Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

terça-feira, 30 de novembro de 2010

PLANTAS E OS ASTROS

MALY CARAN

Com certeza os homens mais antigos observavam a passagem dos planetas e das fases das luas diante do zodíaco e sabiam como utilizar beneficamente esta força na agricultura, bem como em outros assuntos cotidianos da vida.

Mas os tempos mudaram e, com as chegadas dos meios tecnológicos e químicos para agricultura, estas observações ficaram renegadas a segundo plano. Não se trata de misticismo ou superstição, mas de observar corretamente a natureza, para definir a data em que se deve plantar e colher. A tecnologia "superou" todos estes detalhes observados e intuídos pelo homem por milhares de séculos.

Alguns vestígios ainda existem como tradições, que garantem que a lua exerça força e influência sobre o crescimento dos vegetais.

Rudolf Steiner retomou, no começo do século, o estudo dessa teoria ancestral e pesquisou profundamente a relação dos astros com os seres vivos.

A agricultura que originou, respeita acima de tudo, a vida, a saúde das plantas, das águas, da terra, dos homens, do ar e do planeta.

Maria Thun, estudiosa da obra de Steiner, durante anos realizou estudos com métodos científicos e analisou a grande relação dos elementos que regem a matéria terrena com as plantas e os planetas do sistema solar. Em seu "calendário agrícola", pesquisas astronômicas são fundamentadas nos ritmos criados pela passagem dos planetas, da lua e da terra diante das constelações, espelhando sua realidade na observação experimental. À medida que a lua passa pelas constelações, transmite ao solo e às plantas forças que vão beneficiar as quatro partes vegetais (ver tabela adiante).

Se nós aceitamos que satélites dirigidos para Júpiter e Saturno nos mandam ondas magnéticas com fotos e informações, sensibiliza aparelhos eletrônicos e eletromagnéticos aqui na Terra, porque não supor que corpos celestes muito mais complexos refletem e enviam ondas eletromagnéticas pela própria luz de reflexão dos planetas?

Pelo fato de todos os planetas do nosso sistema solar orbitarem aproximadamente no mesmo plano, vemos o sol e os planetas desfilarem pelo céu sempre pelo mesmo caminho.

Este caminho percorrido pelos planetas leva o nome de Zodíaco. Este é dividido em doze constelações que estão distribuídas em quatro grupos de três – cada grupo ligado a um dos elementos: terra, água, ar e fogo.

À medida que a lua passa por estas constelações, transmite ao solo e às plantas forças que vão beneficiar especialmente um dos seguintes quatro sistemas:

As Raízes serão beneficiadas pela passagem das constelações regidas pelo elemento terra.

As Folhas e Caules pelas constelações regidas pelo elemento água.

As Flores pelas constelações regidas pelo elemento ar.

Os Frutos e Sementes pelas constelações regidas pelo elemento fogo.

Signo astronômico Planeta Elemento Parte da planta a ser beneficiada

Aries Marte fogo sementes e frutos

Touro Vênus terra raízes

Gêmeos Mercúrio ar flores

Câncer Lua água folhas e caules

Leão Sol fogo sementes e frutos

Virgem Mercúrio terra raízes

Libra Vênus ar flores

Escorpião Plutão água folhas e caules

Sagitário Júpiter fogo sementes e frutos

Capricórnio Saturno terra raízes

Aquário Urano ar flores

Peixes Netuno água folha e caules

De acordo com este quadro, as épocas escolhidas para se plantar, colher e armazenar devem estar em harmonia com elementos da natureza ,que nos regem ,e dos quais fazemos parte. O plantio e a colheita de plantas, em épocas corretas, favorece produção e o poder nutritivo dos vegetais.

As pragas, que normalmente atacam as plantas, sofrem controle mais ágil e rápido quando plantamos neste ritmo planetário.

Mas, além do aspecto astrológico das plantas, é preciso também se levar em conta as condições do solo, se tem orvalho pela manhã, as variações de temperatura, a época da reprodução dos insetos e o comportamento dos animais. Tudo isso tem que ser observado e intuído.

A força de cada constelação sobre as plantas

Áries: Signo de fogo, Marte, o carneiro que representa o pioneirismo, rege os liquens que preparam o caminho para os vegetal. É propício ao crescimento de suas forças e, no decorrer deste período, as plantas se desenvolvem mais rapidamente. Boa época para se fazer sementeiras, principalmente das frutas, para a colheita de cereais e sua armazenagem. Período igualmente bom para se fazer mudas de estacas.

Touro: Signo de terra, Vênus, rege os fungos e cogumelos, período que favorece tudo o que dá debaixo da terra.

Também favorável plantar sementes de árvores ou transplantá-las.

Gêmeos: Signo de ar, Mercúrio, rege os musgos sobre as árvores e as pedras. Este não é um período muito fértil na agricultura, sendo mais favorável a preparação da terra para cultivá-la no período seguinte.

Câncer: Signo da água, Lua, rege os fetos, cavalinhas e licopódios. Período propício para semear e transplantar as folhas e ervas medicinais.

Leão: Signo do fogo, Sol, que rege as plantas coníferas como pinheiros. É neste período que começamos a plantar os cereais e feijões, fazer podas em trepadeiras, roseiras e frutíferas.

Virgem: Signo da terra, Mercúrio, é dedicado a Ceres, a deusa mãe que protege e rege os grãos, as gramas e é neta época que continuamos a plantar os cereais e realizar podas. Durante o período de Virgem devemos borrifar as plantas com água de urtiga para protegê-las e para aumentar os poderes medicinais das ervas.

Libra: Signo do ar, das flores, da primavera. É uma época propícia para a colheita das ervas, à secagem e armazenagem das flores e à preparação de florais.

Escorpião: Signo da água, é Plutão que rege as plantas medicinais e as palmeiras. Ótimo período para secar as ervas e armazená-las. Em Escorpião também devemos borrifar as plantas com água de urtiga.

Sagitário: O centauro, signo do fogo, Júpiter, que rege as grandes árvores e as florestas. Neste período planta-se com sucesso as árvores de frutas e também as árvores que queremos que cresçam mais rapidamente e que fiquem mais altas.

Capricórnio: A cabeça, signo de terra, Saturno, rege as plantas com flores e pétalas separadas. Neste período plantamos as árvores, para que as madeiras durem muito tempo, e também fazemos colheitas.

Aquário: Signo do ar, Urano, representado por Ganimedes, servindo o néctar dos deuses, rege as plantas de flores de pétalas unidas. Neste período continuemos a colheita.

Peixes: Signo da água, Netuno, rege as plantas com muita umidade ou que morem na água.

Período favorável para se iniciar uma horta, mas totalmente impróprio para as colheitas, que tende à rápida deterioração.

A LUA E AS NOSSAS PLANTAS

Foi também através dos tempos que o homem observou e percebeu intuitivamente a simbiose entre a lua e as plantas, a lua e os líquidos e também influência da lua na zona etérea nas mulheres, nos partos, na vida vegetal etc.

Na lua cheia tudo está cheio, repleto, pleno. Na lua nova está tudo mais seco, mais vazio, contraído.

Na quarto crescente temos o aumento, a divisão celular, a germinação e na lua minguante vem a diminuição das águas e desmaterialização.

A explicação por parte dos pesquisadores da eficácia desta regra lunar na agricultura deriva do aproveitamento correto da luminosidade lunar. Essa luminosidade, embora menos intensa que a solar, penetra mais fundo no solo e assim acelera o processo de germinação das sementes. As plantas que recebem mais luminosidade lunar na sua primeira fase de vida tende a brotar rapidamente, desenvolvendo mais folhas e flores, realizando a fotossíntese com mais eficiência,

Já aquelas plantas na quarto minguante, sob uma luminosidade que tende a zero, atravessam um período vegetativo mais longo. Dessa forma, antes de tudo observa-se o fortalecimento das raízes.

Como a lua rege os líquidos, também vai reger as seiva das plantas. Na lua nova, a seiva se concentra nos caules e nas raízes, no quarto crescente flui em direção ás folhas, na lua cheia alcança maior penetração nas bordas e, finalmente, na quarto crescente, reflui em direção ao caule e às raízes.

Não é favorável fazer a poda durante a lua cheia, por exemplo, porque a seiva estará nos brotos. Em compensação, esta é a melhor fase para a colheita de frutos, pois neles está contido o máximo de seiva.

O aproveitamento do fluxo e refluxo da seiva determina práticas importantes na agricultura.

Lua nova – Fazer podas. Ao capinar nesta fase lunar, o mato demora mais a crescer. Colher raízes suculentas. Fazer adubação.

Lua crescente - Arar e gradear a terra, semear e colher folhas e frutos neste período. Fazer enxertos, plantar flores e folhas em vasos ornamentais.

Lua cheia – No ápice lunar não devemos nem plantar ou transplantar e muito menos capinar, pois assim o mato cresce muito mais rapidamente.

Lua minguante – Plantamos e colhemos as raízes, colhemos bambus e madeiras para utilização de cercas, construção e móveis; neste período a seiva se encontra nas raízes, favorecendo um tempo mais longo de vida da madeira. Devemos também colher e armazenar grãos.

MALY CARAN , uma das maiores autoridades em ervas medicinais no Brasil, é fundadora do Projeto Erva Viva , ministra cursos e é consultora do assunto em diversas revistas. ( 13) 326-1267

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blessed Be!