Quem sou eu

Minha foto

"Sou uma Bruxa (palavra com muitos significados na linguagem comum) porque uso as energias da natureza e celebro seus ciclos. Meu convívio com estas forças é forte e harmonioso visto que busco nelas as energias para me nutrir e auxiliar a quem necessitar. Minha grande Catedral é o Cosmos e ali estão todas as crenças, religiões e doutrinas que preciso para a evolução da alma. Ali coloco meu coração e recebo as energias para ser feliz. Como Wicca, meu ritual é feito ao ar livre e tenho o Céu (Cosmos) como cobertura e ali referencio a grande Mãe que somada as energias masculinas do Deus Conífero, formam, a meu ver, o equilíbrio necessário entre as forças Yin e Yang"

Selo de Hécate

Selo de Hécate

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Atenção: Dicas Valiosas!!!





Na magia ritual, usa-se de vários mecanismos para proteção do operador. Leia abaixo algumas explicações. Para maiores detalhes, vá aos endereços relacionados na seção "links" ou procure por outros sites do gênero.
ANIMAL
Muitos animais são usados em magia. Aguns (infelizmente) como vítimas sacrificiais, incômodo vestigio de barbárie, quando ainda eram realizados sacrifícios humanos.
Ver "animais domésticos de bruxos e animais divinatórios"

ANIMAIS DOMÉSTICOS DOS BRUXOS
A tradição relata a posse e guarda por magos, de variados animais, em geral de pequeno porte. Seriam uma espécie de "mascotes", e em tudo similares aos possuidos pelos não-magos, embora estes limitem-se (costumeiramete) aos gatos, cahorros, passarinhos ou peixinhos de aquário... O mago, todavia, costumava ser um pouquinho mais eclético em suas preferências e neste caso, tomava a si (e controlava magicamente) qualquer bichinho com o qual empatizasse: os gatos ou cachorros de praxe, camundongos, pássaros (grandes ou pequenos), sapos, doninhas, cobras, iguanas, etc. Os animais compartilhavam com o mago do seu chamado "espaço mágico", e na Idade Média foram considerados "espíritos" ou diabretes". Muitos magos alimentavam os seus de forma especial e lhes davam um nome "mágicko". Podiam ser vendidos, herdados ou doados. Bem... Depois do Harry Potter, todo mundo sabe isso de cor, não é? Certos bruxos usam animais para adivinhação e o fazem geralmente usando um dos domésticos (ou domesticados), contudo, neste caso muitas vezes, isso ocorre após uma indicação específica surgida (geralmente) em seu coven.

ARTE
Assim são chamadas as práticas mágico-alquímicas no neo-paganismo. No caso, usamos a palavra com referência à Wicca, Bruxaria e correlatos. A Arte busca a total integração (e interação) do homem com ele mesmo e com o "tudo-que-existe". Medite um pouco sobre esta proposição e encontre sua própria definição.

BOLEM OU SERPE
Faca especial em bronze para cortar as ervas consideradas sagradas para se usar nos feitiços alucinatórios e rituais. Segundo a tradição, os druidas as usavam, fundidas em ouro, para cortar o visco nos carvalhos, durante o Solstício de Inverno.

BOLINE
Punhal de cabo branco, geralmente curva tipo foice de corte normal e lâmina afiada. Usada na Wicca e magia Ritual, e serve para cortar ervas ou perfurar uma romã. Jamais usada em sacrifícios.

FORÇAS ARTIFICIALMENTE INVOCADAS
Trata-se na verdade de uma ação consciente do mago sobre as forças astrais. Se você pensar no "solve et coagula" alquímico, uma evocação primeiramente representará a "dissolução", pois seleciona a "força" ou "energia" desejada. Corresponde ao controle do mago sobre as forças manifestadas sob sua invocação. Fique atento, pois neste momento você estará "abrindo um portal" e forças outras, além da que você tem em mente (pelo menos de forma consciente), também poderão atravessá-lo...

Instrumentos mágicos
- O bastão ou varinha mágicka;
- A espada mágica;
- O pentagrama;
- O Athame;
- O Caldeirão;
- A Corda.

INSTRUMENTOS DE DEFESA
Os instrumentos físicos de defesa, serão basicamente a espada mágica, o bastão ou varinha mágicka, o pentagrama e o círculo mágicko.

A ESPADA MÁGICA
A espada mágika teria basicamente uma função defensiva. Durante o trabalho Mágicko, algumas energias não compatíveis com você mesmo, (e neste caso "não-boas") ou, que simplesmente não sirvam aos seus objetivos, naquele momento, (e, neste caso, atrapalhariam) podem atravessar o "portal" que foi aberto do decurso dos trabalhos.
Assim, interagindo com os fluidos vitais, oriundos dos elementos de materialização, tendem a formar algo como "conglomerados" energéticos, todavia, dotados de potencial para atuar no plano físico. A ponta da espada mágicka serve para desmanchá-los e inativá-los. Papus ensina: "A operação mágica é, na realidade, uma síntese de esforços e de ciência e o operador está na posse dos dois pólos de toda a ação: o pólo de ataque ou de projecção pelo bastão magnético de ponta redonda e o pólo de defesa e de dissolução pela espada mágica de ponta aguçada." (in Tratado Elementar de Magia Prática)

PENTAGRAMA
Segundo Eliphas Levi, em seu "Dogma e Ritual da Alta Magia, "O pentagrama expressa a dominação do espírito sobre os elementos, e é por meio desse signo que se acorrenta os Silfos do Ar, as Salamandras do Fogo, as Ondinas da Água e os Gnomos da Terra. Munido deste signo e, disposto convenientemente, pode-se ver o infinito mediante esta faculdade que é como o olho de tua alma e te fazer servir por legiões de anjos e colunas de demónios."
Trocando em miúdos, o pentagrama simboliza o poder do operador e sua "autoridade", sobre as forças evocadas.

CÍRCULO MÁGICO
O círculo mágico é vital, pois que é a proteção do operador.
Há toda uma tradição sobre esta prática e, segundo os Magos, se não for talhado corretamente, não proporcionará a devida proteção. Papus ensina que: "toda a operação mágica deve ser executada na área de um círculo que representa a vontade do operador, isolando este de toda a má influência exterior."
Ainda segundo o autor e outros ocultistas, tal círculo pode ser traçado com carvão, tinta consagrada e até mesmo com a espada mágica em momentos de urgência.
Cada Escola Mágica o construirá de uma forma diferente.
Você pode traçar o seu muito simplesmente usando a si mesmo como um centro, cujo raio será até mesmo o cabo da sua vassoura... Circulos maiores poderão ser traçados com o auxílio de uma corda fixada num ponto.

Seja inventivo!!! Crie!
Lembre-se: A magia é sua.

PRÁTICA PESSOAL
Consiste numa série de exercícios que o operador deve empreender ao longo do tempo, tendo em mira a auto-disciplina, purificação e o fortalecimento da vontade. Por mais cansativos que sejam, são exatamente estes exercícios que o tornarão apto à realização do trabalho mágicko. Afinal, quanto mais puro e radiante for o "corpo astral" do mago (você pode nomear este "estado", conforme suas crenças pessoais) e mais semelhante, não apenas ao signo, mas , e principalmente, ao símbolo do pentagrama, maior a autoridade do operador sobre as forças invocadas. Portanto, tais exercícios têm por objetivo integrar o corpo físico e sutil do próprio mago, transmutando-o, alquimicamente, até torná-lo como como se fosse um "pentagrama vivo".Todavia, certos rituais exigem um preparo pessoal mais acurado, tais como jejuns, abstinência sexual, silêncio, banhos especiais, meditação e etc. Fique tranqüilo... Sua intuição (e seu bom senso serão seus guias e lhe dirão como, quando e, jamais se esqueça disso, o "quanto".


Todos os objectos mágicos, inclusive o local onde ocorrerão os trabalhos, (e que será o "Templo Mágicko" durante a operação) deverão ser consagrados, e esta consagração varia muito de acordo com a vertente a qual pertença o operador e suas tendências pessoais.
No ato da consagração, o operador contribui com a sua própria energia na imantação e fixação de energias nos ítens mágicos a serem utilizados, como no próprio local escolhido, seja por meio de fórmulas mágicas, visualizações, ou, tão simplesmente pelo poder da sua vontade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blessed Be!