duvidas vitoriosos como seres humanos.
NL 5226
Budismo é uma religião que começou a quase 3 mil anos e a sua filosofia prática é ainda aplicada na nossa vida diária.

O Budismo de Nitiren, como foi difundido no movimento da SGI, ensina o potencial ilimitado de cada ser humano e a transformação interna a qual contribui ao mesmo tempo para a paz mundial; possibilitando que as pessoas desenvolvam a si mesmas e tome responsabilidade pelas suas próprias vidas, não importando quais as circunstâncias ou acontecimentos passados.(Tradução dos estudos introdutórios da SGI-UK)




Ao Iluminado Mestre Sidarta Gauthama e ao amigo Sérgio Carvalho, meu amor e eterna GRATIDÃO! Flávia Sexas

Enigma ( música )

LEMURIANOS E ATLÂNTES ABANDONEM VOSSAS LUTAS MILENARES E SEJAM SACERDOTES DA NOVA ERA



Fraternos filhos do amor, estamos reunidos em uma nova fase de consecução dos trabalhos espirituais, que após a derrocada de alguns escuros que, de fato, tentavam atrapalhar e até interferir de maneira negativa nas mensagens, agora, após alguns eventos lunares, já foram devidamente removidos.

E digo-lhes que o papel desse novo grupo de Anjos que foram encaminhados à Terra, está exatamente atendendo à ordem do Criador que os substitui de forma magistral a conduzirem os processos de conscientização dos que estiverem espiritualmente conectados às mudanças necessárias que se abaterão sobre a Terra, conforme amplamente anunciado.

Contudo, isto não se revela a fim de causar-lhes qualquer espécie de desconforto, sabeis que nada se faz para que seja levado para o aspecto negativo.

O trabalho de preparação está atrelado ao de socorro adequado aos que estiverem conectados às atividades que estarão interligadas de reconexão e restabelecimento da ordem onde houver a necessidade.

A expectativa que algumas mensagens produzidas por seres manipulados por energias desvirtuadoras, hoje estão, e em breve, com mais certeza, caindo por terra. Até por que, amados filhos, sabem que não devem se deixar envolver por tais energias, que só os acessam através do mental.

Mantenham-se vigilantes quanto a esse aspecto. E isso é realizado através da fé e da perseverança inabaláveis.

A fé no Criador, a fé em si mesmos, pois vossos corações amorosos e puros sabem a todo o momento discernir o que é verdadeiro do que é falso. O segundo, infelizmente, sempre está associado àqueles que têm por algum motivo, geralmente mercantil, a função de desvirtuá-los e condená-los a pegarem o atalho mais longo para o caminho da evolução pessoal.

E, a essa altura, muitas mensagens que trouxeram alguma espécie de previsão com dia e horário, já foram contrariadas, como muitas ainda o serão, pois estão sendo produzidas por canais não limpos, e invigilantes, que deixarem-se contaminar pelas forças contrárias que ainda buscam controlá-los através do mental, a partir de suas naves que rondam os céus do Planeta.

Queridos filhos, muitos disseram e voltamos a repetir, não deixem de submeter ao crivo do discernimento toda e qualquer informação que lhes chegue.

As redes virtuais voltamos a lhes dizer, é a que os manipuladores mais têm meios de iludi-los, por se tratar de VIRTUAL, muitas são as portas por onde se disseminam idéias e valores que levam muita tristeza, mentira, falsas informações e desequilíbrio àqueles que dela fazem uso diário ou mesmo constante.

Portanto, é realmente fundamental que àqueles que já se aperceberam das fontes que trazem missivas que não lhes dão conforto, questionar sob critérios objetivos e razoáveis, bem como valores intrínsecos à lógica, quem poderia se beneficiar de um descontrole mental generalizado?

Podem perguntar-se?

Meditem, concentrem-se e obterão as respostas que latejarão de vossos íntimos...

Vocês estão preparados, desde que assim o aceitem, pois a Nova Era conta com seres espiritualizados e dispostos a assumirem suas responsabilidades quanto à própria tarefa espiritual, bem como a ampla compreensão do que lhes enleva a alma.

Muitos dirão que nada do que vos dizem é verdade, até dirão que se trata de mentiras, tudo bem, ouçam e sintam de vossos íntimos o que sua mente equilibrada e preparada pela oração, fé e discernimento os dirá.

Façam uso de sua percepção e encontrem vossas verdades.

A verdade é acima de tudo, uma experiência pessoal, que grita de vosso íntimo, de maneira incontestável.

Portanto, nada e nem ninguém poderá ofuscar vossa visão se tiveres a humildade de olhar com os olhos da alma, olhos da fé, olhos da sabedoria, olhos da lógica, olhos da ciência, olhos do amor e essencialmente, olhos que verão a verdade descortinar diante de si.

A disputa intelectual de sacerdotes de Atlântida que novamente em mesmo território buscam o holofote para si, não pode ofuscar a verdade que Reina Soberana sobre toda a Criação.

Abandonem vossas lutas milenares, Sacerdotes da Nova Era, Atlântida e Lemúria já estão abaixo dos mares há muitos éons, a quem pretendem novamente impressionar???

Levantem vossas cabeças, unam-se, reúnam vossos conhecimentos, a hora é de se disponibilizarem integralmente ao Pai Celestial que conta com todos vocês para que a Sua Obra esteja em breve completa.

Lemurianos cordatos e Atlântidos egóicos, esqueçam vossas diferenças, o Pai conta com todos vocês.

Avante!!!

Guerreiros da Luz são todos que se encontram nesse Plano Terrestre, filhos do Pai... nada mais os diferencia...

Lemúria, Atlântida, Egito, Grécia, Roma, Rússia, França e Inglaterra, até quando empunharão espadas de Egos?

O Pai os Chama, aliás, Ele os Convoca... não esperem a segunda chamada...



Amigos dos Céus de Atlântida



Canalização de Elisangelis G. de Souza em conferência com o GRUPO SOMOS LUZ EM AÇÃO em
11-12-2010, pelo skype.


http://vozdaeradeouro.blogspot.com/


http://somosluzemacao.blogspot.com/

Poderá também gostar de:

ARAUTOS DA NOVA ERA - KRYON
A NOVA ERA DE OURO, A ERA DA ALQUIMIA - SAINT GERMAIN
O ASPECTO FEMININO DA KUNDALINI NA NOVA ERA - MESTRA ROWENA
OS CÉUS E A TERRA ESTÃO EM FESTA - ARCANJO JOFIEL
SEMENTES ESTELARES QUE RELUZEM NOS CÉUS DA TERRA - ESTRELA ...

LinkWithin

Video Sobre Reencarnação

Algumas Imagens:









APOMETRIA












UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É APOMETRIA?



1-CONCEITO
A Apometria é uma técnica de desdobramento espiritual induzida por energia mental de operador, encarnado. Trata-se de uma técnica anímica.

2- HISTÓRIA
2.1- CRIADOR: Quem primeiro experimentou o desdobramento induzido por um operador encarnado foi o Dr. LUIZ RODRIGUES, farmaceutico-bioquímico, natural de Porto Rico, radicado no Rio de Janeiro. O Dr. LUIZ RODRIGUES chamava sua técnica de Hipnometria. Em 1965 apresentou-a a um grupo de espíritas eminentes, em Sessão realizada no Hospital Espírita de Porto Alegre (HEPA), então presidido pelo Sr. Conrado Rigel Ferrari. O Dr. Luiz Rodrigues não era espirita e dele não mais tivemos notícias até seu desencarne.


2.2- DESENVOLVIMENTO E FUNDAMENTAÇÃO CIENTÍFICA: Dr. JOSÉ LACERDA DE AZEVEDO, nascido, em 12.6.1919, formado em medicina pela UFRGS em 1951, Cirurgião, ginecologista e, mais tarde, clínico geral renomado, homem de solida cultura; com conhecimentos aprofundados em Matemática, Física, Química, Botânica, História Geral, História da França, História do Cristianismo, História da I e II Guerras Mundiais, foi o responsável pelo desenvolvimento e fundamentação científica da Apometria. Dr. LACERDA, tinha formação e vivência espírita desde a juventude. Era formado em Belas Artes pela UFRGS, e sem nunca ter exposto, pintou diversos quadros com real valor artístico. Dr. LACERDA casou-se em 1947, com sua prima Sra. Iolanda Lacerda de Azevedo, mulher de grandes virtudes, médium dedicada e caridosa, ainda atuante na CASA DO JARDIM, onde carinhosamente recebe os enfermos aos sábados pela manhã.

O convite do Sr. Conrado Ferrari para assistir uma demonstração de Hipnometria, dirigida no Hospital Espírita de Porto Alegre, nos idos de 1965, foi a partida para que o Dr. LACERDA, homem de rara genialidade, desenvolvesse e fundamentasse cientificamente a APOMETRIA. Dr. LACERDA adotou o termo APOMETRIA (do grego "apo" = além de, separar e "metron"= medida), por entender que o termo Hiponometria era impróprio por dar a idéia de hipnose, que não tem qualquer relação com as técnicas de APOMETRIA.



3-O HOMEM SETENÁRIO
Corpos espirituais, corpos ou dimensões psíquicas, níveis mentais ou consciências, são termos que vem sendo usados para expressar a constituição do Homem em sua plenitude.




Atmico, Búdico, Mental Superior, Mental Inferior, Astral (emocional), Etérico e Físico

Esta terminologia é adotada pela Teosofia, Esoterismo, outros ramos do ocultismo e algumas religiões orientais. O Espiritismo considera o homem como uma triade: Corpo somático ou físico, perispírito e espírito. Para KARDEC alma e espírito são sinônimos. Para LACERDA, alma e perispírito é que deveriam ser sinônimos, pois este termo, envolve os diversos corpos sutis, até mesmo o etérico que, no entanto, é físico. Todos os pensadores da Igreja primitiva faziam distinção, como Paulo de Tarso, entre o espírito (pneuma), a alma intermediária (psiquê) e o corpo físico (soma).


3.1- CORPO FÍSICO
É objeto de estudo das Ciências biológicas. Para os espiritualistas reencarnacionistas (espíritas, teosofistas, esoteristas, umbandistas, budistas, induístas, e outros), o corpo físico é o instrumento para manifestação, experimentação e aprendizagem no mundo físico. Corpo e meio físico pertencem a mesma dimensão eletromagnética.




3.2- CORPO ETÉRICO
Envolve o corpo físico, tem estrutura extremamente tênue, invisível ao olho humano, de natureza eletromagnética e comprimento de onda superior ao ultravioleta, razão porque é dissociado por esta. Quando exudado de sensitivos ou médiuns proporciona os fenômenos espirituais que envolvem manifestações de ordem física como "materializações", teletransporte, dissolução de objetos e outros.O material exudado é conhecido por ectoplasma. Fragmentos deste material foram analisados em laboratórios e mostraram-se predominantemente, constituídos por elementos protéicos. Tal substância dissocia-se rapidamente pela ação da luz, porque a energia radiante da luz e mais forte do que a energia de coesão molecular que liga suas moléculas. O duplo etérico tem a função de estabelecer a saúde, automaticamente, sem a interferência da consciência. Funciona como mediador plástico entre o corpo astral e o corpo físico. Possui individualidade própria, mas não tem consciência. Promove a ação de atos volitivos, desejo, emoções, etc., nascidos na "Consciência Superior", sobre o corpo físico ou cérebro carnal. A maioria das enfermidades atinge antes o duplo etérico. As chamadas cirurgias astrais, via de regra, são realizadas neste corpo. O duplo etérico pode ser exteriorizado ou afastado do corpo físico através de passes magnéticos. É facilmente visto por sensitivos treinados. Dissocia-se do corpo físico logo após a morte e, a seguir, dissolve-se em questão de horas.




3.3- CORPO ASTRAL
Tem a forma humana e é, facilmente, visto por videntes. A sua forma pode ser modificada pela vontade ou pela ação de energias negativas auto-induzidas. A maioria das manifestações mediúnicas, ditas de incorporação, se processam através do corpo astral, o qual é dotado de emoções, sensações, desejos, etc, em maior ou menor grau, em função da evolução espiritual. Sofre moléstias e deformações decorrentes de viciações, sexo desregrado, prática persistente do mal e outras ações "pecaminosas". Separa-se, facilmente, durante o sono natural ou induzido, pela ação de traumatismos ou fortes comoções, bem como pela vontade da mente.




3.4- CORPO MENTAL
É o veículo de manifestação do "EU CÓSMICO" como intelecto concreto e abstrato. Nele a vontade se transforma em ação. É sede da mente e fonte da intelectualidade. O corpo mental tem forma ovóide, envolve o corpo astral e é mais, ou menos, desenvolvido em função da intelectualidade e, mais ou menos luminoso em função da evolução. E constituído de uma energia radiante, ainda desconhecida, porém visível por médiuns treinados. A aura, projeção luminosa visível por videntes treinados, ao derredor do corpo, físico, e resultante de projeções do corpo mental, revela o estado evolutivo de quem a projeta. O pensamento é força e a energia projetada é proporcional a potência da mente e vontade do emissor.


O corpo mental é formado por dois níveis:

MENTAL CONCRETO OU INFERIOR: É sede das percepções simples e objetivas como de objetos, pessoas, etc. É importante veiculo de ligação e harmonização do binômio razão-emoção. Viciações oriundas de desregramento sexual, uso de drogas outras podem atingir, se fixar e danificar este corpo.

MENTAL ABSTRATO OU SUPERIOR: E também conhecido como corpo causal. Elabora princípios e idéias abstratas, realiza análise, sínteses e conclusões. É sede das virtudes e de graves defeitos. Estamos pesquisando mas, contrariando o proposto pelo Dr. LACERDA e a maioria dos autores, cremos ser a verdadeira sede do caráter. A manifestação dos espíritos mais evoluídos, já libertos das emoções, ou daqueles mais intelectualizados, mesmo quando perversos como os mago-negros, se faz através deste corpo, incorporados ou por comandos à distância os maus. O Dr. LACERDA sugere que o corpo mental seja de natureza magnética, com freqüência muito superior a do corpo astral. Considerando que a energia de um campo radiante, de qualquer comprimento da onda, é igual a constante de Plack multiplicada pela freqüência da onda, isto é, W = h.n onde W = energia, h = constante de Planck (6,6128273 x 10-27 erg/s) e n = freqüência, conclui-se que o corpo mental deve necessariamente ter muito maior energia de propagação do que os campos mais densos como o físico, etérico e astral, cujas freqüências vibratórias são muito menores. Importância deste fato: A força da mente é poderosa e pode fazer o bem ou o mal, consoante, a intenção com que é projetada. Alguém já disse que todo pensamento bom é uma oração é todo o pensamento mau é um feitiço. Por outro lado quem vibra em amor, constrói ao redor de si um campo energético protetor contra a ação de mentes negativas (mau olhado, feitiço, magia negra, etc). Do mesmo modo, afins se atraem.


3.5- CORPO BUDDHI
Pouco se sabe sobre a forma e estrutura vibratória deste corpo que está mais próximo do espírito. Tão distante está dos nossos padrões e dos nossos meios de expressão que não há como descreve-lo. Trata-se de um corpo atemporal. Recentemente temos tido, através de médiuns videntes muito treinados, tênues percepções visuais e sensoriais relativas a este corpo.


3.6- CORPO ATMICO, ATMAN OU ESPÍRITO ESSÊNCIA
Alguns o chamam de "Eu Crístico, Eu Cósmico, ou eu Divino e constitui a Essência Divina presente em cada criatura. A linguagem humana é incapaz de descrever objetivamente o espírito. A milenar filosofia védica parece-nos mais esclarecedora. Brhaman, o Imanifestado, transcendente e eterno, ao se manifestar, torna-se imanente em sua temporária Ação; os indivíduos d’Ele emanados contém sua essência, assim como o pensador está em seus pensamentos. Assim, somos idênticos à Deus pelo Ser (Essência), mas diferentes d’Ele, pelo existir. Deus não "existe". Deus é, eternamente presente. Daí porque Jesus afirmou "Vós Sois deuses". O evoluir do Homem consiste em viver e experienciar em todos os níveis da criação, desde o físico até o Divino ou Espiritual, para, desta experiência, recolher conhecimento e percepções que propiciam o desenvolvimento harmonioso de seu intelecto e sensibilidade de maneira a tornarem-no sábio e feliz. Ao longo de sua jornada evolutiva a criatura humana sofre sucessivas "mortes" e vai perdendo seus corpos, sem perder os "valores" inerentes a cada um deles. É como a flor que na sua expressão de beleza pura, contém a essência do vegetal por inteiro.




4- ALGUNS CONCEITOS OU PRINCIPIOS DE FÍSICA APLICADOS À APOMETRIA

4.1- O ÁTOMO
Desde a velha Grécia (400 a.c.), a humanidade conhece os fundamentos da Física no campo do "infinitamente pequeno". LEUCIPO E DEMÓCRITO intuíram a existência da menor partícula de matéria, partícula basicamente imutável e indestrutível ou indivisível (a + tomo, o que não pode ser cortado ou dividido). Durante mais de 2000 anos nada de novo seria acrescentado, a não ser o vislumbre de DESCARTES, que via as porções mais ínfimas da matéria como um "torvelinho em movimento" expressão que bem poderia servir ao elétron de nossos dias. Na incessante busca da energia básica do universo, foram identificadas as partículas elementares de que se compõe o átomo. Sua velha indivisibilidade, suposta por DEMÓCRITO E LEUCIPO, desintegrou-se assim que foram conhecidos o próton e o elétron, estáveis e com cargas eletricamente contrárias, mais o neutro (sem carga elétrica) porém instável. Neutros e prótons constituem o núcleo do átomo, com carga elétrica positiva e os elétrons giram ao redor deste núcleo, como os planetas ao redor do sol, porém suas orbitas são irregulares e podem saltar de níveis em função da energia acumulada. Partículas menores do que estas, mas incrivelmente instáveis, foram descobertas posteriormente. Mésons, fótons, neutrino, antineutrino, léptons, bárions, etc, foram sendo descobertas, mais por seus efeitos do que por sua existência física. Nos dias que correm, os físicos estão sendo desafiados pelo fato do que mesmo essas infimas partículas de energia não podem ser consideradas elementares. Estamos cada vez mais perto da descoberta da energia primária do cosmos, pois caminhamos inexoravelmente em direção ao "Grande Agente Imanifestado", causa da existência do universo.




4.2- ESTABILIDADE ENERGÉTICA DO UNIVERSO
LAVOISIER, químico famoso, mostrou-nos que, no mundo da matéria, nada se perde tudo se transforma. Conforme o segundo princípio da termodinâmica, formulado por THONSON, a energia do universo, dissipando-se continuamente, acabaria por esgotar-se como a corda de um relógio ou carga de uma bateria. Hoje porém, se sabe que a quantidade total de energia permanece a mesma, o que confirma a tese de que o universo foi criado sem a possibilidade de perda energética. As teorias da Física Quântica e da Relatividade determinam a compreensão de que os conceitos de matéria e energia, agora não são mais estanques, mas intercambiáveis, constituindo um todo indissolúvel. De acordo com a equação de EINSTEIN: W = m. C2 que nos diz que energia (W) e igual a massa (m) multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz (C2) quando a massa material desaparece pela desintegração atômica, esta transforma-se em energia equivalente; isto é, a massa material corresponde a massa de energia radiante, conservando o mesmo peso total em qualquer das formas que assuma. Outra conseqüência desta famosa equação é o fato de que toda vez que imprimirmos velocidade a uma partícula, quando esta se aproxima à velocidade da luz (300.000 km/s), sua massa aumenta de tal grandeza que para manter a velocidade crescente necessitaríamos ilimitadas quantidades de energia. Se lográssemos esse sucesso, a partícula ou massa deixaria de existir como matéria e se transformaria em luz. Esse conceito nos mostra as limitações que tem o homem em explorar e conhecer o universo enquanto homem físico, submetido ao binômio tempo espaço. Não obstante, por dedução filosófica, acreditamos que Deus não criou a grandeza do Universo infinito para atormentar o homem, na sua ânsia e permanente busca de conhecimento. Parece-nos que a solução está em aumentar a energia pelo desenvolvimento da mente e diminuir a massa pelo amor ou evolução espiritual, podendo assim movimentar-se para além da velocidade da luz. Não será isso o que fazem os espíritos iluminados ou espíritos puros que, por terem se alçado além dos limites da matéria, são energia pura, sem massa física e, portanto, passíveis de se deslocar à velocidade do pensamento? EMMANUEL, mentor espiritual de Chico Xavier já disse que o homem só chega à Deus movido pelas asas do saber e do amor. Não será por isso que os anjos, considerados criaturas puras e perfeitas, são representados na forma de crianças aladas?




4.3- ENERGIA RADIANTE
A energia de um campo radiante; de qualquer comprimento de onda, é igual à constante de Planck multiplicada pela freqüência da onda, isto é, W = h.n , onde W = energia, h = constante de Planck (6,626x10-27 ergs/seg) e n (nous) = freqüência da onda, isto é, o seu numero de ciclos/minuto.




4.4- ACOPLAMENTO
Em física, acoplamento é a ligação de sistemas (mecânicos, elétricos, óticos, etc) em que há transferência de energia de um para outro sistema. Tem importância toda especial, quando se realiza estre sistemas oscilantes, como na eletrônica e nos aparelhos transmissores de energia eletromagnéticas. Neste caso há a necessidade de intermediar entre as duas fontes emissoras de energia, aparelhos especiais (resistores, capacitores, indutores, etc). Estes aparelhos modulam a resistividade, ação capacitiva, indutiva, etc, dos circuitos para que o funcionamento dos sistemas opere em perfeito equilíbrio. Uma vez hormonizadas as energias, a sintonia vibratória enseja o acoplamento.


4.4.1- ACOPLAMENTO ESPIRITUAL
No campo espiritual também há acoplamento de sistemas espirituais. O operador apométrico pode auxiliar grandemente o acoplamento mediúnico através de impulsos mentais dirigidos, objetivando o abaixamento ou elevação da freqüência vibratória do médium, consoante sejam os espíritos menos ou mais evoluídos. No caso de espíritos evoluídos, a passagem de energia ou o fluxo energético. Se faz, predominantemente, no sentido do espírito para o médium. Quando o acoplamento se faz com espírito sofredores, enfermos ou maldosos, a passagem de energia se faz nos dois sentidos com predominância no sentido médium espírito. Voltando à Física, temos que o fluxo magnético é vetorial e o Vetor de Poynting indica sua intensidade. Segundo a formula:
S = H.E, onde: S = vetor de fluxo, H = Vetor magnético e E = vetor elétrico. Neste caso o vetor de fluxo S determina a ação magnética final. Manifestando-se associados e em três planos, os três vetores, formam a onda eletromagnética.
No caso espiritual temos por analogia a equação E = Z . K, em que o vetor de Poyting (ou de fluxo) E da equação, representa o fluxo mental aplicado,

Z (Zeta) é o fluxo de força proveniente do corpo físico e K (kapa) é o fluxo de forças cósmicas. Concluindo, diríamos que o acoplamento por comando da mente (ou apométrico) de um médium com o espírito comunicante implica, portanto, na atuação do sistema oscilante do operador sobre o sistema oscilante do médium, visando a sintonia deste com o sistema oscilante do espírito comunicante.


4.5- RESSONÂNCIA VIBRATORIA
Ressonância em Física é o fenômeno que ocorre quando um sistema oscilante (mecânico, elétrico, acústico, etc) é excitado por um agente externo periódico com freqüência idêntica a freqüência fundamental do receptor ou a uma de sua freqüências harmônicas. Nestas condições há uma transferência de energia da fonte externa para o sistema com oscilações que podem ter amplitudes muito grandes. Se não houver amortecimento de onda, a amplitude, em princípio, pode atingir qualquer valor, por maior que seja; nos casos práticos, o amortecimento da onda, por dissipação de energia, a limita.






4.6- RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
É a transferência de energia de um campo eletromagnético para um sistema atômico (um condutor de material qualquer), em que ocorre a absorção de energia do sistema indutor, pelos núcleos ou pelos elétrons orbitais dos sistema receptor). No campo espiritual, ressonância é a transferência de energia de um sistema radiante indutor (mente de um espírito desencarnado) para um sistema radiante receptor (mente do espírito encarnado = homem), com freqüências sintônicas, isto é, ambos com o mesmo comprimento de onda, mesma amplitude e mesma freqüência vibratória. Isto pode ser causa de inúmeras enfermidades psíquicas e mesmo físicas, causadas por obsessões espirituais ou processos de magia, bem como por ressonância com o passado, gerando o que o Dr. LACERDA chamou de "Síndrome de ressonância com o passado". Como exemplo leia-se AZEVEDO, José Lacerda de Espírito/Matéria: novos horizontes para a medicina. Porto Alegre. Pallotti, 1988, pp. 104-105.


4.7- TRANSDUTOR
É qualquer dispositivo capaz de transformar um tipo de sinal em outro, uma forma de energia em outra o que possibilita o controle de um dado fenômeno ou realizar uma medição, etc.


4.8- MODULAÇÃO
É o processo que determina que a uma variável característica de um fenômeno periódico é atribuída uma variação determinada por outros destes fenômenos. Assim qualquer aparelho que rebaixe a freqüência original de uma onda portadora de alta freqüência para baixa, é um modulador, que atua como um transformador.




5- NÓS OPERADORES APOMÉTRICOS E MÉDIUNS, SEREMOS TRANSDUTORES E MODULADORES?
O operador encarnado e os médiuns, quando atraem, ou captam energias cósmicas (k), manipulando-as e misturando-as às energias vitais de seus próprios corpos (energias Z) rebaixando suas freqüências vibratórias e intensificando o fluxo de modo a formar uma massa magnética de energias assimiláveis pelos espíritos sofredores e enfermos que vibram em baixa freqüência, aliviando suas dores, quase instantaneamente, ou mesmo curando-os, funcionam como transdutores e moduladores.




6- POR QUE NÃO CURAMOS OS ENFERMOS ENCARNADOS?
Se as leis são as mesmas e o processo deve ser o mesmo, por que não somos capazes de curar os enfermos como fizeram JESUS, os apóstolos, FRANCISCO DE ASSIS e outros homens e mulheres extraordinários, considerados Santos? Os resultados por nós obtidos são pouco animadores. Qual a razão? Parece que a dificuldade está na própria matéria que impõe condições energéticas intransponíveis. Todo operador, desde que munido de amor, boa vontade e treino mental, pode curar espíritos instantaneamente, porém, corpos físicos, não. A densa constituição da matéria desafia o potencial de nossas mentes e nossos corações. A possibilidade persiste. Se tivermos energia mental suficientemente intensa para moldar energia a nível de densidade física, capaz de interferir na coesão molecular, a ponto de tornar a matéria plástica e moldável à ação de nossa vontade, poderemos realizar os mesmos prodígios de Jesus. Para maiores esclarecimentos ler o final da página 108 do Espírito/Matéria: novos horizontes para a medicina.


7- FORÇAS OU ENERGIAS EMPREGADAS NA APOMETRIA:



7.1- FORÇA MENTAL: O Pensamento com força do trabalho do Espírito.
Segundo DESCARTES, o pensamento é atributo essencial do Espírito e, estendido à matéria é o processo mediante o qual a alma (=espírito) toma consciência dela mesma, constituindo a base de nossa vida mental. Em sentido mais amplo estende-se por "pensamento" o conjunto de idéias, sensações, volíções..., e todo o conhecimento refletido, elaborado, organizado. Antes de se organizar concretamente em obras, o pensamento se alicerça em fenômeno de volição: depende do querer, da vontade do ser pensante. Já é conhecimento científico, através da Parapsicologia, que o pensamento age sobre a matéria sem o concurso do ato psicomotor. A telecinésia. Trata-se pois de uma força ou energia que brota da estrutura físico-cerebral do homem e, portanto, deve ser possível representá-la matematicamente.

LACERDA, propõe as seguintes equações:
EQUAÇÕES DA VIDA
I) WN p = {Volt x 10-x)1 · (y n =1) } p = protozoário ou equivalente
II) WN Z = {Volt x 10x)n · (y n >1) } Z = zoon, animal, metazoário
III) WNA = {Volt x 10-x)1 · (y n ® µ ) } A = (ântropos), Homem


CORPO FÍSICO ALMA
Energia elétrica Energia mental
A nível físico a nível astral
n = (nous) mente. No homem, tende para o infinito
y = (psi), psiquismo, elaboração psíquica.
n = 1 = 1 = unidade de força mental
W = energia
N = Número de neurônios ou unidades Fixadoras e/ou condutoras de elétrons
N = Número de unidades elétricas do Animal em estudo.

A fórmula pode ser simplificada, no nível humano. Usando a equação para quantificar a energia de um neurônio associado ao psiquismo.



Das equações acima, Dr. LACERDA deduziu-se a lei que rege o pensamento como operação do Espírito. "A energia do pensamento manifestada no campo físico (WNA), é igual ao produto da energia elétrica neuronal (En) pela energia psíquica, da alma ou espírito = na potência n , quando n tende para o infinito. Aplicada no mundo astral, no trato com espíritos ou entidades desencarnadas, a energia mental produz resultados espetaculares. A mente é a usina de forças de que se utiliza a APOMETRIA, na aplicação de todas suas técnicas.


7.2- A FORÇA ZETA (Z ) OU FORÇA ZOO
Trata-se de energia proveniente do corpo físico. Constituindo de matéria densa nosso corpo é uma condensação de energia extraordinária, represada em nossos átomos, moléculas, esparsa em nosso campo magnético. Trata-se de força ou energia dinâmica que se movimenta e que, dentro de certos limites, pode ser dirigida por nossa mente. Para maiores esclarecimentos ver AZEVEDO; José Lacerda de: ESPÍRITO/MATÉRIA: novos horizontes para a medicina. Porto Alegre. Palloti, 1988, pp. 67-72.




7.3- ENERGIA CÓSMICA
Plasma cósmico, energia cósmica indiferenciada, energia espacial, designa a energia última ou primária que supomos como uma força emanada do "pensamento" de Deus. Esta força chamamos de K (kapa).LACERDA propõe que pela ação da mente ou vontade o plasma cósmico sofre um rebaixamento de freqüência vibratória e, por assim dizer, de sua massa e passa a funcionar como onda portadora, tornando-se fluxo contínuo sob o comando da mente orientada pela vontade. Se é fluxo vetorial deve se comportar do mesmo modo que o Vetor de Poyting já discutido em 4.4.1. Tudo indica que o plasma cósmico (K) se comporta como vetor magnético de altíssimo padrão de energia o qual conjugando-se ao vetor de força vital Z (zeta), deve funcionar como fluxo elétrico mais pesado do que do que o da equação de Poynting:
S = K.Z, em que S significa o Vetor de Poynting ativo. A equação aqui sugerida é a mesma da Física e tem mostrado comprovada eficácia para explicar fenômenos de ordem espiritual. Qualquer ação do vetor S sobre a matéria é de rara exceção e, só se concretiza pela predominância do vetor Z da equação, como nos casos de ectoplasmia.



8- AÇÃO DO OPERADOR APOMÉTRICO
Cada vez que o operador apométrico comanda por contagem firme e cadenciada, em voz alta 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 ..., aprojeção de energia mental como que condensa, enfeixa e dá direção as energias das fontes K e Z, o vetor de fluxo resultante conforme a equação S = K.Z é responsável pelos aparentes "milagres" das técnicas apométricas.


9- LEIS DA APOMETRIA

Todos os enunciados aqui apresentados são de autoria do Dr. LACERDA. A redação é a que consta de Espirito/Matéria: novos horizontes para a mediciana/José Lacerda de Azevedo – Porto Alegre: Pallotti, 1988.


9.1- Primeira Lei: LEI DO DESDOBRAMENTO ESPIRITUAL (Lei Básica da Apometria).
Enunciado: "Toda vez que, em situação experimental ou normal, dermos uma ordem de comando a qualquer criatura humana, visando à separação do seu corpo espiritual – corpo astral – de seu corpo físico, e, ao mesmo tempo, projetarmos sobre ela pulsos energéticos através de uma contagem lenta, dar-se-á o desdobramento completo dessa criatura, conservando ela sua consciência".

Técnica: A técnica é simples: com o comando da mente, emitem-se impulsos energéticos através de contagem em voz alta, tantos números quantos forem necessários. Usualmente basta contar de 1 a 7, com voz firme e cadenciada. Note-se que o número em si, não significa nada. Poderíamos usar as letras de qualquer alfabeto, símbolos ou palavras. O que realmente importa é a emissão de energia mental que direcionada cria o fluxo energético constituído pelas forças K e Z (kapa = energia cósmica e Zeta = energia Zoo mental) conforme a equação S = K.Z, produz o desdobramento.


Comentários: Nesta lei geral se baseia a APOMETRIA. No campo dos fenômenos anímicos a técnica da aplicação desta lei, representa uma verdadeira descoberta. Quando trabalhamos com médiuns videntes treinados e sob a direção de operador qualificado para tal tarefa, esta técnica possibilita explorar e investigar o plano astral com bastante facilidade e acurada percepção.





9.2- Segunda Lei: LEI DO ACOPLAMENTO FÍSICO
Enunciado: "Toda vez que se der um comando para que se reintegre no corpo físico o espírito de uma pessoa desdobrada, (o comando se acompanhado de contagem progressiva) dar-se-á imediato e completo acoplamento no corpo físico".
Técnica: Se o espírito da pessoa desdobrada estiver longe do corpo, comanda-se primeiramente a sua volta para perto do corpo físico. Em seguida projetam-se impulsos (ou pulsos) energéticos através de contagem, ao mesmo tempo que se comanda a reintegração no corpo físico.
Comentários: Caso não se complete a reintegração plena, a pessoa pode sentir tonturas, mau estar ou sensação de vazio que pode durar algumas horas. Via de regra, há reintegração espontânea e em poucos minutos, mesmo sem qualquer comando. Não existe o perigo de alguém permanecer desdobrado, pois o corpo físico exerce poderosa atração automática sobre o corpo astral. Em alguns casos muito especiais, mesmo com médiuns bem treinados, pode ocorrer alguma demora para que ocorra a plena reintegração. Nestes casos segura-se a pessoa pelas mãos e conta-se novamente de 1 a 7, chamando-a pelo nome e determinando, com energia amorosa, que retorne ao corpo físico.


9.3- Terceira Lei: Lei da ação à distância, pelo espírito desdobrado (Lei das viagens astrais)
Enunciado: "Toda vez que se ordenar ao espírito desdobrado do médium uma visita a lugar distante, fazendo com que esse comando se obedecerá à ordem, conservando sua consciência e tendo percepção acompanha de pulsos energéticos, através de contagem pausada, o espírito desdobrado clara e completa do ambiente (espiritual ou não) para onde foi enviada".
Nota importante: Esta lei, de ordinário, só funciona em sensitivos (médiuns) videntes os quais, via de regra, conservam a vidência quando desdobrados.
Técnica: Ordena-se ao médium desdobrado a visita a determinado lugar, ao mesmo tempo em que se emite energia em contagem lenta. O sensitivo se deslocará em corpo astral, seguindo os pulsos da contagem até atingir o local determinado.

Comentários: Como o sensitivo permanece com a visão psíquica, quando solicitado, fornece informações, bastante acuradas, do local visitado, astral e físico, com maior precisão do ambiente astral. Esta técnica é muito útil para realizar diagnósticos à distância, bem como procedimentos objetivando o saneamento psíquico do ambiente visitado e prestar auxílio a pessoas físicas e espíritos desencarnados. Como exemplo da aplicação prática desta lei sugere-se leitura do caso ilustrativo narrado pelo Dr. LACERDA em "Espírito e Matéria", pag. 110-112. Ed. Pallotti Porto Alegre, 1988.




9.4- Quarta lei: Lei da Formação dos Campos-de-Forca
Enunciado: "Toda vez que mentalizarmos a formação de uma barreira magnética, por meio de impulsos energéticos, através de contagem, formar-se-ão campos-de-força de natureza magnética, circunscrevendo a região espacial visada, na forma que o operador imaginou.
Técnica: Mentalizarmos uma barragem magnética e projetarmos energias para sua concretização, através de contagem até sete.

Comentários: A densidade desses campos e, por conseqüência, sua ação é proporcional à força mental que os gerou. Usa-se está técnica, com ótimos resultados para proteger ambientes de trabalho, espiritual ou físico bem como para a contenção de espíritos rebeldes.Os antigos egípcios eram peritos nesta técnica, pois seus campos-de-força, feitos para proteger túmulos, imantação de múmias, etc, duram até hoje. A forma do campo tem grande importância. Os piramidais, mormente os tetraedricos, são poderosos.Para melhor compreensão de campos vibratórios magnéticos e eletromagnéticos sugerimos consultar AZEVEDO, José Lacerda de. Espirito/Matéria: Novos horizontes para a medicina. Porto Alegre. Pallotti, 1988. Pp.131-132.


9.5- Quinta Lei: Lei da Revitalização dos Médiuns
Enunciado: "Toda vez que tocarmos o corpo do médium (cabeça, mãos), mentalizando a transferência de nossa força vital, acompanhando-a da contagem de pulsos, essa energia será transferida. O médium começará recebe-la, sentindo-se revitalizado".
Técnica: Pensamos fortemente na transferência de energia vital de nosso corpo para o organismo físico do médium. Em seguida tomamos as mãos do médium ou colocamos nossas mãos sobre sua cabeça, fazendo a contagem lenta. A cada número pronunciado, massa de energia vital-oriunda de nosso próprio metabolismo – é transferida para o médium.

Comentários: Usamos esta técnica, habitualmente, depois da aplicação de passes magnéticos em pacientes muito desvitalizados. Com isso é possível fazer os médiuns trabalharem por duas a três horas consecutivas, sem desgaste apreciável. A cada trinta minutos transfere-se energias vitais para os médiuns individualmente, os quais, deste modo, podem trabalhar sem grande desgaste.


9.6- Sexta Lei: Lei da Condução do Espirito Desdobrado, de Paciente Encarnado para os Planos mais Altos, em Hospitais do Astral.
Enunciado: "Espíritos desdobrados de pacientes encarnados somente poderão subir a planos superiores do astral se estiverem livres de peias magnéticas".
Técnica: Quando desejamos encaminhar ao plano astral, especialmente à hospitais espirituais, consulentes cujo corpo astral estiver envolvido em laços, amarras e toda sorte de peias de natureza magnética, colocadas por obsessores ou por sua própria mente enferma, faz-se necessário limpá-los. Isso se consegue, facilmente, pela ação dirigida dos médiuns desdobrados, ou por comandos do próprio diretor do trabalho. Nestes casos basta dar o comando mental, contando de 1 a 7, em raras exceções até 21, determinando a dissolução de todas as amarras.

Comentários: Temos observados que os passes usuais em casas espiritas, podem auxiliar, mas via de regra não resolvem o problema aqui enfocado. Não obstante, consideramos de grande valia, ministrar um passe de corrente nos consulentes, antes destes passarem à cabine para o tratamento apométrico.




9.7- Sétima Lei: Lei da Ação dos Espíritos Desencarnados Socorristas Sobre os Pacientes Desdobrados.
Enunciado: "Espíritos socorristas agem com muito mais facilidade sobre os enfermos se estes estiverem desdobrados, pois que uns e outros, desta forma, se encontram na mesma dimensão espacial"
Técnica: Desdobrados os espíritos dos consulentes, através de pulsos energéticos, como já visto anteriormente, basta solicitar as equipes de socorristas diagnóstico e tratamento dos males que os afligem.

Comentários: Os médiuns videntes, via de regras, acompanham e mesmo auxiliam nos diagnósticos e procedimentos terapêuticos prescritos. Quando solicitados passam informações ao diretor dos trabalhos e pedem sua intervenção quando necessária.


9.8- Oitava Lei: Lei do Ajustamento de Sintonia vibratória dos Espíritos desencarnados com o Médium ou com outros espíritos desencarnados, ou de ajustamento da sintonia destes com o ambiente para onde, momentaneamente foram enviados.
Enunciado: "Pode-se fazer a ligação vibratória de espíritos desencarnados com médium ou entre espíritos desencarnados, bem como sintonizar esses espíritos com o meio onde forem colocados, para que percebam e sintam nitidamente a situação vibratória desses ambientes". Técnica: Quando se quiser entrar em contato com desencarnado de nível vibratório compatível com nosso estado evolutivo, presente no ambiente, projeta-se energia em forma de pulsos rítmicos, ao mesmo tempo que se comanda a ligação psíquica.

Comentários: Por está técnica se estabelece a sintonia vibratória entre sensitivo (médium) e desencarnado, facilitando grandemente a comunicação. Ela abre canal sintônico entre a freqüência fundamental do médium e do espírito. Emitidos por contagem, os pulsos energéticos fazem variar a freqüência do sensitivo do mesmo modo como acontece nos receptores de rádio, quando giramos o dial, do capacitor variável, até estabelecer ressonância com a fonte oscilante (estação emissora) que se deseja.Se o espírito comunicante for enfermo, sofredor ou maldoso, portanto de baixo padrão vibratório, tão logo aconteça a desincorporação devemos elevar o padrão vibratório do médiuns. Se isso não for feito, o sensitivo ficará por algum tempo sofrendo as limitações do espírito comunicante.Em trabalhos de desobsessão, muitas vezes, nos deparamos com espíritos revoltados, vingativos e mesmo maldosos que não aceitam dialogar ou modificar suas condutas através de doutrinação, por mais lógica, ética e amorosa que esta seja. Nestes casos somos levados a fazer com que sintam o ambiente, isto é, entrem em sintonia com as vibrações negativas que estão emitindo, no presente ou em ressonância com as vibrações opressivas que desencadearam no passado. Tão logo projetamos energias em forma de pulsos, por contagem, a sintonia se estabelece, causando grande constrangimento ao espírito agressor. Nestas condições o espírito, assim constrangido, permanecerá nesta situação até que o campo vibratória se desfaça por ordem do operador. Assim tratados os espíritos revoltados, se pacificam e/ou se esclarecem. Os operadores apométricos tem sido criticados por companheiros da Doutrina Espírita que dizem que com tais procedimentos, estamos julgando nosso próximo e interferindo em seu livre arbítrio. Sem qualquer intenção de contender, temos respondido que nossa ação sempre visa o bem do espírito revoltado ou agressor e que o direito de exercício do livre arbítrio termina quando invadimos ou violamos a liberdade ou o direito do nosso próximo. Não fosse assim, a sociedade, da qual somos parte ativa, não deveria coibir a ação criminosa do delinqüentes no pleno exercício da razão.




9.9- Nona Lei: Lei do deslocamento de um espírito no espaço e no tempo.
Enunciado: "Se ordenarmos a um espírito incorporado a volta a determinada época do passado, acompanhando-a de emissão de pulsos energéticos através de contagem, o espírito retorna no tempo à época do passado que lhe foi determinado".
Técnica: Para deslocar um espírito no espaço e/ou no tempo, podemos faze-lo determinando, através da emissão de pulsos energéticos acompanhados de contagem, que regrida a tal ou qual época ou que se desloque ao local que se deseja.

Comentários: Só se obriga um espírito regressar ao passado para mostrar-lhe suas vivências, suas vítimas, sua conduta cruel, os acontecimentos traumáticos que viveu nesta ou em vidas passadas, com o objetivo de esclarece-lo sobre as leias éticas que regem a vida ou, no caso de espíritos encarnados, para superar síndromes ocorrentes nesta vida com causa em vivências passadas.No caso de consulentes, parece-nos que a técnica funciona com mais objetividade e segurança do que aquelas usualmente empregada em "Terapia de Vidas Passadas" pelo fato de que o operador auxiliado por sensitivos treinados e/ou por mentores espirituais incorporados ou não, consegue atingir com grande objetividade os fatos mais relevantes determinantes das síndromes. Outrossim a orientação de um mentor espiritual auxilia-nos a não cair no erro de tocar em pontos ou feridas que não devam, de momento, ser relembradas.


9.10- Décima Lei: Lei da dissociação do espaço-tempo
Enunciado: "Se, por aceleração do fator Tempo, colocarmos no Futuro um espírito incorporado, sob o comando de pulsos energéticos, ele sofre um salto quântico, caindo em região astral compatível com seu campo vibratório e peso específico Karmico (km) negativo – ficando imediatamente sob a ação de toda a energia km de que é portador".
Técnica: A técnica é muito simples: projetamos energias magnéticas por pulsos rítmicos e através da contagem, sobre o espírito incorporado, ao mesmo tempo que se lhe dá ordem para saltar para o Futuro.

Comentários: Segundo o Dr. LACERDA, está técnica só deve ser empregada com espíritos desencarnados, visando esclarece-los. Não obstante, ela vem sendo usada para espíritos encarnados, incorporados em médiuns, sem que tenhamos notado qualquer prejuízo ao consulente. A grande diferença são os resultados: No caso do desencarnado o efeito pode ser altamente positivo e imediato quanto a mudança de conduta. No caso do encarnado os resultados, até agora, são pouco animadores. Cremos que isto se deve ao fato de que há filtros ou barreiras poderosas, bloqueando a passagem da mensagem do cérebro do campo astral (inconsciente?) para o cérebro físico, sede da memória e consciência atual. Acreditamos que o dia em que encontrarmos um mecanismo ou técnica que permita a passagem, seletivamente, ao campo físico, do conhecimento ou das informações novas assimiladas pelos níveis de consciência superiores (Astral, mental, etc), lograremos um grande êxito no tratamento do ser humano. Este comentário, é válido para outras técnicas aplicadas no trato com o espírito de encarnados, quando incorporados em médiuns, para isso treinados.Voltando à técnica, observou o Dr. LACERDA que um espírito, ao ser dissociado do espaço em que se encontra, através da aceleração do fator Tempo dá um verdadeiro salto quântico (à semelhança dos elétrons nos átomos). O afastamento do espaço normal não acontece de maneira progressiva, e sim por saltos, até se instalar num espaço do Futuro. Se o espírito é muito revoltado e cruel, entra em sintonia vibratória com mundos hostis, ocupados por seres horrendos, onde deverá renascer para recomeçar aprendizagem pela dor e dificuldades inerentes a um meio primitivo.Nesses casos, de dissociação do Espaço-Tempo, ocorre fenômeno sobremaneira interessante. Ao acelerar-se o tempo a carga harmônica a resgatar que normalmente seria distribuída ao longo do tempo, 300 anos por exemplo, fica acumulada, toda ela, de uma só voz sobre o espírito. Esta é a causa da sensação de terrível opressão, de que os espíritos se queixam quando projetados ao encontro de sua carga kármica. Devemos ter muito cuidado e ética cristã (amor e responsabilidade) na aplicação desta e, como de sorte, de todas as técnicas apométricas. Se o desligamento do médium acontecer de repente, sem qualquer cuidado com o espírito projetado no futuro, este poderá ser literalmente esmagado pelo campo energético negativo acumulado. Seu corpo astral poderá ser transformar em "Ovóide" e, portanto, perderá a condição ou possibilidade de reecarnar. Para desligar o espírito do médium devemos antes faze-lo retornar, lentamente, a época presente. Caso contrário, estaremos violando a Lei Cósmica e, consequentemente, criando problemas para nós próprios.


9.11- Décima primeira Lei: lei da ação telúrica sobre os espíritos desencarnados que evitam a reencarnação.
Enunciado: "Toda vez que um espírito desencarnado, possuidor de mente e inteligência bastante fortes, consegue resistir à Lei da Reencarnação, sustando a aplicação dela nele próprio, por longos períodos de tempo (para atender a interesses mesquinhos de poder e domínio de seres desencarnados e encarnados), começa a sofrer a atração da massa planetária, sintonizando-se, em processo lento, mas progressivo, com o Planeta. Sofre apoucamento do padrão vibratório, porque o Planeta exerce sobre ele uma ação destrutiva, deformante, que deteriora a forma do espírito e de tudo o que o cerca, em degradação lenta e inexorável.
Técnica: Esta lei não é aplicada pela ação do operador, mas é um determinismo que se abate, automaticamente, sobre todos os que ousam violar as Leis Divinas por longos períodos do Tempo Cósmico. O operador age apenas alertando o espírito transgressor das Leis Cósmicas, mostrando-lhe, através de um espelho ou de uma autovisão, o estado a que está sendo levado por sua ação maléfica.

Comentários: Ninguém burla as Leis Divinas impunemente. Quem se contrapõe ao ciclo das reencarnações, repelindo oportunidades evolutivas; quem abomina, como repugnante a experiência e o aprendizado na carne; quem prefere as ilusões do poder, através do domínio tirânico de seres encarnados e desencarnados, ou de vastas regiões do astral inferior, aferra-se, inconsciente e automaticamente, à massa do Planeta e se afunda nele em trágico retrocesso.Este fenômeno só acontece com espíritos detentoras de inteligência e poder mental suficientes para sustar as próprias reencarnações durante séculos, prejudicando a própria evolução.Nas páginas 119-123, da mesma obra do Dr. LACERDA, é apresentado interessante exemplo ilustrativo desta lei.


9.12- Décima Segunda Lei: Lei do choque do tempo.
Enunciado: "Toda vez que levarmos ao Passado espírito desencarnado e incorporado em médium, fica ele sujeito a outra equação de Tempo. Nessa situação, cessa o desenrolar da seqüência do Tempo tal qual o conhecemos, ficando o fenômeno temporal atual (presente) sobreposto ao Passado".
Técnica: É a mesma empregada em leis anteriores. Consiste no emprego de pulsos energéticos através de contagem.

Comentários: A compreensão desta lei, bem como de outras que envolvem deslocamentos ao passado e futuro implica em aceitar que o binômio Tempo-Espaço não se aplica à dimensão astral. Esta é a razão pelo qual os espíritos, mesmo evoluídos, tem dificuldade de se situar na nossa dimensão de tempo. Por outro lado, é comum, em trabalhos espirituais, nos depararmos com espíritos vivendo no passado remoto, sem se aperceberem que o Tempo passou. Já nos deparamos com um espírito vivendo na pré-história, como troglodita.No caso desta lei, o espírito é levado ao Passado. O Dr. LACERDA explica que o deslocamento para o Passado cria tensão de energia potencial entre a situação presente e os deslocamentos para o Passado. Enquanto o espírito permanecer incorporado ao médium, nada lhe acontece, apenas passa a viver e vislumbrar a nova situação que lhe foi imposta. No entanto, se for bruscamente desligado do médium, saí do campo de proteção do mediador e fica como que solto na outra dimensão Espaço-Tempo. Recebe, então, em cheio a energia potencial criada pelo deslocamento, energia esta suficientemente forte para destruir seu corpo astral e transformá-lo em Ovoide.No mencionado livro do Dr. LACERDA, à pag. 124 está descrito interessantíssimo caso que bem ilustra esta lei.


9.13- Décima Terceira Lei: Lei da influência dos espíritos desencarnados, em sofrimento, vivendo ainda no passado, sobre o presente dos doentes obsidiados.
Enunciado: "Enquanto houver espíritos em sofrimento no Passado de um obsidiado, tratamentos de desobsessão não alcançarão pleno êxito, continuando o enfermo encarnado com períodos de melhora, seguidos por outros de profunda depressão ou de agitação psicomotora".
Técnica: Em primeiro lugar, procede-se ao atendimento dos obsessores que se encontram em volta do paciente, retirando-os para estâncias do astral especializadas no tratamento de tais casos. O encaminhamento de tais espíritos se faz através de comandos mentais, acompanhados de contagem, geralmente de 1 a 12, e da intenção de encaminhar os espíritos obsessores para casas de socorro do mundo astral. Uma maneira prática que vem sendo usada com bastante, sucesso, pela maioria dos operadores apométricos na"Casa do Jardim", consiste em mentalizar um cone ou sino sobre o enfermo e sua residência, local de trabalho etc, e, mediante impulsos mentais, acompanhados de contagem em voz alta, determinar o giro do sino ou cone no sentido anti-horário, de maneira a criar um poderoso vóstice capaz de sugar os espíritos obsessores e encaminhá-los às casas de socorro do astral ou a campos vibracionais compatíveis com sua vibração mental. A mentalização de uma rede magnética também pode ser usada com sucesso pelo operador.

Comentários: Não se deve jamais deixar espíritos obsessores soltos. Deixar obsessores soltos, após breve doutrinação evangelizadora, como usualmente se faz nas sessões de desobsessão, nas casas espíritas em geral, é pouco produtivo. Não é com um diálogo de poucos minutos, ou mesmo com orações, que se demovem perseguidores resistentes ou magos negros.Em casos de obsessões complexas, em que cobranças de ações cometidas em passado delituoso, são feitas por legiões de espíritos vingadores, são necessários sucessivos trabalhos, abrindo faixas de vidas passadas, uma após outra, até que todos os obsessores sejam afastados. A cura definitiva só ocorrerá com a evangelização do enfermo que, esclarecido e iluminado pela Boa Nova do Cristo, passará a vibrar em amor e vivendo o amor, criará um campo protetor que o tornará imune à ataques, de espíritos obsessores consciente ou inconsciente.


10- CONDIÇÕES IMPRESCINDÍVEIS AO EXERCÍCIO DA APOMETRIA
10.1-DIRETOR E EQUIPE BEM TREINADOS
Esta é condição imprescindível para a realização de um bom trabalho em APOMETRIA. Nosso entendimento é de que uma equipe ideal deve ser constituída por 02 médiuns de incorporação, 02 videntes, 02 doadores de energia, 01 notário ou "escriba", 01 diretor titular e 01 diretor substituto, num total de nove pessoas. Todos os médiuns devem ser desenvolvidos ou treinados no uso de suas faculdades mediúnicas. O conhecimento e vivência do Evangelho é fundamental.Os médiuns de incorporação são muito importantes não só para receber os espíritos sofredores e obsessores, encarnados e desencarnados, bem como de pacientes e de mentores espirituais. Algumas equipes trabalham com um mentor incorporado o que dá muita segurança e eficácia ao trabalho. Os videntes auxiliam na formulação de diagnósticos, identificação de obsessores, bases da entidades malignas, trabalhos de magia negra, etc. São ainda de grande utilidade em atendimentos à distância. Os doadores de energia são utilizados para "limpar" os consulentes, retirando dos mesmos cargas negativas e para reenergizá-los, repondo energias positivas. Estes sensitivos são verdadeiras usinas, captam e transformam energias com grande facilidade. O "escriba", como é chamado na Casa do Jardim, é a pessoa encarregada de fazer anotações no prontuário ou fichas de registro de atendimento, e as prescrições terapêuticas (chás, florais exercícios, leituras, passes, "água fluída", Evangelho no lar, etc. Não prescreve medicação alopática, de qualquer espécie. É também, a pessoa encarregada de receber e conduzir os consulentes até a cabine do trabalho. Não necessita ser médium e é o único membro da equipe que entra e sai da sala durante o desenrolar de uma sessão. Os demais só devem sair durante o intervalo. O abrir portas, sair e entrar de pessoas durante o desenrolar de uma sessão de APOMETRIA, mesmo dos membros da equipe, quebra a corrente e prejudica o andamento do trabalho.O diretor do grupo deve ser pessoa bem treinada em APOMETRIA, conhecedor de seus princípios básicos, leis e técnicas mais importantes. Deve ser pessoa evangelizada, paciente, amorável e de bom relacionamento pessoal. Deve ter fé e convicção no trabalho que está realizando, o que significa ter um emocional equilibrado e um mental desenvolvido e harmonioso. Obviamente não necessita ser um santo, pois se dependesse destes, a APOMETRIA teria dificuldade em progredir, pela carência dos mesmos.O diretor adjunto deve ter atributos semelhantes aos do diretor titular. Geralmente é um colaborador, em treinamento, que auxilia e substitui o titular nos seus impedimentos.Acima descrevemos uma equipe ideal, o que nem sempre é possível reunir. Em verdade, quando contamos com médiuns bem treinados e disciplinados, é possível realizar um bom trabalho com uma equipe bem menor.


10.2- CONVICÇÃO E HUMILDADE
A convicção é indispensável ao diretor de qualquer trabalho apométrico e ao grupo de um modo geral. Um diretor inseguro, indeciso, não conhecedor de sua função, transmitirá insegurança ao grupo todo.A humildade é atributo da maior importância. A vaidade é porta aberta para a derrocada de qualquer trabalho espiritual. O trabalhador vaidoso é presa fácil de espíritos obsessores e magos-negros.


10.3- ÉTICA E PROPÓSITO
O Sucesso da APOMETRIA, depende de ética e propósito amorável. Isto se deve ao fato de que, um trabalho nesta área, depende da participação de mentores espirituais e estes jamais colaboram em qualquer atividade humana que não seja exercida com ética e propósito amorável.


10.4- AMOR E FÉ
A APOMETRIA, na sua excência, deve ser considerado como um ato de fé e amor. O Dr. LACERDA dizia-nos, repetidas vezes, que fé não é crença. Fé, afirmava ele, deriva de fides, que significa fidelidade. A nosso ver só há fidelidade onde houver dignidade verdade, dedicação. O amor é a vertente do ato criador de tudo o que é belo e bom. Quando o homem obra, por amor e com amor, torna-se co-criador com Deus, participe da Obra Divina. Quando o egoísmo e a vaidade permeiam nossa ação, criamos frustrações, dor, desarmônia e infelicidade. No final deste texto veremos que o amor é a regra de ouro da APOMETRIA.


1- ENTROSAMENTO COM A DOUTRINA ESPÍRITA E UMBANDA
A APOMETRIA nasceu, desenvolveu-se e fundamentou-se científica e tecnicamente dentro de uma instituição espirita, o Hospital Espírita de Porto Alegre (HEPA). Este escriba é testemunha vivo de sua história. À época (1968-1984) era membro da diretoria do HEPA e colaborador nos trabalhos de APOMETRIA.Dr. LACERDA sempre foi um espírita convicto o atuante. Realizou, durante mais de 50 anos de sua existência, um trabalho dedicado, persistente, assíduo e profícuo na área espiritual. Não considerava o Espiritismo uma religião. Afirmava que a Doutrina Espírita é uma realidade cósmica, infinitamente superior a qualquer religião. Excluía qualquer laivo de misticismo ou fanatismo e muito fez para difundir esta doutrina, como ciência e filosofia. Não obstante Dr. LACERDA sabia, como nós, que o Espiritismo tem conseqüências religiosas por religar o homem a Deus. Ensinava que o Espiritismo é uma doutrina de libertação, embasada em método científico, constituindo-se numa tentativa racional, capaz de estabelecer uma ponte entre a ciência materialista e imaterialidade do Espírito. Para ele o codificador do Espiritismo – ALAN KARDEC – estabeleceu uma ponte entre dois universos e possibilitou o estudo e o melhor entendimento do Homem, em seu duplo aspecto material e espiritual. Pelo Espiritismo, dizia ele, Leis foram reveladas, iluminado o conhece-te a ti mesmo. O homem passou a ser visto como um continuam espaço-temporal com todo um cortejo de implicações. Como resultado, novas concepções nasceram e os ensinamentos evangélicos, dizia ele, "deixaram a poeira dos altares para se transformarem em filosofia de vida". Tal como as correntes filosóficas orientais o Espiritismo se embasa nos princípios da Palingenesia ou Reencarnação, com o que se explica a Lei da Evolução. Além disso, o espiritismo, incorpora em seus ensinamentos a antiquíssima e bramânica Lei do Karma ou lei da responsabilidade pessoal, através da qual débitos e desvios morais são resgatados ao longo de múltiplas existências em que também se adquirem os valores imprescindíveis ao aperfeiçoamento de nosso Ser Imortal. Dr. LACERDA constumava dizer que KARDEC criou o Espiritismo e que os espíritas brasileiros criaram o "kardecismo", uma prática ou tentativa de vivência da Doutrina Espírita, permeada de religiosidade, com tendência a se transformar em crença ou seita.Quanto a Umbanda, ele, via a mesma como uma filosofia de vida e prática mediúnica útil e necessária ao povo brasileiro, ainda, tão apegado a liturgias e rituais. Dizia que a Umbanda era uma ponte, entre o Catolicismo dominante e o Espiritismo libertador. Assim pensando, ele compreendia, permitia e estimulava quando necessário, a manifestação de entidades nas faixas de pretos-velhos, caboclos, etc. Usava contar pontos de Umbanda que, hoje sabemos, funcionam como poderosos mantras liberadores de energias poderosas. Os sons harmônicos ou a música, constituem-se poderoso meio auxiliar à APOMETRIA. Dado a essa visão larga e liberal, e a não aceitar imposições ou normas de trabalho e pesquisa, que não aquelas


"comprometidas com o amor e a verdade", como costumava dizer, Dr. LACERDA foi incompreendido pelas elites diretoras do movimento espírita brasileiro e, como conseqüência, a APOMETRIA até os dias de hoje, não é aceita por muitas casas espíritas que cumprem a orientação da Federação Espírita Brasileira e de suas congêneres estaduais.Lamentável é que a maioria dos que criticam e se opõem à APOMETRIA, jamais leram seus textos básicos ou seguir assistiram um trabalho apométrico bem orientado. Julgam, por ouvir dizer, e anematizam uma técnica que, em muito, pode auxiliar os propósitos do Espiritismo. A APOMETRIA é apenas uma técnica de trabalho. Não propõe qualquer alteração nem acrescenta nada aos fundamentos filosóficos e éticos da Doutrina Espírita.Felizmente o número dos que estudam e compreendem a APOMETRIA multiplica-se a cada dia. Hoje, os espíritas e espiritualistas em geral que aplicam a APOMETRIA, com amor e por amor, constam-se às centenas. Acreditamos que, muito em breve, incompreensões e resistência, comuns à toda idéia nova e revolucionária, face a clareza de propósitos e fidelidade ao amor e a verdade em que se fundamenta a APOMETRIA, caírão. A APOMETRIA, será então mais um dos muitos instrumentos de trabalho espiritual, pelos quais a Misericórdia Divina nos socorre e ampara. Na CASA DO JARDIM, Instituição Espírita Assistencial, criada pelo Dr. LACERDA em março de 1987, que colaboram homens e mulheres de boa vontade, oriundos a maioria do Espiritismo, muitos da Umbanda, outros da Teosofia, Esoterismo ou Maçonaria. Isso não tem sido impedimento para que a APOMETRIA, usada com amor, sirva em nome do Cristo. As falhas e dificuldades devem-se as nossa imperfeições humanas.


2- DIVULGAÇÃO DA APOMETRIA
No início dos trabalhos fundamentação da APOMETRIA, seu estudo e aplicação ficaram restritos às dependências do HEPA, em Porto Alegre. Em meados da década dos anos setenta, os fundamentos científicos da APOMETRIA, já estavam estabelecidos. Em 1975, o Dr. LACERDA apresentou uma conferência no X Congresso Americano de Espiritismo em Mar Del Planta- Argentina, onde expôs a nova técnica.Em 1977, é publicado a primeira edição de "Espirito e Matéria novos horizontes para a medicina" com o que a APOMETRIA ganha domínio público. Foi só a partir de então que o Dr. LOURENÇO, Coordenador Espiritual da APOMETRIA, sugeriu ao Dr. LACERDA aceitar os inúmeros convites para palestras e demonstrações de APOMETRIA. Em 1991, 1993, 1995, 1997 e 2000 aconteceram os I, II, III, IV e V Congressos Brasileiro de Apometria nas cidades de Caxias – RS (1991 e 1993) Lages – SC (1995), e Porto Alegre (1997), onde inúmeros trabalhos e teses sobre APOMETRIA foram apresentados. Particularmente o IV Congresso de Porto Alegre, constituiu-se um grande sucesso, tendo 600 participantes nas diversas sessões. A partir da publicação dos livros do Dr. LACERDA Espírito e Matéria (1977), Energia e Espírito (1993) e a versão em inglês do primeiro, intitulada "Spirit & Matter: New Horizons For Medicine". New Falcon, Publications, tempe, Arizona, U.S.A. (1987), e, de textos do Dr. Vitor R. da Costa, em Brasília, e do Sr. J.S. Godinho em Lages-SC, estes últimos veiculados pela INTERNET, a APOMETRIA está, hoje, divulgada a nível internacional.Outras formas de divulgação usadas com freqüência são simpósios, seminários, encontros, artigos em jornais e revistas especializadas, estágios, visitas a trabalhos entrevistas em jornais e televisões bem como palestras.




3- EVOLUÇÃO E O FUTURO DA APOMETRIA


APOMETRIA, tem se mostrado, como uma técnica, ou conjunto de técnicas, extremamente dinâmicas. A cada dia novas técnicas são incorporadas ao arzenal da APOMETRIA. Baseando-se nas leis enunciados anteriormente e na manipulação das energias Z e K, com o poder da mente e amor, novas técnicas surgirão a cada dia. Quanto ao futuro da APOMETRIA é de se prever que, num tempo não muito remoto, em que a Psicologia a Psiquiatria o mesmo a Medicina e outras ciências que tratam do Homem, percebam a sua constituição plena, como espírito e matéria, esta fará parte dos currículos acadêmicos.Particularmente não vemos a APOMETRIA como uma técnica passível de aplicação corrente em clinicas ou consultórios médicos ou de psicologia, nos termos em que hoje os mesmos funcionam. Algumas técnicas, de proteção do próprio terapeuta, como a criação de campos magnéticos podem ser usada. Alguns temem que a divulgação da APOMETRIA enseje a que a mesma venha a ser aplicada aeticamente objetivando o ganho fácil. Sabemos que há pessoas inescrupolosas cobrando por trabalhos supostamente apométricos que não passam de grosseira mistificação. Todos os trabalhos sérios da APOMETRIA aos quais a Casa do Jardim presta apoio logístico ou institucional, são oferecidos, ao público em geral, gratuitamente.

4- RESULTADOS E DISCUSSÃO DE CASOS
Quem trabalha para o Cristo por amor, não deve se preocupar com os frutos, pois sabe que a colheita é do Senhor.Não obstante concordarmos com a assertiva acima, temos suficiente informações ouridas de observações e manifestações expontâneas de consulentes, de que os resultados são altamente positivos. Temos formação científica e sabemos que a aferição de resultados, com vista a conclusões, exige método apropriado e preciso, sob pena de equívocos lamentáveis. Diariamente ouvimos e observamos pessoas beneficiadas pelas sessões apométricas. As vezes, ao final de um só atendimento, o consulente que adentrou a cabine, triste deprimido, com idéias de autodestruição, transforma-se, sorri e diz-se aliviado. Cremos, firmemente, que muitos são beneficiados, aliviados de dores físicas e sofrimentos espirituais. Como avaliar isso, quantificar fenômenos desta ordem? Estamos testando uma ficha de registro para uso em trabalhos de pesquisa, que permite uma avaliação científica dos resultados obtidos. Até lá confiamos em nossas observações e afirmações de médicos que trabalham e pesquisam na Casa do Jardim, a começar pelo Dr. LACERDA, com quem tivemos a alegria de privar por mais de 25 anos.Objetivando melhor elucidar o difícil tema em discussão, podemos recorrer aos inúmeros casos relatados nos 02 livros do Dr. Lacerda, abaixo citados.


5- REGRA DE OURO DA APOMETRIA
O Dr. LACERDA, como nós hoje, sempre foi muito consciente e preocupado com o emprego que seus discípulos viessem a fazer da APOMETRIA. Para que todos possam conhecer sua posição abaixo transcrevemos "ipsis literis" seu pensamento."Aqui, no entanto, devemos clarinar um vigoroso alerta para os entusiasmos que possamos estar provocando. Como fundamento de todo esse trabalho como, de resto, de todo trabalho espiritual – deve estar o Amor. Ele é o alicerce. Sempre.As técnicas que apontamos são eficientes, não temos dúvidas. O controle dessas energias sutis é fascinante, reconhecemos, pois desse fascínio também sofremos nós. Mas se tudo não estiver impregnado de caridade, de nada valerá. Mais: ao lado da caridade, e como conseqüência natural dela, deverá se fazer presente a humildade, a disposição de servir no anonimato. Se faltar amor e disposição de servir pelo prazer de servir, corremos perigo de incorrer na má aplicação das técnicas e do próprio caudal de energia cósmica, tornado-nos satânicos por discordância com a Harmonia Universal. Advertimos: através da obediência dos preceitos evangélicos, somente através dela, experimentadores e operadores podem desfrutar de condições seguras para devassar esse arcanos secretos da Natureza, com adequada utilização dessas "forças desconhecidas".


6- BIBLIOGRAFIA CONSULTADAS

AZEVEDO, JOSÉ LACERDA DE. 1988. Espírito/Matéria. Novo Horizontes para a medicina. Porto Alegre. Palotti.
_________________________. 1993. Espírito e Matéria. Porto Alegre, Edicel.
_________________________. 1993. Energia e Espírito. Porto Alegre. Palotti.
_________________________. 1997 SPIRIT & matter; New Horizons for Medicine. Dehver, Arizona, USA. New Falcon Publications.

COSTA, V.R. 1997. Apometria – novos horizontes da medicina espiritual. Matão, SP, Editora O Clarim.







PARTE - II
ASPECTOS HISTÓRICOS:



1- INTRODUÇÃO

A história da Apometria, está tão intimamente ligado à história da Casa do Jardim que torna impossível falar de uma excluindo a outra. Se a Apometria é a técnica de desdobramento espiritual operada pelo comando da mente, a Casa do Jardim é o local, o grupo, a entidade, a "alma coletiva" onde a primeira foi planejada, experimentada, fundamentada cientificamente e estabelecida operacionalmente.



2- ORIGENS NA ESPIRITUALIDADE


Até o momento, sabe-se muito pouco sobre o planejamento da Apometria no mundo espiritual. As informações disponíveis, obtidas mediunicamente, indicam que o Projeto Apometria foi elaborado, no plano espiritual, no final do século passado, possivelmente nos primeiros anos da década de 1890.

O Coordenador espiritual do projeto deve ser a entidade que conhecemos por Dr. Lourenço. Dele sabemos muito pouco. Espíritos evoluídos não falam de si. Pela sua ação, palavras e vibração percebe-se tratar-se de um ser amorável. Há relatos de que, em outra encarnação, foi o papa Júlio II. (Giuliano Della Rovere 1443 - 1513; Papa 1503 - 1513). Pelo exposto é lícito supor que muitos dos responsáveis pelo desenvolvimento do projeto, hoje encarnados, tenham participado dos preparativos iniciais da Apometria, pois todos nasceram a partir da primeira década deste século.


3-O DESCOBRIDOR DA APOMETRIA


Coube ao Dr. Luis Rodrigues, um farmaceutico-bioquímico, nascido em Porto Rico e residente no Rio de Janeiro, descobrir que, através de uma contagem progressiva, era possível fazer o desdobramento astral de sensitivos ou não e levá-los a hospitais do mundo espiritual para diagnóstico e tratamento de enfermidades diversas. As primeiras experiências foram por ele realizadas no Rio de Janeiro, tendo um jovem de16 anos, seu sobrinho, como "sujet" e uma enfermeira como médium. O Dr. Rodrigues, denominou o desdobramento induzido de hipnometria o que, para evitar conotações hipnóticas ou de sono, foi mais tarde, denominado pelo Dr. Lacerda de Apometria. O termo Apometria, do grego "apo"= separar e "metron"= medir, parece mais adequado e hoje consagrou-se como designativo do fenômeno de desdobramento anímico através de pulsos ou comandos energéticos mentais.


4-OS PRIMEIROS PASSOS NO HOSPITAL ESPIRITA DE PORTO ALEGRE (HEPA)

Informes verbais, ouvidos do Sr. Conrado Riegel Ferrari, então Presidente do HEPA, e do Dr. Alfredo Geraldo Shermann, renomado médico oftalmologista, ambos já falecidos, relatam que o Dr. Rodngues veio à Porto Alegre, no início de 1965, para fazer uma pequena cirurgia nos olhos. Logo após a cirurgia, o Dr. Rodrigues informou ao Sr. Ferrari sobre suas experiências com uma nova técnica de diagnóstico e tratamento espiritual de enfermidades diversas, mediante o desdobramento dos pacientes à hospitais do mundo espiritual. O Dr. Rodrigues fazia questão de afirmar que não se tratava de mediunismo e que o desdobramento era anímico. O Sr. Ferrari, homem dotado de grande cultura e vivência espiritualista - em verdade ele era espírita com larga folha de bons serviços prestados à doutrina de Kardec- percebendo a importância do que lhe dizia o Dr. Rodrigues acordou com ele uma experiência para a qual convidou médiuns de sua confiança e diversos espíritas eminentes na época. Procedida a sessão, a qual foi dirigida pelo Dr. Rodrigues, esta não impressionou os assistentes, a exceção do Sr. Ferrari e Sr. João A. Venâncio que, certamente comprometidos com a Apometria antes de reencarnarem, ficaram motivados para novas experiências. Logo após esta primeira experiência seguida de outras, o Sr. Ferrari convidou o .Dr. Lacerda e sua esposa, Dona Yolanda, para fazerem um atendimento para uma senhora amiga. Dona Iolanda ficou muito preocupada pois tratava-se de um caso delicado; um tanto relutante, acedeu. A sessão ocorreu no HEPA, com a presença do Sr Ferrari, da consulente, seu esposo e da mãe da consulente. Teve Dona Yolanda como médium e Dr. Lacerda como dirigente. Procedida a contagem de desdobramento, Dona Iolanda viu-se transportada a um hospital do astral, chamado de Hospital Amor e Caridade, onde foi recebida pelo Dr. Lourenço que lhe disse serem velhos conhecidos. Passaram a uma sala onde esperavam alguns auxiliares não identificados. A consulente também foi desdobrada e levada ao mesmo local onde recebeu a atenção da equipe em serviço. Após o atendimento, Dr. Lourenço disse, através de Dona Iolanda, que tinha uma surpresa para a consulente. Anunciou-lhe a vinda, de uma filha, o que confirmou-se meses mais tarde. Com este atendimento consolidava-se a prática apométrica em Porto Alegre.





5-APOIO DO HEPA

Os membros mais antigos da Casa do Jardim, e por conseqüência da prática apométrica, costumam dizer que ambas nasceram em berço de ouro. Em verdade, o então presidente do HEPA, Sr. Conrado R. Ferrari, percebendo o alcance da nova técnica, investiu moral e financeiramente para a sua concretização e desenvolvimento. A falta de apoio da maioria dos participantes da primeira sessão dirigida pelo Dr. Rodrigues não o desestimulou. A incompreensão e criticas de muitos de seus confrades não o afastaram do propósito de estimular a nova técnica, a qual deu apoio moral e material até o seu desencarne em 1972. Deve-se salientar que o Sr. Ferrari não esteve só em sua tarefa. O Sr. João Amado Venâncio, então vice-presidente e posteriormente, presidente do HEPA, seguiu-lhe os passos. Esta é a razão do agradecimento expresso pelo Dr. Lacerda, no livro de sua autoria Espírito e Matéria: Novos rumos para a medicina. Posteriormente o HEPA continuou apoiando a Apometria até fevereiro de 1987 quando, esta perdeu o apoio daquele nosocômio e iniciou uma jornada sem teto próprio que durou até agosto de 1996, data em que adquiriu o imóvel na Rua Beck, 129 onde hoje está sediada. É de justiça aqui externar gratidão as sociedades espíritas Maria de Nazaré, Nossa Casa, e Ramiro Dávila as quais, fraternalmente albergavaram a Casa do jardim entre fevereiro de 1987 e março de 1997.


6- FUNDAMENTAÇÃO CIENTÍFICA DA APOMETRIA

Ao se falar deste tema, necessário se faz apresentar o homem responsável por este feito, Dr. José Lacerda de Azevedo: Médico, cirurgião e Clínico geral, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, turma de 1950, ex-professor de Fisica da Escola Técnica do Senai, espírita desde a juventude, com larga folha de serviço prestado à doutrina de Kardec, um humanista, inteligência brilhante, cientista nato, cultura enciclopédica, franco e direto em suas observações, mas, sobretudo, um caráter íntegro, uma conduta moral ilibada. A este homem incomum coube o desafio de fundamentar cientificamente a Apometria e ele cumpriu a tarefa com raro brilhantismo. Dr. Lacerda, desde as primeiras experiências, ao fazer a contagem, apercebeu-se de que os números, em si, não tinham significado. Poderiam ser usadas as letras do alfabeto ou quaisquer outros símbolos ordenados seqüencialmente. O que importava era a energia mental dirigida com a intenção de produzir o desdobramento. A cada novo número um novo "quantum" de energia é mobilizado pela mente que vai construindo uma força capaz de atuar poderosamente no mundo astral provocando fenômenos diversos. Usada com ética e amor esta força produz efeitos extraordinários com benefício a encarnados e desencarnados. As equações que fundamentam a Apometria constam no livro do Dr. Lacerda "Espírito e matéria: Novos horizontes para a medicina", editado pela primeira vez em 1987 e, ainda, atualizadíssimo nos seus conceitos e fundamentações. Outro fato, recentemente revelado por Dona Yolanda, esclarece-nos sobre a interação entre os cientistas do mundo espiritual e o Dr. Lacerda, para a elaboração da Apometria. Conta Dona Iolanda que, no início da década de 70, numa determinada noite, viu-se levada, juntamente com o Dr. Lacerda, até um grande edificio no mundo espiritual. São suas as palavras: "Ao chegarmos no local, fomos recebidos por um casal muito amável, ele mais circunspecto, ela mais sorridente. Fui informada que a Sra. me faria companhia num passeio pelos parques da colônia. Percebi, então, ao abrirem uma porta de sala contígua ao saguão de entrada, que suas paredes eram cobertas por uma enorme lousa verde, cheia de equações fisico-matemáticas. O Lacerda e o anfitrião adentraram na sala e eu fui levada até uma plataforma, onde havia um veículo oval sem rodas, no qual sentamos e, conduzido por jovem piloto, decolamos em visita às cercanias". Continua a narrativa de Dona Yolanda: "O local era maravilhoso! Voamos sobre um vale coberto de árvores verdíssimas e flores multicores de rara beleza. A esquerda, percebi uma montanha, em cuja encosta localizavam-se muitas casas em estilo Suíço. Perguntei à acompanhante do que se tratava e ela informou-me que lá era o bairro onde residiam os cientistas". Concluído o passeio, Dona Yolanda dirigiu-se ao saguão do edificio onde encontrou o Dr. Lacerda acompanhado do Senhor que os recebera. Percebeu, então, que o mesmo entregou ao Dr. Lacerda um livro, ou grosso caderno de capa verde-escuro, e disse-lhe: "Aqui tens todas as informações de que necessitas para realizares tua tarefa". Despediram-se e Dona Yolanda, sentindo-se acordada, chamou o Dr. Lacerda que dormia profundamente o qual disse-lhe não se recordar do que ela falava. Até esta data, mesmo que já tenha sido revelado ao Dr. Lacerda que ele deveria escrever um livro sobre o trabalho em desenvolvimento, não havia nada escrito sobre Apometria. Um pequeno opúsculo escrito pelo Dr. Luis Rodrigues, descrevia a técnica de desdobramento por ele denominada de hipnometria, sem fundamentá-la cientificamente. A partir do encontro no mundo astral, acima descrito, o Dr. Lacerda passou a se preocupar em formular uma explicação científica para a Apometria. Dr. Lacerda, todos os sábados, chegava à Casa do Jardim às 6:00 horas e punha-se a desenvolver, na lousa, as equações apométricas. Ao chegarem os demais trabalhadores a partir das 7:30 horas, lá estava o Dr. Lacerda exultante, entusiasmadíssimo. Usava da meia hora disponível, antes do início dos trabalhos, para expor suas equações. Formuladas as equações e fundamentada cientificamente a Apometria. Dr. Lacerda iniciou a redação do texto que deu origem ao livro básico desta técnica, publicado, em primeira edição, em 1987.




7- CIMENTAÇÃO ÉTICO-MORAL DA APOMETRIA
O conhecimento científico, filosófico ou religioso, sem amor ou espírito humanitário é mero intelectualismo e, muitas vezes, por estimular o orgulho e a vaidade, afastam o homem de Deus. Toda a vida do Dr. Lacerda foi voltada à caridade. De sua profissão fez um apostolado. Médico conceituado, auriu do exercício da medicina somente o suficiente para o sustento de sua família. Viveu modestamente sem a posse de quaisquer bens financeiro ou imobiliário. Sua esposa, Dona Yolanda, médium de apurada sensibilidade, dotada de amorável coração, companheira de todas as horas, uma espécie de anjo da guarda no corpo físico, colocada ao lado do Dr. Lacerda, para auxiliá-lo no exercício da Apometria com amor, continua cumprindo sua tarefa com raro sucesso. Mais do que isso, ela tem sido um exemplo para todos os trabalhadores da Casa do Jardim. Deste homem e desta mulher, ambos com sólida formação evangélica, conhecedores a fundo da Doutrina Espírita, estudiosos dos problemas da alma humana, exemplos de dignidade, sempre preocupados em metigar a dor e sofrimento alheio, não poderia surgir uma obra que não fosse fundamentada no amor e na caridade. Dona Iolanda e Dr. Lourenço, sempre estiveram ao lado do Dr. Lacerda e, por extensão, de todos os trabalhadores da Casa do Jardim, orientando-os para que o amor e a caridade fossem a pedra basilar da Apometria. Não cabe dúvidas, o desenvolvimento da Apometria só se efetivou, porquê, concomitantemente ao desenvolvimento da técnica, houve a ação amorável colocando-a gratuitamente a serviço do próximo. Vale esta orientação para todos os atuais e futuros trabalhadores em Apometria. A técnica só é exitosa, quando embasada no amor.

8- DISSEMINAÇÃO DA APOMETRIA
A Apometria, na sua fase de desenvolvimento, foi praticada somente na Casa do Jardim, no HEPA, em Porto Alegre. Os estudos e práticas iniciais desenvolveram-se sem alardes. Dr. Lacerda fazia exposições teóricas e práticas aos trabalhadores da Casa. Eventualmente, um ou outro convidado, tinha acesso a uma sessão como observador. A escolha de novos trabalhadores era feita com muito cuidado. Em 1987 é publicada a primeira edição de "Espírito e Matéria: Novos Horizontes para a Medicina", com o qual a Apometria é divulgada na sua plenitude. A partir de então, o Dr. Lourenço sugeriu ao Dr. Lacerda e Dona Iolanda que deveriam aceitar os convites que estavam recebendo para conferências e demonstrações práticas fora de Porto Alegre. Diversas cidades do interior do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo foram visitadas. Diversos estagiários de Caxias do Sul, Pelotas, Novo Hamburgo e Montenegro no RS, Lages-SC passaram a freqüentar a Casa do Jardim em Porto Alegre. Novos grupos foam fundados nestas cidades e em Brasilia para onde o Dr. Vitor Ronaldo da Costa , ex-trabalhador da Casa em Porto Alegre, levou apometria com pleno sucesso. Em 1991 e 1993, aconteceram o primeiro e segundo Congresso Brasileiro de Apometria em Caxias do Sul e, em 1995 o III Congresso Brasi1eiro de Apometria, em Lages-SC, reuniu público expressivo, com mais de 300 pessoas participando das plenárias. A partir destes eventos, a Apometria toma grande impulso. Cursos são ministrados em Porto Alegre, Caxias do Sul e Lages e novos grupos surgem em diversas cidades do Sul do Brasil. Presentemente há informações e grupos de Apometria operando em diversos estados brasileiros. A expansão da Apometria se faz de maneira progressiva e segura, a despeito da incompreensão de alguns. Creditamos esta incomprensão ao desconhecimento do que é Apometria. Quem a estuda, percebe tratar-se de uma técnica auxiliar à Causa espírita e espiritualista em geral, poderosa ferramenta de trabalho na desobsessão, anulação de magia, batuques, feitiços, etc. e precioso auxiliar no diagnóstico e tratamento das enfermidades psiquico-somáticas. Além do desconhecimento da Apometria há uma confusão entre esta, que é a técnica, e a Casa do Jardim, instituição onde a mesma foi desenvolvida. A Casa do Jardim é registrada em Cartório como entidade civil de direito privado de caráter espirita caritativa e assistencial, sem fins lucrativos. Seu corpo de trabalhadores, hoje aproximando-se de 200 provenientes de diversas doutrinas ou filosofias espiritualistas. A maioria é de formação espírita, seguida por umbandistas, exoteristas, teosofistas, maçons e rosacruzes. A Ação da Casa do Jardim é voltada para a caridade e seu único compromisso é com o amor e a verdade. Segue a prescrição evangélica magnificamente sintetizada por Jesus no "Ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. Ai estão toda a a lei e os profetas". Esta liberdade se faz necessária porque a pesquisa e a experimentação, para avançar no conhecimento que permita melhor servir, não pode ser cerceada por normas de doutrina ou de culto. Isso não impede que casas espíritas, umbandistas ou de qualquer outra prática espiritualista, norteadas pelo amor, estudem e pratiquem a Apometria, sem qualquer desrespeito às normas de suas respectivas doutrinas.



9- CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ao final deste relato parece salutar tecer algumas considerações emergente de seu próprio conteúdo e da natureza da Apometria. Fica evidenciado que a Apometria não se constitui em doutrina, filosofia, religião ou seita. Trata-se de uma técniça de desdobramento espiritual induzida por pulsos energéticos dirigidos pela mente do diretor para isso treinado. Esta técnica está fundamentada cientificamente e disponível, como preciosa ferramenta de trabalho, para o atendimento de diversas patologias psiquico-somáticas de dificil diagnóstico e tratamento pouco exitoso pelos procedimentos terapêuticos em uso. Sua prática somente deve ser exercida por grupos treinados, sempre em consonância com o amor e sem interesses de ordem financeira. Para salientar este aspecto transcrevemos abaixo a partir da chamada Regra de Ouro da Apometria, conforme consta do texto de "Espírito e matéria: Novos Horizontes para a Medicina" obra basilar da Apometria de autoria do Dr. José Lacerda de Azevedo:


"Aqui, no entanto, devemos clarinar um vigoroso alerta para os entusiasmos que possamos estar provocando. Como fundamento de todo este trabalho - como de resto, de todo o trabalho espiritual - deve estar o "Amor". Ele é o alicerce. Sempre..."

(1) Trabalho apresentado no 4º Congresso Brasileiro de Apometria. Porto Alegre 5-7 setembro/97.

Carlos I. N. Barradas

Texto publicado em www.casadojardim.com.br


Minha Experiência como Apômetra:


Em 2006/2007 tive o privilégio de trabalhar com os apômetras Gelson Celistre (São Leopoldo/RS) e Sandro Rishesk (Rio Grande/RS) atendíamos gratuitamente com a técnica apométrica atravé de conferência no SKYPE, e, segundo familiares dos atendidos, à época, obtínhamos bons resultados quanto aos desequilíbrios sob tratamento.


Hoje o caro amigo Gelson Celistre presta atendimento individual e maiores informações poderão obter em seu blog - www.apometriauniversalista.blogspot.com, onde também relata todos os atendimentos que realiza, bem como disponibiliza uma apostila gratuita para download a respeito do seu curso sobre Apometria.


E o amigo Sandro Rishesk atende através de seu site: www.prematephia.com.


Ao célebre Doutor Lacerda, aos Amigos Gelson Celistre e Sandro Rishesk pelo aprendizado e oportunidade de trabalho caritativo, a todos, minha eterna Gratidão!




elisangelis

Poderá também gostar de:
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É XAMANISMO?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE SÃO MANTRAS?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É BUDISMO?
UM POUCO DE HISTÓRIA - O QUE É UM XAMÃ?
UM POUCO DE HISTÓRIA - A VIDA DE RAMATIS
LinkWithin