Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O QUE É GEMATRIA?


GEMATRIA

A gematria é o procedimento que permitia descobrir o verdadeiro sentido das palavras, substituindo-as por outras de igual valor numérico (tampouco os caldeus tinham, nem os gregos ou os romanos) e as quantidades eram representadas por meio de letras. Isso significava que um signo poderia ser indistintamente letra ou número: tudo dependia do contexto em que se encontrava.

Por exemplo, a primeira letra do alfabeto judeu – Aleph – podia ser utilizada também como número um. A segunda – Beth- como número dois; a terceira – ginel- como três; a quarta – daleth- como quatro, etc.


Somava-se os valores de cada letra, chegando se assim a um número que representava uma palavra. Isto é, um conjunto de sinais que tinham sido unificados para formar uma palavra, deixavam de ser letras para transformarem-se em números, somavam-nos, e depois, tornava-se a transformá-los em letras que somavam a mesma quantia e que, unidas, formavam uma palavra totalmente diferente da primitiva.

Por, exemplo, a palavra “Shin” (alma) soma 300 pelo valor de suas letras e pode substituir a “Ruach Elchim” (espírito de Deus) que também vale 300.

Outras vezes, estabelecia-se a relação entre a palavra e seu valor numérico e se atribuíam poderes mágicos à quantia resultante, conforme a melhor tradição pitagórica.

O valor numérico de Javé (Jeová) é 10,5,6 e 5 totalizando 26. estes números contidos no nome de Deus eram interpretados de maneira mística e por cálculos similares descobriram que o maispoderoso nome de Deus devia conter 72 letras. O conhecimento deste nome era o máximo de potência que um homem podia alcançar.

Segundo o Motariqon, cada letra de uma palavra é tomada como inicial ou abreviatura de outra. Desta maneira, pode-se construir uma frase com as letras de uma só palavra.

Tomemos, por exemplo, a palavra “Brashth” (Berashith; o hebraico usa somente consoantes e as vogais são substituídas na escrita por pontos embaixo das letras), a primeira a configurar no Gênesis. Construindo palavras com cada uma de suas letras como iniciais, pode-se construir a frase: no início Deus viu que Israel devia aceitar a Lei”.

Também se pode interpretar que as três primeiras letras são as iniciais das três pessoas da Santíssima Trindade: Bem, o Filho; Ruach, o Espírito e Ab, o Pai. Esta leitura cabalística foi realizada pelos cabalistas de origem cristã, que abraçaram a doutrina esotérica hebraica durante a Renascença.

Finalmente, se tomarmos os valores numéricos da palavra referida, atinge-se a cifra 3.910, quantia em anos transcorridos desde a Criação até Jesus, segundo a cabala de origem Cristã.

Como pode o cabalista ter acesso ao mundo mágico e dominar em seu benefício às forças da natureza?

O “Temura” – livro mágico da cabala - responde a esta pergunta partindo de três afirmações:

1)O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus e tem, portanto seus atributos. Se isto for certo, o homem tem em si mesmo, em potência poderes da mesma natureza que a divindade (salva a relatividade existente entre o finito e infinito). Se o homem é uma redução de Deus, não demorará em querer imitar seu Criador por meio do exercício de seus poderes, inferiores, mas reais.

2)As coisas foram criadas por meio do pensamento e a voz de Deus, com as trinta e duas maravilhosas vias da Sabedoria: as vinte e duas letras do alfabeto hebraico e os dez primeiros números expressos pelas dez primeiras letras, constituem o laço unificador da criação e são idênticas ao pensamento feito visível. São superiores aos corpo s e substâncias. O sopro de deus encontra-se nas letras hebraicas e elas participam igualmente do homem e de Deus. Conhecendo-se seus significados ocultos e seus poderes, todos os prodígios podem ser realizados.

3)O homem também possui pensamento e verbo com seus auxiliares (as letras e números). Se Deus criou o universo por estes meios e deu ao homem os mesmos instrumentos sem que isso significasse blasfemar contra a obra de Deus (em sua essência superior) o homem pode, possuidor como é, dos mesmos meios, realizar prodígios em uma escala pequena, mas que podem modificar a natureza inferior.

A magia, que em todas as épocas foi ritualista, encontrou no complicado formulismo dos cabalistas, a codificação de palavras, gestos e símbolos que necessitava para seu cerimonial.
(Continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blessed Be!