Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

MARTINISMO:


ORIGEM DO MARTINISMO

A tradição do Martinismo pode ter sua origem à Martinez de Pasqually .

A ordem que está a mais próxima a Pasqualy é a Ordem dos Chevaliers Elus Cohens de l`Universe com 5 graus.

A ordem mais próxima a Willermoz é Os Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa, um rito maçônico antigo que foi reorganizado por ele em 1778.

E há então as Ordens próximas a Papus baseadas no trabalho de Saint Martin, e que foram nomeadas como A Ordem dos Filósofos Desconhecidos (Silencieux Inconnus de Ordre), mas que é mais conhecida como Ordem Martinista ( L`Ordre Martinisme).

Certamente os Elus-Cohen os Cavaleiros Benfeitores têm a relação mais forte com a maçonaria.

Não há historicamente documentos que comprovem que Saint-Martin fundou realmente uma ordem, entretanto existe um rito maçônico chamado Rito Retificado de Saint Martin, constituída de dez graus, que mais tarde foram reduzidos a sete a saber :

1. Aprendiz; 2. Artesão ou journeyman; 3. Mestre; 4. Mestre Antigo; 5. Mestre Eleito; 6. Grande Arquiteto; 7. Mestre Secreto; 8. Príncipe de Jerusalém; 9. Cavaleiro da Palestina;10. Kadosh.

Posteriormente :
1. Aprendiz; 2. Artesão ou journeyman; 3. Mestre; 4. Mestre Perfeito; 5. Mestre Eleito; 6. Escocês; 7. Santo

Quase todas as ordens Martinistas modernas são uma manifestação do bom trabalho de Papus (Dr. Gerard Encausse, 1865-1916), que criou ou se preferirem, revitalizou o pensamento de Saint Martin durante o período de 1882-91. Recrutou diversos de seus irmãos em 1888 para dar forma ao primeiro conselho supremo Martinista, a fim de regularizar as diversas iniciações Martinistas livres da época.

Em 1891 este conselho sob a direção de Papus deu forma a uma organização chamada Ordem Martinista ou Ordem dos Superiores Incógnitos com três graus, é reconhecido que esta Ordem Martinista que foi baseado em dois Ritos Maçônicos extintos :

o Rito de Elus-Cohens (de Pasqually) e o Rito Retificado de Saint-Martin De características templárias dividiram a iniciação em três partes: S.I. – P.I. e L.I.

Entretanto, com o tempo o grau S.I. (originalmente apenas um grau) foi dividido em quatro partes, como mostramos abaixo, e esta divisão causou muita confusão entre os diferentes ramos do Martinismo.

Algumas ordens dividiram-no somente em três partes, e fizeram mais um grau o S.I.I ou Circulo dos Filósofos Desconhecidos. :
1) associado ou (S.I. I)
2) iniciado ou (S.I. II)
3) superior incógnito ou (S.I. III)
4) filósofo desconhecido (P.I.)(S.I. IV)
5) S.I.I. ( Filósofo Desconhecido; P.I.)
6) Livre Iniciador (L.I.)

Certamente alguns Martinistas preferiram continuar seus trabalhos de forma independente. Era Martinistas ” livres “. Ainda se tem noticias de que há ainda algum Martinistas livres , independentes não associados com as chamadas Ordens regulares.

As Ordens Sinarquica( Synarchy), Martinista (Ordre Martiniste), e a Ordem Martinista de Elus Cohen (Ordem de Martinist do lus Cohens) são consideradas theurgicas da linha de Martinez de Pasqually menos mística que as Ordens fundadas com a orientação em Louis Claude de Saint Martin.

Há também outras ordens regulares menos conhecidas, dentre as quais Russianî que descende de Papus quando de sua visita à corte do Czar Nicholas e a Belgo/ Holandesa.

As ordens mais antigas em existência, derivando-se todas da ordem de Papus são estas : a Ordem Martinista Synarquica (Synarchy de Martinist), a Tradicional Ordem Martinista TOM (Tradicional de Martinist) e finalmente a Ordem Martinista ( Ordre Martiniste).

As Ordens Martinistas em geral se reúnem em grupos, dependendo do número de participantes, cada uma possui um nome diferente:

Círculo (sete membros ou menos) , Heptada (sete Membros ou mais) , Loja (vinte e um membros ou mais) . Vale notar que a Tradicional Ordem Martinista somente possui um organismo previsto em sua constituição, a que chamamos de Heptada , que é constituída de no mínimo 21 membros de preferência SI na sua fundação.

A base dos ensinamentos em todas as Ordens inclui Misticismo Cristão, Teosofia, Kabbalah, Hermetismo, e outros assuntos esotéricos semelhantes. A filosofia Martinista está inspirada no teosofismo clássico e nos trabalhos de Jacob Boehme, Swedenborg, além é claro em Martinez de Pasqually, Jean-Baptiste Willermoz e Louis-Claude de Saint Martin.

A maioria dos historiadores confirma que foram membros Martinistas dos diversos segmentos proeminentes figuras do mundo esotérico, como: Papus, Arthur Edward Waite, Eliphas LÈvi, Margaret Peeke, Henri Delaage, Maria Desraimes e Gearges Martin, Helena Petrovna Blavatsky, Coronel Olcott, Annie Besant, James Ingall Wedgwood, Charles Webster Leadbeater e outros , e muitos Rosacruzes e Maçons da Inglaterra, Alemanha, Bélgica, França, e E.U.A.

Vamos agora tentar resumir o pensamento e a estrutura das maiores Ordens Martinistas no mundo.

ORDEM MARTINISTA DE PAPUS(L`Ordre Martiniste):

É o nome da primeira ordem criado por Papus em Paris 1888. Papus foi o primeiro Soberano Grande Mestre de 1888 até a sua morte em 1916. O seu primeiro Conselho Supremo foi constituído dos seguintes Irmãos:

1. Papus (o Grande Mestre ) ; 2. Pierre Augustin Chaboseau ; 3. Paul Adam ; 4. Charles Barlet ; 5. Maurice Barres ; 6. Burget ; 7. Lucien Chamuel, 8. de Stanislas Guaita ; 9. LeJay ; 10. Montiere ; 11. Josephin Peladan ; 12. Yvon Le Loup (Sedir) ; 13. Eduoard

Maurice Barres e Josephin Peladan foram posteriormente substituídos por Marc e Emile Michelet. O Dr. Blitz de Edouard , Delegado Soberano no E.U.A., também era um membro do Conselho Supremo, entretanto ele é negligenciado freqüentemente na história do Martinismo, provavelmente porque ele deixou a Ordem, depois de uma controvérsia com Papus que não pretendia manter a subordinação maçônica em sua organização.

A sucessão de Papus na linhagem de Saint Martin era assim:
1. o Louis-Claude Saint Martin (1743-1803)
2. Jean-Antoine Chaptal (de Compte Chanteloup)(morto em 1832)
3. (?)X
4. Henri Delaage (morreu 1882)
5. Dr. Gérard Encausse

Porém, havia um elo, ou melhor, um vácuo (o X) na linhagem de Papus, assim em 1888, Augustin Chaboseau (um membro do Conselho Supremo original de 1888) e Gérard Encausse trocaram Iniciações pessoais para consolidar a sucessão.

A Ordem Martinista se constituiu, então, de 2 linhagens espirituais, a que vimos acima e a seguinte :
1. o Louis-Claude de Saint Martin (1743-1803)
2. Abbe de la Noue (morreu 1820)
3. J. Antoine-Marie Hennequin (morreu 1851)
4. Adolphe Desbarolles (morto em 1880)
5. Henri la de Touche (Paul-Hyacinthe de Nouel de la Touche)(morto em 1851)
6. a marquesa de Amélie de Mortemart Boisse
7. Pierre Augustin Chaboseau.

Depois de morte de Papus , Charles Detré (nome místico Teder ) se tornou o Soberano Grande Mestre, ele decidiu limitar a afiliação à Ordem Martinista (L`Ordre Martiniste) para Mestres Maçons, especialmente do Rito de Memphis & Misraim. Claro que isto significou que as mulheres seriam excluídas do Martinismo, e isto também não estava de acordo à filosofia do Martinismo original. Naturalmente isto causou grande discordância entre os membros, e vários membros do Conselho Supremo original de 1891 deixaram a Ordem.

ORDEM MARTINISTA MARTINEZISTA(L’Ordre Martiniste-Martineziste de Lyons):

É o nome que Detré deu para a ordem em 1916, depois de ter mudado para Lyon e levado a Ordem com ele. Então, poderíamos considerar a Ordem Martinista original de Papus como morta, pelo menos até que depois de vários anos ela fosse reativada pelas inúmeras outras organizações que se fundaram.

A linha de sucessão da Ordem Martinista-Martinezista é:
0. (Papus 1888-1916)
1. Charles DetrÈ (Teder) (1916-1918)
2. Jean Bricaud (1918-1934)
3. Constantin Chevillon (1934-1944)
4. Henri-Charles Dupont (1944-1958) A exigência maçônica de DetrÈ em 1916, foi a primeira causa da criação de todas as Ordens Martinistas modernas e mistas.

ORDEM MARTINISTA DE PARIS(L`Ordre Martiniste de Paris):

Fundado em 1951 por Philippe Encausse (o filho de Papus). Ele havia reunido vários Martinistas livres da França e formou a uma ordem baseada da constituição original. Phillipe Encausse sendo o Grande Mestre fundiu-se com a Federação das Ordens Martinistas , com A Ordem Martinista e Elus Cohen ( L`Ordre Martiniste e o Martinist Order do Elus Cohen de Robert Ambelain) e removeu a exigência da qualificação maçônica pela qual era determinada a pré afiliação. Ele resignou como Grande Mestre em 1971, e teve como sucessor Irénée Séguret . Philippe Encausse retomou a direção em 1975 e resigna finalmente em 1979. O Irmão Emilio Lorenzo encabeça atualmente a Ordem .

A linhagem é:
1. Papus (morreu 1916)
2. o Charles Deter (ie. Teder, morreu em 1918)
3. Jean Bricaud (morreu em 1934)
4. Chevillon (morreu em1944)
5. Charles-Henry Dupont (morreu 1960)
6. Philippe Encausse (se aposentou em 1960)
7. IrÈnÈe SÈruget (1971-74)
8. Emilio Lorenzo (1979)

ORDEM MARTINISTA BELGA (L’Ordre Martiniste Belge):

Criado em 1968 e encabeçada pelo astrólogo belga e membro anterior do Conselho Supremo da Ordem Martinista, Gustave-Lambert Brahy. Os membros de seu Conselho Supremo eram: Gustave-Lambert Brahy, Pierre-Marie Hermant, Stéphane Beuze e Maurice Warnon (que resignou em 1975 para trabalhar na Ordem Martinista dos países Baixos). Todos os quatro eram membros anteriores do Conselho Supremo da Ordem Martinista. Esta Ordem desapareceu praticamente com o falecimento de Gustave Brahy em 1991. Há só um Grupo permanecendo, sob a direção de Irmão Loruite.

Ambas as Ordens Martinista Belga e Países Baixos foram criadas a pedido de Philippe Encausse. A razão disto era a discordância interna na Ordem Martinista sobre qual afiliação religiosa a ordem deveria ter. Muitas religiões independentes e igrejas Gnósticas eram populares entre os Martinistas , mas alguns preferiam o silêncio a aderir a estas igrejas.

Quando a Ordem Martinista(L`ordre Martiniste) em 1968 confirma uma aliança com a igreja Gnóstica (fazendo dela a religião oficial da ordem), muitos membros objetaram a esta limitação da liberdade religiosa . Então, para permitir para os membros mantivessem a liberdade para adorar nas igrejas de sua escolha, eles ofereceram as duas outras ordens como uma alternativa.

ORDEM MARTINISTA DOS PAÍSES BAIXOS(L’Ordre Martiniste de Pays-Bas):

Foi introduzido nos Países Baixos em 26 de Setembro de 1968, o Presidente da Federação das Ordens Martinistas localizou em Paris Maurice H. Warnon de Bruxelas (um membro anterior do Conselho Supremo da L`Ordre Martiniste) ele foi designado por Philippe Encausse como Representante Nacional e Soberano para os Países Baixos, com a missão de esparramar as idéias Martinistas e iniciações naqueles países em particular.

Depois de trabalhar bem de perto na Ordem Martinista francesa, ficou evidente que os membros holandeses objetaram à relação íntima da Organização francesa com a igreja Gnóstica e Apostólica, pois a maioria deles que é de origem protestante. Eles quiseram manter uma liberdade completa de religião. Philippe Encausse sugestionou a criação de um segundo ramo, separada da árvore original.

A decisão pela independência começou em Setembro de1975, durante a reunião anual dos membros da Ordem no Países Baixos. Uma Constituição nova foi adotada e subseqüentemente, a ” Ordem des Martiniste Pagar-Bas ” foi fundado 12 de setembro do mesmo ano, pela transmissão dos poderes do Representante Nacional da Ordem Martinista francesa para o Conselho Supremo recentemente criado do Países Baixos.

Os membros de seu Conselho Supremo eram: Maurice Warnon, Augustus Goetmakers, Bep Goetmakers, Femke Iken, Annie Iken e Joan Warnon-Poortman.

A Ordem Martinista dos Países Baixos não é uma jurisdição territorial, mas uma orientação específica do movimento de Martinista.

ORDEM MARTINISTA DOS ELUS COHENS(des Ordem Chevaliers Maçons Elus-Cohen de l’Univers):

Originalmente fundado por Martinez de Pasqually em 1768. Foi fundido com alguns ritos Maçons pelo discípulo dele e sucessor Jean-Baptiste Willermoz. O Dr. Blitz de Eduoard, um companheiro antigo de Papus, trabalhou com os Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa de Willermoz, nos E.U.A., e consequentemente mantinha a exigência de afiliação maçônica. Depois da Segunda Guerra Mundial, Robert Ambelain (Sar Aurifer),era seu Grande Mestre e mantinha rituais Elus Cohen que ele tinha obtido de várias fontes , reavivou a Ordem Martiniste des lus Cohens que praticava justamente esta forma operativa de teurgia. Ambelain também preservou somente esta Ordem aos Homens.

A Ordem original do Cohens Eleitos tinha trabalhado de 1767 a pelo menos até 1807. De lá para cá a linhagem está quebrada ou pelo menos incompleta.

Estes são os iniciados principais da Ordem dos Cavaleiros Maçons Eleitos do Elus Cohen do Universo na França:
1. Martinez de Pasqually 1767-1774; 2. Caignet Lestere 1774-1779; 3. o Sebastian las de de Casas 1780; 4. G.Z.W.J. 1807 de 1942-1967: 1. Robert Ambelain (Aurifer); 1942-1967; 2. Ivan Mosca (Hermete) 1967-1968

No seguimento Italiano: 1. Krisna Frater 2. Francesco Brunelli

Os graus transmitidos nos Elus Cohen são assim: 1º grau – o Mestre Elus-Cohen; 2º grau – Cavaleiro do Oriente; 3º grau – o Chefe do Oriente; 4º grau – RÈaux-Croix

Outras fontes relatam assim: 1 – Ordem dos Cavaleiros de Elus-Cohen L’Univers; 2 – ordem de Cavaleiros maçons; 3 – Eleitos sacerdotes do Universo; 4 – RÈaux-Croix

A ordem se fundiu com a Ordem de Martinista de Phillipe Encausse. Ambelain publicou uma declaração na revista de Martinista ´L’Initiation” em 1964 relatando o fechamento da ordem. 30 anos depois foi reavivado mais uma vez – novamente por Ambelain – que ainda parece estar morando em Paris.


ORDEM MARTINISTA SINARQUICA(L’Ordre et de Martiniste Synarchique):

Esta ordem é a mais antiga das que tiveram uma existência ininterrupta desde sua fundação em 1918 por Blanchard (Sar Yesir). Originalmente era Blanchard que iria se tornar o sucessor de Detré como Grande Mestre da Ordem Martinista Martinezista.
Blanchard desistiu disto, pois ele não estava a favor da exigência de afiliação maçônica no Martinismo. Assim em 1918 Blanchard reuniu o Conselho Supremo anterior de Martinistas e Martinistas independentes que não aderiram ou pertenceram às Ordens Martinistas maçônicas e formaram uma Ordem de Martinistas sob a constituição original que Iniciou homens e mulheres. Depois, em 1934 a Ordem de Blanchard mudou seu nome para Ordem Martinista e Sinarquica, e Blanchard foi eleito Soberano Grande Mestre Universal.

Com uma idade de 75 anos, Blanchard faleceu em 1953, em Paris. O Soberano Grão Mestre a substitui-lo foi Sar Alkmaion (Dr. Edouard Bertholet), da Suíça. Foi Sar Alkmaion, Soberano Grão Mestre da Ordem para as Lojas Inglesas que recebeu a Carta Constitutiva como Delegado Geral para a Grã Bretanha e a Comunidade britânica.

A Grande Loja Britânica era governada por um comitê interno conhecido como o Tribunal Soberano do qual este era um dos membros permanentes: Presidente: Sar Sorath (também conhecido como Sar Gulion, ainda em vida).

No momento, a jurisdição principal desta ordem está na Inglaterra sob da liderança de Sar Gulion. Nos E.U.A. há uma filial da ordem que funciona regularmente com uma carta constitutiva da Inglaterra. Depois da morte de Fusiller, o sucessor de Blanchard, a Ordem Martinista dos Eleitos Cohens fundiu com o OMS e mantém o nome do posterior.

A linhagem de OMS atual: 1. Papus & Chaboseau (linhagem dobro); 2. Charles DetrÈ (Teder); 3. Georges de de BogÈ LagrËze (Mikael); 4. Auguste Reichel (Amertis); 5. V. Churchill (Sar Vernita); 6. Sar Gulion/Sorath (o Grande Mestre Inglês).

O OM&S independente do Canadá, tem estas linhagens; 1. Papus & Chaboseau (linhagem dobro); 2. Charles DetrÈ (Teder); 3. Georges de BogÈ LagrËze (Mikael); 4. Auguste Reichel (Amertis); 5. V. Churchill (Sar Vernita); 6. Sar Sendivogius; 7. William Pendleton 8. Sar Parsifal/Petrus ( morto, 1994).

O tribunal de OM&S no Canadá, 1965, era compostos de,: 1. Sar Resurrectus, Presidente (iniciado por Pendleton); 2. Sar Sendivogious; 3. Sar Petrus.

A Jurisdição canadense se declarou independente. Sar Resurrectus se tornou o Grande Mestre, Sar Sendivogius se retirou das atividade da OMS para se concentrar nos Elus Cohen , e Sar Petrus se tornou Grande Mestre.


TRADICIONAL ORDEM MARTINISTA(L’Ordre Martiniste Traditionnel):

Certamente é dispensável discorrermos a respeito de nossa própria organização uma vez que existem um sem número de documentos e literatura e este respeito, dentro e fora de nossa Ordem. Entretanto alguns comentários são importantes.

A Tradicional Ordem Martinista permanece como a maior e mais fechada Ordem Martinista em atividade no mundo, para tanto conta com a aliança fraterna com a Ordem Rosacruz AMORC , é a organização Martinista que possui o maior número de Heptadas tradicionalmente constituídas e é a que possui a melhor organização administrativa.

A sucessão da Tradicional Ordem Martinista possui vários ramos a saber:
1. V.E. Michelet; 2. Augustin Chaboseau (Sar Augustus); 3. Ralph Maxwell Lewis (Sar Validivar); 4. Gary L. Stewart ; 5. Cristian Bernard (Phenix)

Sucessões iniciáticas : 1. Papus & Chaboseau (linhagem em dobro); 2. Charles Deter (Teder); 3. Georges de BogÈ LagrËze (Mikael); 4. Ralph Lewis.

O atual Grande Mestre é o Irmão Charles Vega Parucker ( Vega). O Soberano Grande Mestre da Tradicional Ordem Martinista é o Ir Cristian Bernard ( Phenix) que possui duas linhagens:
1. Ralph Lewis; 2. Sepulcros de Orval ;3. Cristian Bernard e
1. Ralph Lewis; 2. Cecil UM. Poole; 3. Gary L. Stewart; 4. Cristian Bernard.

O intuito deste texto é fornecer informações históricas sobre o Martinismo através dos séculos. Como todo Martinista deve saber , não se julga um irmão pela riqueza ou pobreza do berço que o embalou e sim pela fraternidade que une dois seres que possuem gravados em seus íntimos a mesma iniciação e a mesma paternidade espiritual.

ESTE É O ELO QUE NOS UNE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blessed Be!